Arquivado processo contra Ana Gomes por supostas ofensas à Douro Azul

European Committee of the Regions / Flickr

Ana Gomes, ex-eurodeputada do Partido Socialista

Em causa estão declarações proferidas por Ana Gomes, em 2016, depois de a PGR anunciar buscas e diligências relacionadas com a subconcessão dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo e a venda do navio Atlântida ao Grupo Douro Azul.

O Tribunal de Vila Real arquivou o processo contra a ex-eurodeputada Ana Gomes por supostas ofensas ao grupo Douro Azul, na sequência de declarações proferidas em 2016 sobre a venda do navio Atlântida pelos extintos Estaleiros de Viana do Castelo.

De acordo com a decisão, a que a Lusa teve acesso, o tribunal considerou que “os autos não contêm elementos suficientes para se concluir que a arguida praticou três crimes de ofensa a organismo, serviço ou pessoa coletiva”.

Inicialmente, o Ministério Público tinha concluído que não foram recolhidos indícios suficientes da prática pela arguida Ana Gomes daqueles crimes. As empresas Pluris Investiments, Mystic Cruises e Douro Azul deduziram acusação particular contra a ex-eurodeputada, mas o MP não acompanhou, pelo que requereram a abertura de instrução.

Na decisão, datada de quinta-feira e revelada pelo Expresso, o tribunal diz não resultarem “indiciados os elementos objetivo ou subjetivo do tipo legal de crime que as assistentes imputam à arguida”, considerando, por isso, que a ex-eurodeputada socialista “não deve ser pronunciada pelos crimes que lhe são imputados na acusação particular”.

Segundo o despacho de não-pronúncia e consequente arquivamento, “a arguida não afirma ou divulga quaisquer factos, limita-se, ao abrigo da sua liberdade de expressão, a fazer um juízo crítico, ainda que para o efeito use uma linguagem dura”.

“A arguida reputou como verdadeiras as suas suspeitas quanto ao tal negócio da venda do ferryboat Atlântida, dado o preço baixo pelo qual terá sido vendido às assistentes, razão pela qual apresentou queixa-crime”, lê-se no documento.

O tribunal acrescenta que o MP “terá concluído também pela existência de suspeitas de crime [dos crimes que a Procuradoria-Geral da República enunciou no seu comunicado de administração danosa, corrupção e participação económica], razão pela qual prosseguiu com a investigação e realização de buscas”.

Em causa estão declarações proferidas em abril de 2016 por Ana Gomes, em reação a um comunicado da Procuradoria-Geral da República a anunciar buscas e diligências no quadro da designada Operação Atlantis, relacionadas com a subconcessão dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC) e a venda do navio Atlântida ao Grupo Douro Azul.

Na ocasião, Ana Gomes declarou ao Diário de Notícias que a investigação era “um sinal de que algo está a mexer num caso de flagrante corrupção”, envolvendo a venda “a patacos” do ferryboat Atlântida ao Grupo Douro Azul, o qual, segundo a eurodeputada, tinha “muito que contar” às autoridades.

O grupo acusou então a eurodeputada de fazer “insinuações e acusações graves, visando atingir a credibilidade e prestígio” das empresas envolvidas e de “insinuar uma qualquer relação entre a subconcessão dos terrenos e infraestruturas dos ENVC com a venda do navio Atlântida ao Grupo Douro Azul, sabendo que não correspondia à verdade”.

O ferryboat foi adjudicado por 8,7 milhões de euros à empresa Douro Azul em julho de 2014 pela administração dos ENVC face ao incumprimento de um armador grego que tinha vencido o concurso público internacional lançado em Março desse ano pela empresa pública para a venda do navio que o Governo Regional dos Açores encomendou aos ENVC e depois rejeitou. A Mystic Cruises, do grupo Douro Azul, apresentou a segunda melhor proposta.

O navio foi construído nos já extintos ENVC, por encomenda do Governo dos Açores, que depois o rejeitaria em 2009 devido a um nó de diferença na velocidade máxima contratada. Concluído desde maio desse ano, o Atlântida estava avaliado em 29 milhões de euros no relatório e contas dos ENVC de 2012, quando deveria ter rendido quase 50 milhões de euros.

Os ENVC foram extintos em março de 2018, mas encontravam-se em processo de extinção desde janeiro de 2014, data da assinatura, entre o anterior Governo PSD/CDS-PP e o grupo privado Martifer, do contrato de subconcessão dos estaleiros navais até 2031, por uma renda anual de 415 mil euros.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Em 1950, a vacinação em massa salvou a Escócia

Em 1950, Glasgow, na Escócia, viu-se a braços com um surto de varíola e o cenário era muito semelhante ao que vivemos hoje: as autoridades sanitárias tentavam rastrear todos os contactos de pessoas portadoras do vírus, …

Japonês aluga-se a si próprio "para não fazer nada". E tem milhares de clientes

Um homem japonês que ganha a vida a alugar-se a si próprio “para não fazer nada” atraiu milhares de clientes. O negócio começou em 2018. Por 10.000 ienes (cerca de 79 euros) - mais despesas com …

Documentos de vacinas roubados por hackers também foram "manipulados"

A Agência Europeia do Medicamento, entidade reguladora da União Europeia (UE), informou este sábado que os documentos da vacina contra a covid-19 roubados e colocados na Internet por hackers foram também "manipulados". A manipulação aconteceu depois …

Há 11 anos que não se consumia tanta eletricidade num só dia. A culpa é do frio

O país está a bater recordes de energia, tanto em termos de pico como de consumo diário. A culpa é da vaga de frio que assolou Portugal neste Inverno. O consumo de eletricidade bateu, na quarta-feira, …

Dymka, a gata que perdeu as patas e recebeu próteses de titânio impressas em 3D

Dymka, uma gata russa, ganhou um novo estímulo na sua vida depois de um grupo de veterinários realizar uma cirurgia para substituir as suas patas por próteses feitas de titânio impressas em 3D. A universidade revelou …

Hélder Amaral: "O meu partido de sempre está a morrer"

Em declarações ao semanário Expresso, o antigo deputado do CDS-PP, Hélder Amaral, diz-se desiludido com o seu partido. O ex-deputado centrista Hélder Amaral, que foi também presidente da distrital de Viseu, não está feliz com o …

EDP antecipa pagamento a mais de mil fornecedores em Portugal e Espanha

A EDP vai antecipar o pagamento a mais de mil fornecedores, uma iniciativa que, à semelhança do que já aconteceu no último ano, irá manter-se para todos os pagamentos a fornecedores ao longo do primeiro …

Há centenas de pessoas em busca de tesouros que não existem na Índia (e a culpa é de um boato)

Moradores de pelo menos três vilas no distrito de Rajgarh, no estado indiano de Madhya Pradesh (MP), passaram a última semana à procura de um tesouro antigo que provavemente não existe. Centenas de aldeões estão a …

João Ferreira diz que Marcelo deixou jovens em situação de "vulnerabilidade" (e elogia lay-off a 100%)

João Ferreira criticou este sábado o atual Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa por deixar os jovens em situação de "vulnerabilidade". O candidato presidencial João Ferreira afirmou, este sábado, que o Presidente da República, Marcelo …

Marisa Matias critica que apenas 1% do orçamentado seja gasto com cuidadores informais

Marisa Matias, candidata presidencial apoiada pelo Bloco de Esquerda, criticou este sábado que apenas tenha sido executado 1% da verba prevista no Orçamento do Estado para 2020 para os projetos-piloto dos cuidadores informais. Os atrasos e …