Airbnb vai deixar de oferecer alojamento nos territórios palestinianos ocupados

Abed Al Hashlamoun / EPA

A Airbnb, a página de aluguer de quartos e casas, principalmente para turistas, vai deixar de listar opções de alojamento nos territórios palestinianos ocupados por Israel.

São mais de 200 ofertas que deixarão de estar disponíveis, disse o Airbnb esta segunda-feira, num comunicado publicado na página oficial.

Há vários anos que a empresa, líder no setor, é acusada de tomar partido no conflito israelo-palestiniano já que cidades como Afrat, Ma’ale ou Tekoa aparecem listadas como pertencendo a Israel quando, de facto, segundo a chamada “linha verde” traçada depois dos acordos para o armistício de 1949, estão dentro de fronteiras palestinianas.

Os colonatos israelitas, que, sob a batuta do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, têm crescido consideravelmente desde 2009, são considerados pela comunidade internacional como uma usurpação de terra palestiniana e são um dos mais sérios entraves às conservações de paz.

“Muitos membros da nossa comunidade mundial são da opinião que não é correto retirar lucros de atividades realizadas em terras de onde um povo tenha sido expulso e concluímos que também o Airbnb deve retirar as opções de alojamento nos territórios ocupados, cerne da disputa entre Israel e a Palestina”, lê-se no comunicado.

Esta decisão chega poucas horas antes da publicação de um relatório de organização de defesa dos Direitos Humanos Human Rights Watch sobre as implicações negativas do negócio do Airbnb nos territórios ocupados e visa funcionar como uma espécie de mecanismo de deflação do mesmo.

Ainda assim, a empresa pode esperar fogo em várias frentes: primeiro dos críticos ao seu modelo de negócio e depois de muitos dos parceiros comerciais que não estão de acordo nem com sanções nem com boicotes económicos a Israel.

Para o ministro do Turismo israelita Yariv Levin, a decisão é “discriminatória” e o seu ministério deverá começar a estudar formas de “limitar a atividade do Airbnb em todo o país”, de acordo com informações do The Guardian.

“Durante dois anos, a Human Rights Watch esteve em conversações com o Airbnb sobre o aluguer de apartamentos na Margem Ocidental na medida em que a lei humanitária internacional o proíbe e que as pessoas com identificação palestiniana nem sequer lá podem entrar”, disse Arvind Ganesan, que analisa o impacto da atividade económica nos Direitos Humanos.

Israel conquistou a Margem Ocidental à Jordânia em 1967, na Guerra dos Seis Dias, em resposta a uma tentativa de invasão por parte de uma coligação árabe. Hoje, mais de meio milhão de cidadãos israelitas vivem em bairros construídos para lá das fronteiras reconhecidas pela comunidade internacional.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Bill Gates é o homem mais admirado do mundo. Ronaldo também está na lista

O cofundador da Microsoft já não é o homem mais rico do mundo, mas continua a ser o mais admirado. Cristiano Ronaldo é o 7.º. Na semana passada, Bill Gates perdeu o lugar que ocupava há …

Volvo vai chamar à oficina mais de 500 mil carros até ao fim do ano

O problema detetado no motor dos carros poderá afetar os automóveis a diesel de quatro cilindros, construídos entre 2014 e 2019, nas marcas V40, o V60, V70, S80 e XC60. A Volvo retirou cerca de 70 …

A baunilha é mais cara do que a prata (e há já quem mate pelo "ouro verde")

A baunilha, que era vendida em 2015 por cerca de 90 euros o quilograma, disparou no ano passado para 535 euros, ultrapassando assim o valor da prata. Esta subida que quase sextuplicou o valor da …

"Nova Expo". 300 milhões para requalificar zona ribeirinha entre Pedrouços e Cruz Quebrada

O projeto que vai requalificar a zona ribeirinha entre Pedrouços e Cruz Quebrada conta com um investimento de 300 milhões de euros. À zona ocidental de Lisboa já lhe chamam de "nova Expo". A zona ribeirinha …

Descoberta imensidão de tesouros arqueológicos ao largo da Galiza. São mais de 1.600 objetos

Trabalhos de arqueologia subaquática ao largo das costas galegas permitiram descobrir nas últimas três décadas um total de 1600 objetos arqueológicos. As peças afundaram-se ao longo dos séculos durante inúmeros naufrágios e ali se foram acumulando. …

27 anos depois, Clã anunciam saída de dois elementos

Mais de um quarto do século após a sua formação, a banda do Porto vê dois dos seus elementos fundadores partirem. Os Clã anunciaram a saída de dois dos seus elementos através de um comunicado publicado …

Reduzir o uso de ar condicionado pode ajudar a salvar vidas

Há muitas pessoas a precisar da ajuda preciosa do ar condicionado para sobreviver a temperaturas cada vez mais altas. Contudo, aquele que pensamos ser o nosso maior aliado pode ser, na verdade, o nosso pior …

Porto vai ter policiamento gratificado em "zonas particularmente sensíveis"

Rui Moreira diz que nos últimos 20 anos não houve investimento na polícia e afirma que o espaço público "não pode ser apropriado por gangues". O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, anunciou esta segunda-feira …

Altos níveis de ferro associados a um menor risco de doença cardíaca

Diferentes níveis de ferro podem ter efeitos dispares na nossa saúde. Uma equipa de cientistas descobriu uma associação entre altos níveis de ferro e um menor risco de doença cardíaca. A tarefa não foi propriamente fácil …

Quénia. Ministro das Finanças preso por suborno e fraude

O Ministro das Finanças do Quénia, Henry Rotich, e vários funcionários do seu ministério foram presos esta segunda-feira por suborno e fraude num projeto de construção de duas barragens que envolve milhões de dólares. Em declarações …