Afinal, não houve pausa no aquecimento global entre 1998 e 2014

Um estudo divulgado na quarta-feira negou a existência de uma alegada pausa no aquecimento global entre 1998 e 2014, confirmando um estudo controverso sobre as temperaturas dos oceanos datado de 2015.

No estudo agora publicado na revista científica Science Advances, os cientistas da Universidade da Califórnia, nos EUA, e da Universidade de York, no Reino Unido, corroboraram os resultados do relatório de 2015 da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA, na sigla em inglês).

O estudo da norte-americana NOAA tinha demonstrado que a teoria de que teria havido um hiato no aquecimento global estava errada, devendo-se apenas a uma alteração do método de medição das temperaturas da superfície do mar, que passou a ser através de boias e não de navios.

Segundo a agência norte-americana, as boias registam temperaturas ligeiramente mais baixas do que os sistemas antigos, baseados em barcos, pelo que a mudança de método tinha escondido algum do aquecimento real entre 1998 e 2014.

A conclusão provocou então a indignação de alguns cientistas, que insistiram ter havido de facto um “hiato no aquecimento global” e de críticos que consideram o aquecimento global uma farsa.

A Câmara dos Representantes, nos EUA, controlada pelo partido Republicano, pediu mesmo aos cientistas da NOAA que fornecessem aos legisladores as suas trocas de correspondência sobre a investigação.

A agência estatal aceitou disponibilizar dados e responder a questões científicas, mas recusou-se a disponibilizar os emails dos autores do estudo, uma decisão aplaudida pelos cientistas, que temiam interferência política.

“Os nossos resultados mostram que essencialmente a NOAA acertou”, disse Zeke Hausfather, autor principal do novo estudo.

Num relatório publicado em setembro de 2013, o Painel Intergovernamental sobre Alterações Climáticas concluiu que o aquecimento global médio entre 1951 e 2012 tinha sido de 0.12 graus centígrados por década, mas entre 1998 e 2012 tinha ficado nos 0,07 graus centígrados, indicando um “hiato no aquecimento global”.

A análise de 2015 da NOAA, ajustada para corrigir o desvio provocado pelas medições com boias, concluiu que não havia um abrandamento detetável no aquecimento nos últimos 15 anos.

No artigo publicado então na revista Science, os cientistas da NOAA escreveram que os oceanos tinham de facto aquecido 0,12 graus Celsius por década desde 2000, quase o dobro da estimativa original de 0,07 graus.

Os novos números levaram a taxa de subida da temperatura do oceano a ficar em linha com as estimativas para os 30 anos anteriores, entre 1970 e 1999.

O novo estudo usa dados independentes de satélites e flutuadores Argo, um sistema mundial de localização e recolha baseado em satélites, assim como de boias.

A temperatura da superfície dos oceanos tem sido reconhecida como um indicador do aquecimento global e os dados recolhidos em diversas medições têm registado consistentemente uma taxa crescente de aquecimento.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Hubble capta a imagem mais nítida do primeiro cometa interestelar confirmado

O Hubble conseguiu captar uma fotografia de 2I/Borisov, o primeiro cometa interestelar até agora detetado, avançou a NASA, que opera o telescópio espacial. De acordo com a nota divulgada pela agência espacial norte-americana, a fotografia …

Alverca 2-0 Sporting | Leões desinspirados afastados da Taça pelo Alverca

O Alverca surpreendeu hoje o Sporting com uma vitória por 2-0, na terceira eliminatória da Taça de Portugal, tornando-se no primeiro grande «tomba-gigantes» da competição ao afastar o atual detentor do troféu. Alex Apolinário, aos 10 …

A Barbie também arrenda casa no Airbnb

A boneca mais famosa do mundo celebra 60 anos. Agora, a empresa que produz a Barbie, a Matel, tornou a boneca uma anfitriã no Airbnb e vai arrendar uma mansão à beira-mar em Malibu, na …

Os primeiros bebés podem nascer no Espaço daqui a 12 anos

A empresa SpaceBorn United pretende realizar missões espaciais entre 24 e 36 horas para que algumas mulheres dêem à luz em órbita dentro de 12 anos. A notícia é avançada pelo fundador e CEO da empresa, …

Japão importou cinco vírus mortais, incluindo Ebola, por causa de Tóquio 2020

Com os Jogos Olímpicos à porta, um laboratório japonês decidiu importar cinco vírus mortais, nomeadamente Ebola, para fazer frente a um eventual surto durante a competição que vai levar ao país mais de 600 mil …

Empresa anónima quer os direitos do seu rosto para construir robôs (e paga 115 mil euros)

Uma empresa privada anónima está a oferecer 115 mil euros pelos direitos de usar o seu rosto numa nova linha de robôs humanóides. A empresa quer usar a imagem para dar uma cara a um robô …

Empresa está a vender vinho (com flocos de ouro) para celebrar o Brexit

Quando o Reino Unido abandonar a União Europeia, uma saída programada para 31 de outubro, é provável que as pessoas celebrem com um vinho especial com flocos de ouro. Para aqueles que querem celebrar a saída …

Neandertais ocuparam ilhas do Mediterrâneo dezenas de milhares de anos antes do que se pensava

Cientistas descobriram provas de que a ilha de Naxos, na Grécia, já era habitada por neandertais há 200.000 anos, dezenas de milhares de anos antes do que se pensava até agora. Um estudo publicado esta quinta-feira …

Testes "bárbaros" em macacos levam ativistas a pedir encerramento de laboratório alemão

Durante meses, um ativista pelos direitos dos animais trabalhou no Laboratório de Farmacologia e Toxicologia (LPT, na sigla inglesa), em Hamburgo, na Alemanha, onde testemunhou situações de violência contra os animais utilizados em testes e …

Próxima cimeira do G7 vai ser num resort de Donald Trump

A próxima cimeira do G7 será realizada num dos clubes de golfe do Presidente norte-americano, Donald Trump, na Florida, e o clima não constará da agenda de trabalhos, disse esta quinta-feira o chefe de gabinete …