Cientistas desenvolvem arroz geneticamente modificado que neutraliza o VIH

Uma equipa internacional de cientistas conseguiu desenvolver uma solução inovadora para o vírus do VIH: arroz geneticamente modificado.

O arroz transgénico já havia sido desenvolvido para combater a desnutrição e as mudanças climáticas. Agora, cientistas dos Estados Unidos, Reino Unido e Espanha desenvolveram uma nova variedade para controlar os sintomas do vírus do VIH em países onde os medicamentos tradicionais podem ser muito difíceis de obter.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), no ano passado havia cerca de 36.900.000 pessoas infetadas com o vírus, 25.700.000 das quais em África.

Atualmente, estão em desenvolvimentos soluções muito interessantes para prevenir e controlar o vírus VIH, como vacinas experimentais ou implantes vaginais. Para já, os profissionais de saúde confiam em dois métodos para controlar a propagação do vírus:  .

Normalmente, os pacientes com HIV são medicados com um tipo de medicamento anti-retroviral que impede que o vírus se propague dentro do corpo, para, essencialmente, adiar o início da doença. Se tratado adequadamente, o vírus pode ser controlado e os pacientes podem ter uma vida longa e saudável.

No entanto, nem toda a gente tem acesso a este tipo de medicamentos. Desta forma, os cientistas afirmam que o arroz transgénico é a opção viável que oferece uma solução efetiva e acessível para os pacientes, principalmente nos países em vias de desenvolvimento.

No fundo, as sementes de arroz transgénico produzem três proteínas – o anticorpo monoclonal 2G12 e as lectinas griffithsin e cyanovirin-N – cujos testes preliminares in vitro revelaram uma ligação à gp120 – a glicoproteína que permite que o vírus atinja as células – neutralizando o VIH.

Segundo a equipa, estas sementes podem ser moídas de modo a criar uma pasta que pode ser aplicada como creme tópico, que contrabalança o vírus da mesma maneira que o medicamento anti-retroviral.

Este tratamento torna-se surpreendentemente acessível para aqueles que necessitariam de viajar para poderem ser consultados numa clínica, na medida em que quando as plantações estão totalmente cultivadas, as sementes podem ser produzidas no próprio local por quase nenhum custo.

Há, porém, alguns entraves que os cientistas terão ainda de resolver antes que este tipo de arroz se torne numa solução viável. Os especialistas terão de provar que não existem efeitos colaterais prejudiciais e, além disso, terão de cumprir as várias restrições no que diz respeito à regulação em vigor nos países que desejam alcançar.

Ainda assim, os resultados são, até agora, muito promissores.

ZAP // IFLScience

PARTILHAR

RESPONDER

NASA dedica novo telescópio a Nancy Grace Roman, a "mãe" do Hubble

A NASA renomeou o telescópio Wide Field Infrared Probing Telescope (WFIRST) em homenagem a Nancy Grace Roman, a mãe do Hubble. A NASA batizou o seu telescópio espacial de última geração, atualmente em desenvolvimento, - o …

Guitarrista dos Queen teve um ataque cardíaco que o deixou às portas da morte

Brian May, guitarrista dos Queen, sofreu um ataque cardíaco que o deixou às portas da morte, anunciou o próprio músico, de 72 anos. May partilhou um vídeo no Instagram no qual conta todo o episódio. Tudo …

"Missão Tianwen". China planeia lançar sonda para Marte em julho

A China planeia lançar uma sonda e um pequeno robô de controlo remoto para Marte, em julho, na sua primeira missão ao Planeta Vermelho, anunciou esta segunda-feira a agência responsável pelo projeto. "O nosso objetivo era …

Bairros de lata são incubadoras de covid-19, mas ninguém ajuda os milhões que lá vivem

Bairros de lata, como as favelas, são consideradas incubadores de covid-19. No entanto, pouca atenção lhes tem sido dada na resposta à pandemia. Tendo devastado algumas das cidades mais ricas do mundo, a pandemia do novo …

Morreu Saturn, o jacaré que sobreviveu a um bombardeamento da II Guerra (e que se diz que pertenceu a Hitler)

Saturn, um jacaré norte-americano de 84 anos, morreu esta sexta-feira no jardim zoológico de Moscovo, na Rússia, anunciou a instituição na sua conta de Facebook, dando conta que o animal morreu de velhice. O réptil …

Antiviral Remdesivir pode ser eficaz no combate à covid-19

O antiviral Remdesivir é eficaz contra a covid-19 caso seja administrado antes dos pacientes necessitarem de ventilação mecânica, indica um ensaio internacional com este medicamento, coordenado pelo Hospital Can Ruti, em Badalona, Barcelona, Espanha. Segundo um …

Há uma misteriosa ilha em Nova Iorque que quase ninguém pode visitar (e está abandonada)

A menos de 1,6 quilómetros de Manhattan, em Nova Iorque, localiza-se uma misteriosa ilha abandonada há mais de meio século. É preciso ter autorização do New York City Department of Parks and Recreation para visitar …

Israel não vai desperdiçar "oportunidade histórica" para anexar a Cisjordânia

O primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu voltou a defender hoje a anexação de partes da Cisjordânia nos próximos meses e em prosseguir este polémico plano, apesar do crescente coro de condenações de diversos aliados. Os palestinianos, e …

Zlatan Ibrahimovic lesiona-se e deixa carreira em risco

No treino com vista ao regresso da Liga italiana, Zlatan saiu a coxear do centro de treinos, com os milaneses a explicarem que exames vão determinar se se trata de lesão no gémeo ou tendão …

Há uma orquestra presa num palácio da Alemanha há 75 dias

Um grupo de músicos bolivianos, que pertencem à Orquestra Experimental de Instrumentos Nativos, está confinado no Palácio Rheinsberg, na Alemanha, há cerca de 75 dias devido à pandemia de covid-19. No início de março, os membros da …