Os africanos tiveram antepassados de pele clara

Illustration: M. Lopez-Herrera via The Olduvai Paleoanthropology and Paleoecology Project and Enrique Baquedano

Ilustração do habitat dos humanos primitivos em África, há 1.8 milhões de anos.

Segundo um novo estudo, as teorias científicas que diziam que os hominídeos só começaram a ter pele clara quando saíram de África estão erradas.

Uma equipa de geneticistas da Universidade da Pensilvânia, em Filadélfia, nos EUA, descobriu que os genes que controlam a cor da pele mudaram antes de os antepassados dos seres humanos modernos abandonarem África. A descoberta foi apresentada num artigo publicado a semana passada na revista Science.

Até agora acreditava-se que os antepassados da espécie Homo sapiens abandonaram África pela primeira vez há 200 ou 300 mil anos, e que todos teriam pele negra.

Segundo a teoria corrente, as diferenças nas condições climáticas no novo habitat – nomeadamente a menor exposição ao Sol – levaram os organismos dos hominídeos migrantes a adaptar-se. Terá sido por essa altura, diz a teoria, que a sua pele se tornou mais clara.

Mas o estudo agora apresentado, realizado por uma equipa de cientistas liderados pela geneticista Sarah Tishkoff, investigadora da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, derruba esta teoria, desacreditando a ideia de que a raça tem raíz biológica.

O estudo da equipa de Tishkoff identificou variações em seis tipos de genes (-SLC24A5, MFSD12, DDB1, TMEM138, OCA2 y HERC2-) e analisou a correlação da evolução das suas mutações com a variação da cor da pele dos hominídeos ancestrais africanos.

A análise dos dados obtidos permitiu concluir que havia habitantes de pele clara em África, considerada o “berço da humanidade”.

“Esta pesquisa é um verdadeiro marco no estudo da diversidade da cor da pele“, diz o geneticista Greg Barsh, do Instituto de Biotecnologia Hudson Alpha de Huntsville, no Alabama.

Os cientistas concordam que o australopiteco, ancestral do Homo Sapiens, tinha provavelmente pele clara por baixo do pelo. “Se temos uma camada de pelo, não precisamos de pele escura para nos proteger da radiação ultra-violeta”, diz Sarah Tishkoff. “Se tosquiarmos um chimpanzé, ele tem pele clara“, acrescenta a geneticista.

O estudo de Tishkoff permite assim essencialmente redefinir noções ultrapassadas de raça, em particular clarificando que não faz sentido usar a cor da pele para classificar os humanos. “Isso seria tão adequado como classificar os homens pela sua altura“, diz Tishkoff.

“Há tanta diversidade nos africanos, que não faz sentido falar em raça africana”, conclui.

ZAP // Science

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. “Cientistas” que trocam a política pela ciência… Lamentável. Pretos, brancos, amarelos ou vermelhos, são bem diferentes, e não apenas na cor da pele. Pretender fazer igual aquilo que é tão diverso é um péssimo serviço à ciência.

RESPONDER

Arranca hoje a "contra-cimeira" contra "hipocrisia dos governos"

Enquanto na chamada "zona verde" se prepara a semana das negociações de alto nível da COP25, começa este sábado em Madrid uma contra-cimeira em que os movimentos ativistas procuram um contraponto ao que chamam a …

A maior parte dos produtos de maquilhagem está contaminada com superbactérias perigosas

Nove em cada 10 produtos cosméticos atualmente em uso estão contaminados com superbactérias potencialmente prejudiciais, incluindo E. coli e Staphylococci. Beauty blender, rímel e brilho labial são os produtos que contêm os mais altos níveis …

NASA gravou acidentalmente a explosão de um cometa a aproximar-se do Sol

Astrónomos usaram dados do telescópio espacial TESS para estudar a explosão de um cometa durante a sua aproximação ao Sol. A investigação resultou num artigo publicado em novembro na revista científica Astrophysical Journal Letters. Foi a …

Objeto de Hoag é uma galáxia dentro de uma galáxia (que está dentro de outra galáxia)

Se observar atentamente a Constelação da Serpente poderá ver uma galáxia dentro de uma galáxia que, por sua vez, está dentro de outra galáxia. Este grande mistério do Universo é conhecido como Objeto de Hoag. Descoberto …

Parker Solar Probe lança nova luz sobre o Sol

Em agosto de 2018, a Parker Solar Probe da NASA foi lançada para o espaço, tornando-se pouco tempo depois a sonda mais próxima do Sol. Com instrumentos científicos de ponta para medir o ambiente em …

Encontrado no mar das Malvinas navio alemão da I Guerra Mundial 105 anos depois de naufragar

O naufrágio de um cruzador alemão da I Guerra Mundial foi identificado nas Ilhas Malvinas, onde foi afundado pela Marinha britânica há 105 anos. O SMS Scharnhorst foi o principal ativo da esquadra alemã na Ásia …

Boavista 1-4 Benfica | Águia goleia no xadrez do Bessa

O Benfica deu o pontapé de saída da 13ª jornada com uma vitória competente na visita ao Boavista, por 4-1. Num jogo potencialmente perigoso para as aspirações “encarnadas”, frente a um adversário com somente uma derrota …

Cientistas desenvolvem técnica para determinar o humor através da caligrafia

Uma equipa de cientistas estudou a biomecânica dos movimentos das mãos a escrever e a desenhar, e desenvolveu um método para avaliar as propriedades individuais da velocidade de escrita e da pressão do lápis no …

Quase seis mil denúncias de agressões sexuais em viagens da Uber nos EUA

A plataforma de transporte de passageiros Uber divulgou na quinta-feira um relatório, revelando quase seis mil denúncias de agressões sexuais a utilizadores, motoristas e terceiros nos Estados Unidos (EUA), em 2017 e 2018. No relatório de …

Polícia de Los Angeles vai usar dispositivo "ao estilo Batman" para prender suspeitos

A polícia de Los Angeles, nos Estados Unidos, vai adotar, no início do próximo ano, um novo dispositivo, conhecido como BolaWrap 100, que dispara um cinto de fibra sintética a uma velocidade de 200 metros …