Os africanos tiveram antepassados de pele clara

Illustration: M. Lopez-Herrera via The Olduvai Paleoanthropology and Paleoecology Project and Enrique Baquedano

Ilustração do habitat dos humanos primitivos em África, há 1.8 milhões de anos.

Segundo um novo estudo, as teorias científicas que diziam que os hominídeos só começaram a ter pele clara quando saíram de África estão erradas.

Uma equipa de geneticistas da Universidade da Pensilvânia, em Filadélfia, nos EUA, descobriu que os genes que controlam a cor da pele mudaram antes de os antepassados dos seres humanos modernos abandonarem África. A descoberta foi apresentada num artigo publicado a semana passada na revista Science.

Até agora acreditava-se que os antepassados da espécie Homo sapiens abandonaram África pela primeira vez há 200 ou 300 mil anos, e que todos teriam pele negra.

Segundo a teoria corrente, as diferenças nas condições climáticas no novo habitat – nomeadamente a menor exposição ao Sol – levaram os organismos dos hominídeos migrantes a adaptar-se. Terá sido por essa altura, diz a teoria, que a sua pele se tornou mais clara.

Mas o estudo agora apresentado, realizado por uma equipa de cientistas liderados pela geneticista Sarah Tishkoff, investigadora da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, derruba esta teoria, desacreditando a ideia de que a raça tem raíz biológica.

O estudo da equipa de Tishkoff identificou variações em seis tipos de genes (-SLC24A5, MFSD12, DDB1, TMEM138, OCA2 y HERC2-) e analisou a correlação da evolução das suas mutações com a variação da cor da pele dos hominídeos ancestrais africanos.

A análise dos dados obtidos permitiu concluir que havia habitantes de pele clara em África, considerada o “berço da humanidade”.

“Esta pesquisa é um verdadeiro marco no estudo da diversidade da cor da pele“, diz o geneticista Greg Barsh, do Instituto de Biotecnologia Hudson Alpha de Huntsville, no Alabama.

Os cientistas concordam que o australopiteco, ancestral do Homo Sapiens, tinha provavelmente pele clara por baixo do pelo. “Se temos uma camada de pelo, não precisamos de pele escura para nos proteger da radiação ultra-violeta”, diz Sarah Tishkoff. “Se tosquiarmos um chimpanzé, ele tem pele clara“, acrescenta a geneticista.

O estudo de Tishkoff permite assim essencialmente redefinir noções ultrapassadas de raça, em particular clarificando que não faz sentido usar a cor da pele para classificar os humanos. “Isso seria tão adequado como classificar os homens pela sua altura“, diz Tishkoff.

“Há tanta diversidade nos africanos, que não faz sentido falar em raça africana”, conclui.

ZAP // Science

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. “Cientistas” que trocam a política pela ciência… Lamentável. Pretos, brancos, amarelos ou vermelhos, são bem diferentes, e não apenas na cor da pele. Pretender fazer igual aquilo que é tão diverso é um péssimo serviço à ciência.

RESPONDER

Rússia está a sabotar desenvolvimento da vacina contra covid-19

Um grupo de hackers associado ao Kremlin está a tentar sabotar o desenvolvimento da vacina contra a covid-19 no ocidente. Os piratas informáticos conseguiram piratear o computador de vários investigadores. O APT29, um grupo de piratas …

Família de George Floyd apresenta queixa-crime contra Minneapolis

A família de George Floyd apresentou esta quarta-feira uma queixa-crime contra o município de Minneapolis e contra quatro polícias pela responsabilidade na morte do afro-americano às mãos da polícia, em maio, anunciaram os advogados. "Não foi …

UE reduz lista de países para reabrir fronteiras e mantém EUA e Brasil de fora

Os Estados-membros da União Europeia (UE) atualizaram, esta quinta-feira, a lista de países aos quais reabrem as fronteiras externas, mantendo de fora os Estados Unidos e o Brasil. "Na sequência da primeira revisão ao abrigo da …

24 horas depois, estátua de manifestante antirracismo em Bristol foi removida

A estátua de uma manifestante do movimento Black Lives Matter, erguida, esta quarta-feira, na cidade de Bristol, no Reino Unido, já foi removida. De acordo com o jornal The Guardian, 24 horas depois de ter sido …

Advogados continuam luta para manter declarações fiscais de Trump em segredo

Depois de o Supremo Tribunal ter determinado que os procuradores nova-iorquinos podem ter acesso às declarações de impostos do Presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, os seus advogados informaram na quarta-feira que estavam a considerar …

EUA negam vistos a funcionários da Huawei que apoiem "violadores de direitos humanos"

Esta quarta-feira, o Governo norte-americano que vai impor restrições nos vistos a funcionários da Huawei e a outras empresas que os Estados Unidos vejam como apoiantes de Governos violadores de direitos humanos. Além das restrições, o …

Ventilador produzido em Portugal recebe autorização de utilização do Infarmed

O ventilador Atena, produzido em Portugal, recebeu, na terça-feira, a autorização do Infarmed para o seu uso em contexto hospitalar na luta contra a covid-19. Esta quarta-feira, numa publicação na sua página de Facebook, o CEiiA …

American Airlines avisa 25 mil trabalhadores que podem perder emprego

Os dirigentes da American Airlines escreveram a cerca de 25 mil trabalhadores da transportadora aérea para lhes comunicar que o seu emprego pode desaparecer em outubro. Os dirigentes das Companhias de aviação dos Estados Unidos admitiram …

Trump substitui diretor de campanha a menos de quatro meses das eleições

O Presidente dos Estados Unidos substituiu, esta quarta-feira, o seu diretor de campanha, perante os maus resultados nas sondagens, a menos de quatro meses das eleições. "Tenho o prazer de anunciar que Bill Stepien foi promovido …

Bristol acordou com uma nova estátua. Manifestante antirracismo substitui comerciante de escravos

Bristol acordou com uma nova estátua. Um artista britânico ergueu uma estátua de uma manifestante do movimento ‘Black Lives Matter’ no topo do pedestal na cidade inglesa antes ocupado pela estátua de um comerciante de …