Alberto João Jardim demite-se a 12 de janeiro

PSD Madeira / Flickr

Alberto João Jardim

Alberto João Jardim

Alberto João Jardim informou numa carta enviada aos seis candidatos à liderança do PSD/M, que pretende apresentar a demissão do cargo ao Representante da República a 12 de janeiro.

Na carta endereçada aos candidatos, com data de segunda-feira, Jardim escreve que o Presidente da República se “limita ao cumprimento rigoroso das suas competências constitucionais, sem qualquer intervenção no processo que decorre com as eleições internas do PSD/Madeira”.

Jardim vem defendendo junto de Cavaco Silva, que o novo líder eleito nas diretas do PSD/Madeira deveria assumir as funções de presidente do executivo madeirense até à realização das próximas eleições legislativas regionais que deverão realizar-se em outubro de 2015.

O líder regional refere na missiva que “a fim de apresentar a demissão de presidente do Governo Regional”, conta pedir a marcação de uma reunião com o Representante da República, Ireneu Barreto, “a 12 de janeiro, após a posse da nova comissão política regional, no fim de semana anterior” no congresso regional do partido.

As eleições internas no PSD/Madeira estão marcadas para 19 de dezembro e o congresso a 10 de janeiro, estando na corrida à liderança e sucessão de Jardim seis candidatos: Miguel Albuquerque, Miguel de Sousa, Manuel António Correia, Sérgio Marques, João Cunha e Silva e Jaime Ramos.

Oposição diz que demissão de Jardim é “decisão sensata”

Os líderes dos dois principais partidos da oposição na Madeira afirmaram hoje que o anúncio da demissão de Alberto João Jardim é “uma decisão sensata”, que evidencia a sua “falta de apoio” pelo PSD regional.

“Finalmente o dr. Alberto João Jardim anuncia uma decisão sensata”, disse o presidente do CDS/PP-Madeira, José Manuel Rodrigues à agência Lusa.

“Esperemos é que cumpra com o anunciado”, vincou ainda José Manuel Rodrigues.

Para o líder do PS/Madeira, Vítor Freitas, essa carta de Jardim “clarifica perante a opinião pública aquilo que são as intenções do presidente do PSD/M, que sai por manifesta falta de apoio político”.

O responsável socialista madeirense salienta que “quatro dos seis candidatos à liderança do PSD/M já tinham reivindicado eleições antecipadas, o que configura um pedido de demissão do próprio Alberto João Jardim”.

Na opinião de Vítor Freitas, Jardim “percebeu que hoje já não tem o apoio dentro do partido”, adiantando que “com esta carta, se não voltar a fazer nenhum ziguezague, assume já perante os madeirenses que se demite e haverá eleições no início do próximo ano, antes do verão” na Madeira.

O dirigente do PS/M considera também que o atual governo presidido por Alberto João Jardim “não tem legitimidade democrática”, porque está a desenvolver um programa diferente daquele que apresentou ao eleitorado.

“Está a executar é um programa de ajustamento económico e financeiro que contraria o que foi sufragado e foi construído pelo PSD/M e o PSD/CDS da República, que não foi a eleições”, apontou.

Por isso, Vítor Freitas conclui que “Alberto João Jardim já não tem legitimidade para governar há muito tempo”, sustentando que as eleições “devem ocorrer o mais breve possível”.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Um medicamento comum utilizado para tratar a diarreia pode ajudar a combater células cancerígenas agressivas

Um fármaco comum prescrito para tratar a diarreia pode ajudar a combater um tipo agressivo de cancro cerebral (glioblastoma), sugere uma nova investigação levada a cabo pela Universidade de Frankfurt, na Alemanha. Em causa está …

"Bola de fogo" cruzou o céu sobre o Mediterrâneo a 105 mil quilómetros por hora

Uma "bola de fogo" atravessou o mar Mediterrâneo e o norte de Marrocos na noite de quarta-feira, a 105.000 quilómetros por hora. A bola de fogo foi observada por um projeto científico espanhol a uma velocidade …

Duterte rejeita que a filha o vá suceder na liderança das Filipinas. "Isto não é para mulheres"

O líder das Filipinas, Rodrigo Duterte, descartou, na quarta-feira, a hipótese de a filha o vir a suceder no próximo ano, acrescentando que a presidência não é tarefa para uma mulher por causa das …

"Uma memória a flutuar no oceano." Encontrada, dois anos depois, uma mensagem numa garrafa

Uma mensagem no interior de uma garrafa sobreviveu a uma viagem de dois anos pelo oceano. Recentemente, chegou às mãos de um ativista ecológico, enquanto limpava uma praia da Papua Nova Guiné. Em novembro do ano …

As células imortais de Henrietta Lacks revolucionaram a Ciência

O ano de 1951 foi muito importante no campo da biotecnologia e, surpreendentemente, tudo começou com a chegada de Henrietta Lacks a um hospital norte-americano. Descendente de escravos, Loretta Pleasant nasceu a 1 de agosto de …

Humanidade não será capaz de controlar máquinas superinteligentes, avisam cientistas

Uma equipa de investigadores do Instituto Max Planck para o Desenvolvimento Humano sugere que seria impossível controlar máquinas superinteligentes. A tecnologia de Inteligência Artificial (IA) continua a evoluir de vento em popa, enquanto alguns cientistas e …

Em 1950, a vacinação em massa salvou a Escócia

Em 1950, Glasgow, na Escócia, viu-se a braços com um surto de varíola e o cenário era muito semelhante ao que vivemos hoje: as autoridades sanitárias tentavam rastrear todos os contactos de pessoas portadoras do vírus, …

Japonês aluga-se a si próprio "para não fazer nada". E tem milhares de clientes

Um homem japonês que ganha a vida a alugar-se a si próprio “para não fazer nada” atraiu milhares de clientes. O negócio começou em 2018. Por 10.000 ienes (cerca de 79 euros) - mais despesas com …

Documentos de vacinas roubados por hackers também foram "manipulados"

A Agência Europeia do Medicamento, entidade reguladora da União Europeia (UE), informou este sábado que os documentos da vacina contra a covid-19 roubados e colocados na Internet por hackers foram também "manipulados". A manipulação aconteceu depois …

Há 11 anos que não se consumia tanta eletricidade num só dia. A culpa é do frio

O país está a bater recordes de energia, tanto em termos de pico como de consumo diário. A culpa é da vaga de frio que assolou Portugal neste Inverno. O consumo de eletricidade bateu, na quarta-feira, …