Aquecimento global é “inequívoco”, diz relatório do governo dos EUA

mobilestreetlife / Flickr

Família sem abrigo. Precisamos de ajuda. Bem hajam!

Um documento elaborado por agências federais norte-americanas aponta para a “influência humana” nas mudanças climáticas. Estas conclusões contrastam com a orientação política do presidente Trump, que têm tomado medidas contrárias à protecção do ambiente.

O governo norte-americano divulgou esta sexta-feira um extenso relatório elaborado por 13 agências federais, segundo o qual o aquecimento global é “inequívoco” e “muito provavelmente” causado pela “influência humana”.

O tom alarmista do documento contrasta com acções do presidente Donald Trump – entre as quais o incentivo ao consumo de combustíveis fósseis e a recentemente anunciada saída do país do Acordo de Paris.

Não há nenhuma explicação alternativa convincente para o aquecimento global do último século que seja baseada na mesma quantidade de provas”, diz o estudo, entre cujos autores se incluem cientistas de entidades como a Agência de Protecção Ambiental e a Administração Nacional de Oceanos e Atmosfera, NOAA.

Mesmo com este tom, o documento passou pelo crivo da Casa Branca antes de receber autorização para publicação. Ao todo, mais de 50 cientistas participaram no estudo, que aponta ainda que a média global do nível dos oceanos deve aumentar “pelo menos vários centímetros nos próximos 15 anos devido ao aquecimento global”.

O relatório aponta que “o clima global deve continuar a mudar ao longo deste século” e que “a magnitude destas mudanças climáticas além das próximas décadas irá depender principalmente da quantidade de gases de efeito estufa emitidas globalmente”.

O documento também realça que a Terra tem registado picos de temperatura nos últimos três anos, e que 6 dos últimos 17 anos foram os mais quentes já registados no planeta.

Por fim, o relatório aponta que as catástrofes naturais, como furacões e enchentes, custaram 1,1 biliões de dólares à economia dos EUA desde 1980 e que a tendência é que esses fenómenos se tornem cada mais comuns.

Contraste com posições de Trump

Segundo o jornal Washington Post, a existência e a divulgação do relatório mostram que “establishment científico do governo continua a actuar, apesar da acção de vários membros do governo no sentido de minimizar e depreciar” este tipo de estudos.

Membros do governo Trump como o Secretário de Energia, Rick Perry, e o chefe da Agência de Proteção Ambiental, Scott Pruitt, questionam regularmente o real impacto da “influência humana” nas mudanças climáticas. O próprio Trump já chegou a classificar no passado o aquecimento global como uma “boataria” inventada pelos chineses.

“Este é um relatório do governo federal cujo conteúdo passa completamente por cima das políticas de Trump, e também passa completamente por cima das declarações de altos membros da administração”, realça Phil Duffy, director do Woods Hole Research Center.

Já o jornal New York Times salienta que, segundo os autores do estudo, as conclusões do seu relatório criaram uma situação incomum em que “as políticas do governo caminham na direcção oposta à ciência que produz“.

Ainda segundo o jornal, o relatório já provocou críticas de cépticos do aquecimento global, segundo os quais as conclusões são o produto “de restos do governo Obama“.

PARTILHAR

RESPONDER

PS e PAN avançam com direito ao esquecimento para quem sobreviveu ao cancro

O Parlamento vai aprovar esta sexta-feira, na generalidade, projetos-lei para acabar com a discriminação de pessoas que tiveram cancro no acesso a seguros de vida. O PS apresenta esta sexta-feira uma proposta no parlamento para quem …

Estudo mostra que é seguro misturar vacinas, mas DGS quer mais detalhes

O novo estudo dá indicações sobre a segurança da administração de vacinas de marcas diferentes – uma das opções possíveis em Portugal para o meio milhão de pessoas com menos de 60 anos que receberam …

Romualda Fernandes - PS

"Erro" ou "canalhice"? PS exige desculpas da Lusa pela forma como identificou deputada

A Lusa está no olho do furacão depois de um jornalista da casa ter identificado a deputada do PS Romualda Fernandes como "Preta" numa peça que acabou por ser replicada em vários jornais online. O …

Estudo mostra que o navio Mary Rose tinha uma tripulação multiétnica

A análise dos restos mortais de parte da tripulação do navio de guerra Mary Rose, o favorito do rei Henrique VIII de Inglaterra, mostra a diversidade que já existia no período Tudor. O navio de guerra …

Hulk marcou num jogo que foi interrompido... cinco vezes

Muitas pausas na partida entre América de Cali e Atlético Mineiro. Protestos na Colômbia também afetaram o jogo Atlético Nacional-Nacional. Grupo H da Taça Libertadores, quarta jornada. Em Barranquilla, América de Cali e Atlético Mineiro entraram …

Festa leonina, OE e política. Marcelo poupa Cabrita, mas não põe de lado uma remodelação

Em entrevista à RTP, a primeira deste mandato, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, poupou Cabrita, culpou os adeptos pelo que se passou nos festejos do Sporting, sublinhou que acredita que o Orçamento …

Governo prometeu a Bruxelas reforma de serviços do Estado. Sindicatos não sabiam

O Governo prometeu a Bruxelas arrancar com uma “reforma funcional e orgânica da administração pública (AP)” sob pena de não receber os cheques da bazuca europeia. “A reforma iniciar-se-á no segundo trimestre de 2021, com a …

Implante neural permite que pessoas paralisadas escrevam. Basta imaginar as letras

Pela primeira vez, uma equipa de investigadores descodificou os sinais neurais associados à escrita de letras e, em seguida, exibiu versões digitadas dessas letras em tempo real. Quando uma lesão ou doença priva uma pessoa da …

Presidente do PSD Oeiras demite-se depois de Rio rejeitar apoiar Isaltino Morais

O presidente da Comissão Política do PSD de Oeiras, estrutura que declarou apoio à candidatura do independente Isaltino Morais à liderança do município, demitiu-se, conforme anunciou esta quinta-feira o próprio, depois de a Comissão Política …

Revolta nas Forças Armadas. Ramalho Eanes entre os 28 ex-chefes militares contra reforma Cravinho

Vinte e oito ex-chefes de Estado-Maior dos três ramos, incluindo o general Ramalho Eanes, assinaram uma carta a contestar o processo da reforma das Forças Armadas em curso e apelaram a um debate alargado à …