Aquecimento global é “inequívoco”, diz relatório do governo dos EUA

mobilestreetlife / Flickr

Família sem abrigo. Precisamos de ajuda. Bem hajam!

Um documento elaborado por agências federais norte-americanas aponta para a “influência humana” nas mudanças climáticas. Estas conclusões contrastam com a orientação política do presidente Trump, que têm tomado medidas contrárias à protecção do ambiente.

O governo norte-americano divulgou esta sexta-feira um extenso relatório elaborado por 13 agências federais, segundo o qual o aquecimento global é “inequívoco” e “muito provavelmente” causado pela “influência humana”.

O tom alarmista do documento contrasta com acções do presidente Donald Trump – entre as quais o incentivo ao consumo de combustíveis fósseis e a recentemente anunciada saída do país do Acordo de Paris.

Não há nenhuma explicação alternativa convincente para o aquecimento global do último século que seja baseada na mesma quantidade de provas”, diz o estudo, entre cujos autores se incluem cientistas de entidades como a Agência de Protecção Ambiental e a Administração Nacional de Oceanos e Atmosfera, NOAA.

Mesmo com este tom, o documento passou pelo crivo da Casa Branca antes de receber autorização para publicação. Ao todo, mais de 50 cientistas participaram no estudo, que aponta ainda que a média global do nível dos oceanos deve aumentar “pelo menos vários centímetros nos próximos 15 anos devido ao aquecimento global”.

O relatório aponta que “o clima global deve continuar a mudar ao longo deste século” e que “a magnitude destas mudanças climáticas além das próximas décadas irá depender principalmente da quantidade de gases de efeito estufa emitidas globalmente”.

O documento também realça que a Terra tem registado picos de temperatura nos últimos três anos, e que 6 dos últimos 17 anos foram os mais quentes já registados no planeta.

Por fim, o relatório aponta que as catástrofes naturais, como furacões e enchentes, custaram 1,1 biliões de dólares à economia dos EUA desde 1980 e que a tendência é que esses fenómenos se tornem cada mais comuns.

Contraste com posições de Trump

Segundo o jornal Washington Post, a existência e a divulgação do relatório mostram que “establishment científico do governo continua a actuar, apesar da acção de vários membros do governo no sentido de minimizar e depreciar” este tipo de estudos.

Membros do governo Trump como o Secretário de Energia, Rick Perry, e o chefe da Agência de Proteção Ambiental, Scott Pruitt, questionam regularmente o real impacto da “influência humana” nas mudanças climáticas. O próprio Trump já chegou a classificar no passado o aquecimento global como uma “boataria” inventada pelos chineses.

“Este é um relatório do governo federal cujo conteúdo passa completamente por cima das políticas de Trump, e também passa completamente por cima das declarações de altos membros da administração”, realça Phil Duffy, director do Woods Hole Research Center.

Já o jornal New York Times salienta que, segundo os autores do estudo, as conclusões do seu relatório criaram uma situação incomum em que “as políticas do governo caminham na direcção oposta à ciência que produz“.

Ainda segundo o jornal, o relatório já provocou críticas de cépticos do aquecimento global, segundo os quais as conclusões são o produto “de restos do governo Obama“.

PARTILHAR

RESPONDER

Fazer despedimentos ou não renovar contratos são situações distintas, explica Siza Vieira

O ministro da Economia afirma que o acesso aos apoios financeiros do 'lay-off' simplificado está condicionado ao compromisso de não haver despedimentos, mas reconhece que despedimento e não renovação são situações distintas. O ministro da Economia …

Empresas denunciadas por abusos nos despedimentos e violações ao código de trabalho

A CGTP recebeu denúncias a 40 empresas em que são relatadas situações de abuso e aproveitamento laboral. Milhares de trabalhadores foram afetados em todo o país, garante a líder sindical. Isabel Camarinha, classificou como "muito negro" …

NOS Primavera Sound adiado para setembro

Devido ao estado de emergência em que o país se encontra, resultado do surto de COVID-19, a nona edição do NOS Primavera Sound foi adiada e vai acontecer de 3 a 5 setembro. “Perante este cenário …

Twitter apaga publicações de Bolsonaro que defendiam fim das medidas de contenção

O Twitter bloqueou dois vídeos publicados no perfil oficial de Jair Bolsonaro sobre a visita que fez no domingo a vários pontos de Brasília, contrariando as recomendações sanitárias da Organização Mundial de Saúde (OMS) para …

País vai entrar no "mês mais crítico" da pandemia (e medidas vão ser prolongadas)

O primeiro-ministro, António Costa, avisou esta segunda-feira que Portugal "vai entrar no mês mais crítico desta pandemia" da covid-19 e por isso é necessário que se prepare para esta fase. António Costa falava aos jornalistas na …

Bancos também dão moratória no crédito automóvel

Para além da moratória no crédito à habitação decretada pelo Governo, alguns bancos estão a alargar a moratória ao crédito de consumo, como por exemplo, à prestação do carro. Face à pandemia de covid-19, o Governo …

Justiça dos Estados Unidos investiga senadores por delitos financeiros

Vários senadores norte-americanos estão a ser investigados por terem vendido ações depois de terem recebido briefings sobre a pandemia de covid-19. De acordo com a CNN, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos começou a investigar …

MAI aconselha que se circule com comprovativo de deslocação

Este domingo, o Ministério da Administração Interna (MAI) aconselhou os automobilistas a circular com comprovativos de deslocação. Além de fazer um apelo aos automobilistas para que circulem apenas quando for absolutamente imperioso, o Ministério da Administração …

Casos de covid-19 sobem 7,5% em Portugal. Há 140 mortos

De acordo com o boletim epidemiológico da Direção-geral da Saúde, há 6.408 casos de covid-19 em Portugal - mais 446 do que no domingo. Mortes sobem de 119 para 140 e o número de recuperados mantém-se …

Aulas à distância, provas de aferição e exames. O 3.º período ainda é incerto

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, assegurou, esta segunda-feira, que as notas dos 2.º período serão publicadas. Porém, a forma como o 3.º período vai decorrer ainda é incerta. Em entrevista à Renascença, Tiago Brandão …