Administrador nomeado pelo Estado demitiu-se da Fundação Coleção Berardo. Já há substituto

Homem de Gouveia / Lusa

Joe Berardo

João Neves apresentou à tutela a sua demissão de administrador da Fundação de Arte Moderna e Contemporânea – Coleção Berardo (FAMC) na passada quinta-feira, devido ao processo de guarda do arresto das cerca das mil obras de arte José Berardo que estão no Centro Cultural de Belém (CCB).

No centro da discórdia que levou ao despedimento de João Neves, nomeado como administrador pelo anterior ministro da Cultura, Castro Menezes, está o processo de guarda do arresto das cerca das mil obras de arte José Berardo, das quais 862 integram o acordo do empresário com o Estado, que foram arrestadas no CCB, revelou esta terça-feira o Jornal Económico.

A nomeação de fiel depositário de forma unilateral e contrariando decisão judicial estará na base da demissão do administrador do Estado. Instado a comentar o pedido de demissão, João Neves confirmou ao Jornal Económico que este foi apresentado à ministra da Cultura, Graça Fonseca, na semana passada.

“Confirmo que apresentei a minha demissão no passado dia 12 de setembro por motivos pessoais”, afirmou, escusando-se a avançar quais foram os motivos pessoais que estiveram na base da sua decisão.

Mas o Jornal Económico sabe que em causa está o processo de nomeação do fiel depositário das obras no âmbito do arresto das obras do CCB, concluído em agosto, na sequência do processo judicial interposto pelo Novo Banco, CGD e BCP, para recuperar uma dívida superior a 962 milhões de euros.

Fonte próxima ao processo avançou ao mesmo jornal que por decisão judicial ficou decidido que a FAMC e o Ministério da Cultura teriam que, em conjunto, indicar um responsável pela ‘guarda’ do arresto das respetivas obras.

“De forma unilateral, e contrariando a decisão judicial, a ministra da Cultura decidiu que o responsável pela guarda das obras arrestadas seria o administrador da Fundação de Arte Moderna e Contemporânea-Coleção Berardo, e presidente do CCB, Elísio Summavielle [que também foi nomeado pelo Estado administrador desta]”, indicou a mesma fonte.

E acrescentou que este nome não chegou a ser votado na reunião do conselho de administração da Fundação Coleção Berardo, realizada no início de setembro, pois o nome de Elísio Summavielle não chegou a colher o acordo das partes definidas pelo tribunal.

Segundo o Jornal Económico, a este respeito, a decisão do Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa é clara: “O arresto das obras que se encontrarem no Centro Cultural de Belém será realizado sem a remoção das mesmas e em articulação, na medida do necessário, com o Ministério da Cultura e com a FAMC, nomeando-se para fiel depositário das mesmas a pessoa que estas duas entidades indicarem”.

Esta tarde, Rui Patrício foi escolhido para novo membro do conselho de administração da Fundação de Arte Moderna e Contemporânea – Colecção Berardo (FAMC) nomeado pelo Governo, de acordo com o jornal Público.

Na reunião na primeira semana de setembro, ter-se-á chegado a um consenso sobre o nome a apresentar à ministra da Cultura: Rita Lougares, que exerce desde 2007 funções de elevada responsabilidade no Museu de Arte Moderna.

Desde 2017 Rita Sales é a Diretora Artística do Museu, sendo responsável pela sua programação, coordenação das equipas de conservação, curadoria das exposições da coleção permanente, gestão e coordenação das montagens.

O conselho de administração da Fundação Coleção Berardo é composto por cinco membros: dois nomeados pelo titular da pasta da Cultura no Governo (Elísio Summavielle e João Neves), dois membros nomeados por José Berardo (o advogado André Luiz Gomes e o filho Renato Berardo) e um membro designado de comum acordo entre este e o titular da pasta da cultura (Catarina Vaz Pinto).

Rita Lougares acabou por ser o nome escolhido a apresentar à ministra da Cultura para fazer cumprir a sentença do tribunal. Porém, prosseguiu a mesma fonte, em reunião com o Ministério da Cultura, os administradores da Fundação Coleção Berardo e nomeados pelo Estado naquela fundação (Elísio Summavielle e João Neves) acabaram por ver rejeitada a solução, que respeitaria a vontade do conselho de administração da Fundação.

“A ministra, contrariando a decisão judicial e o nome consensual proposto pelo CA da Fundação, manteve a sua escolha inicial, o nome de Elísio Summavielle, que deveria ficar responsável pelo arresto das obras do CCB e que era ela que decidia e mandava”, realçou a mesma fonte conhecedora do processo.

Não concordando com a posição da ministra, João Neves apresentou a demissão. O Jornal Económico indicou que este antecipou-se à necessidade de não querer perder a sua independência total que, segundo fontes próximas ao administrador demissionário, é uma característica pela qual se pautou ao longo dos seus 51 anos de profissão como advogado.

