Arrancar cabelos pode combater… a queda do cabelo

d.r.

Arrancar os cabelos de uma forma específica pode fazer com que mais fios cresçam em seu lugar, de acordo com um estudo desenvolvido nos Estados Unidos.

Os investigadores fizeram experiências retirando cabelos de áreas com configurações de densidade distintas, com o que induziam o organismo a reconhecer lesões com gravidades diferentes e, consequentemente, a responder de forma diferenciada em relação ao tamanho do cabelo que deveria crescer de novo.

A equipa de cientistas, constituída por investigadores da University of Southern California, estava a analisar a forma como os folículos pilosos, que geram os fios de cabelo, comunicam entre si para decidir quantos fios serão regenerados.

Arrancando 200 fios de cabelo em cobaias, os cientistas conseguiram provocar o crescimento de 1300 fios no local. O estudo foi publicado na revista Cell.

A inflamação ajusta-se ao dano

Numa série de experiências, os investigadores removeram 200 folículos pilosos de uma área circular da pele das cobaias.

Quando a remoção foi feita com baixa densidade – removendo folículos numa área de 6 milímetros de diâmetro – não houve nenhuma regeneração.

Mas a remoção em média densidade, com 200 folículos retirados de um círculo de 5 mm, fez com que nascessem 1300 novos fios.

University of Southern California

Quorum sensing: dependendo da maior ou menor densidade do cabelo removido, o organismo reage provocando o crescimento de mais ou menos cabelo

Quorum sensing: dependendo da maior ou menor densidade do cabelo removido, o organismo reage provocando o crescimento de mais ou menos cabelo

Quando a experiência foi feita em densidade mais elevada, com o mesmo número de folículos removidos de um círculo de diâmetro de 4 mm, surgiram 780 novos fios.

Puxar todos os folículos de cabelo fez com que todos voltassem a crescer, mas não surgiu nenhum fio novo.

Os investigadores mostraram que o nível de inflamação na pele foi ajustado de acordo com a amplitude dos danos.

Por meio de uma série de sinais químicos e respostas imunes, o organismo controlou a quantidade de fios que seria regenerada.

A equipa diz que é como se cada cabelo pudesse votar sobre o que acontece após alguns fios serem retirados. Os cientistas baptizaram o conceito de “quorum sensing”.

“O trabalho leva a potenciais novos alvos para o tratamento da alopecia, uma forma de perda de cabelo”, diz o lídes da equipa, Cheng-Ming Chuong, investigador da USC.

Cura para a calvície?

“É realmente um bom trabalho da ciência. A ideia de quorum sensing é inteligente”, disse à BBC Chris Mason, professor de medicina regenerativa do University College de Londres.

Diversos especialistas consideraram os resultados interessantes, mas não estão certos de que o estudo possa conduzir a uma cura para a calvície – um mal que atinge metade dos homens com 50 anos.

“Essa é a pergunta de um milhão de dólares. Não tenho a certeza. Para já, neste caso é preciso antes de mais ter um pouco de cabelo para arrancar…”, diz Mason.

“Já muitas experiências anteriores conseguiram produzir cabelo, mas muito fino, cabelo de bebé, ou demasiado fraco”, acrescenta o professor.

“Mas neste caso, são cabelos adultos, é uma mudança radical“, acrescenta.

ZAP / BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Ministro holandês faz mea culpa. "Não fomos suficientemente empáticos" com o sul da Europa

O ministro das Finanças holandês reconheceu que foi infeliz nas posições que assumiu sobre a resposta económica à pandemia de covid-19, assumindo que mostrou pouca “empatia” com os países do sul da Europa. Em declarações à …

Estados Unidos admitem possibilidade de novo surto no outono

O diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos disse haver a possibilidade de o país enfrentar um novo surto depois do verão, mas lembrou que nessa altura "várias coisas vão …

Mortes em Portugal estão a aumentar desde o início do mês (sem contar com a Covid-19)

Já morreram mais pessoas em Portugal, neste ano, do que em igual período do ano passado, com especial destaque para o  mês de Março, onde a taxa de mortalidade aumentou, mesmo sem contar com as vítimas de …

PCP quer reabrir camas e decretar preços máximos nos combustíveis para enfrentar pandemia

O PCP apresentou um pacote extenso de propostas para fazer face aos impactos do surto de covid-19. Entre elas está a reabertura do Hospital Militar. O PCP apresentou um conjunto de medidas para fazer face ao …

Houseparty nega pirataria e oferece recompensa milionária a quem provar "campanha difamatória"

A aplicação favorita de quem está em quarentena está sob acusação de piratear contas de outras apps. A Houseparty nega e oferece uma recompensa de 1 milhão de dólares a quem provar a "campanha de …

"Agricultura não pára". Há trabalho no campo para os trabalhadores em lay-off

Com a época das colheitas à porta e a falta de braços no campo, a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) vai propor ao Governo a criação de plataformas de emprego temporário para permitir aos …

Covid-19. Cerimónias fúnebres proibidas em Espanha

As cerimónias fúnebres foram hoje proibidas em Espanha, o segundo país mais afetado pela covid-19 no mundo, e os funerais não podem ter mais do que três pessoas presentes, para impedir a propagação da pandemia …

Falta de meios dificulta marcação de testes à Covid-19

Os utentes do Norte referenciados pelas autoridades de saúde para fazerem o teste à Covid-19 estão a ter grandes dificuldades na marcação nos laboratórios recomendados, devido ao disparo na procura e ao facto de a …

"Impõe-se manter as medidas de contenção", diz Marcelo

O Presidente da República afirmou esta terça-feira que se impõe manter as medidas de contenção que vigoram em Portugal, referindo que essa foi uma opinião unânime na segunda reunião técnica sobre a situação da covid-19 …

Crise poderá levar a Juve a vender Ronaldo por 70 milhões

A crise financeira causada pela pandemia de covid-19 poderá "obrigar" a Juventus a vender Cristiano Ronaldo por 70 milhões de euros, avança a imprensa italiana, frisando que existem mais dois cenários em cima da mesa. O …