O mesmo jornal questionou o gabinete da ministra da Cultura, Graça Fonseca, sobre este processo de nomeação do fiel depositário das obras de arte que estão no CCB, mas não obteve resposta em tempo útil.

André Luis Gomes, administrador proposto pelo empresário madeirense para a Fundação Coleção Berardo, também lamentou a demissão de João Neves. “Este administrador nomeado pelo Estado foi, desde sempre, de um enorme rigor no exercício das suas funções, tendo sempre servido lealmente os fins da Fundação de Arte Moderna e Contemporânea, pelo que é com tristeza que soubemos do seu pedido de demissão”.

Já sobre o processo de nomeação do fiel depositário, André Luis Gomes afirmou apenas que “há uma proposta de alguns membros da Fundação que será apreciada em devido tempo”, o que indicia que o nome de Elísio Summavielle ainda não foi votado em conselho de administração da FAMC, apesar de a ministra da Cultura já ter informado o tribunal que este é o fiel depositário das obras que estão no CCB.

Na passada sexta-feira, o Jornal Económico revelou que a Associação Coleção Berardo (ACB), que foi notificada da finalização do arresto das 2.200 obras de arte, cerca de mil, das quais 862 no CCB, e as restantes 1.200 do jardim Bacalhôa Buddha Eden, no Bombarral, e na Aliança Underground Museum, museu nas caves Aliança-Vinhos de Portugal, em Aveiro.

A ACB, proprietária das obras de arte de Berardo, prepara agora a oposição ao arresto e vai contestá-lo na próxima segunda-feira. Fonte próxima a esta associação confirmou ao Jornal Económico que “vai ser ouvida em tribunal e, nessa altura, será o juiz a decidir se o arresto será levantado ou é mantido”.

TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Gabinetes dos novos membros do Governo custam 71 milhões de euros

O novo Governo terá 70 gabinetes no total, que representarão uma despesa anual de, pelo menos, 71 milhões de euros aos cofres públicos, mais sete milhões de euros do que o último. O primeiro-ministro, António Costa, …

Fim do cessar fogo na Síria. Turquia ameaça que milicianos curdos no terreno serão abatidos

O período de cessar-fogo de 120 horas acordado entre a Turquia e os Estados Unidos (EUA) para permitir que as milícias curdas saiam do nordeste da Síria termina esta terça-feira, pelas 19:00 (20:00 em Lisboa), …

Ministro adjunto cabo-verdiano encontrado morto no gabinete

O ministro adjunto do primeiro-ministro de Cabo Verde para a Integração Regional, Júlio Herbert, foi encontrado morto, esta segunda-feira, no seu gabinete, no Palácio do Governo, na Praia, confirmou fonte governamental. Elementos da Polícia Nacional cabo-verdiana …

"Risco de desvio significativo" nas contas do Governo. Bruxelas com reservas sobre esboço do OE2020

A Comissão Europeia (CE) pediu esta terça-feira ao Governo português que apresente uma versão atualizada do projeto orçamental para 2020 “tão cedo quanto possível”, observando que o ‘esboço’ recebido aponta para o risco de um …

Goldman Sachs. Funcionário acusado de divulgar informação em troca de dinheiro

Bryan Cohen, vice-presidente de um dos departamentos do Goldman Sachs, foi acusado de tirar proveito de um esquema que gerou alegadamente cerca de 2,3 milhões de euros em lucros ilegais. Nos últimos 18 meses, dois funcionários …

Encontrada carruagem romana milenar com restos fósseis dos cavalos

Uma equipa de arqueólogos do Museu da Cidade de Vinkovci e do Instituto da Arqueologia de Zagreb, na Croácia, encontrou uma carruagem romanda de duas rodas com os corpos fossilizados de dois cavalos. Os especialistas consideram …

Caos no Chile. Governo anula aumento do preço do metro que iniciou protestos

O Governo do Chile anulou esta segunda-feira o aumento do preço dos bilhetes do metropolitano, depois de a medida ter provocado violentos protestos que se generalizaram no país. Esta terça-feira, com apenas uma linha do metro …

Deputado do PSD apela a Marcelo a que não dê posse a Cabrita até bombeiros receberem pagamentos em atraso

O deputado do PSD Duarte Marques, que costuma tratar dos assuntos da Proteção Civil, apelou esta segunda-feira ao Presidente da República par não dê posse ao ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, enquanto o Estado …

Cientistas "ressuscitaram" o gene que fez nascer a malária

O gene ancestral que fez nascer a doença mais mortal da História foi "ressuscitado" por cientistas, para que lhes fosse possível perceber a série de eventos que levou o parasita da malária a infetar humanos. A …

Governo anuncia acordo para dívida do sistema de ação social dos militares

Os ministérios da Defesa Nacional e das Finanças assinam “até ao final da semana” um acordo para a regularização de dívidas do Instituto de Ação Social das Forças Armadas (IASFA) aos prestadores de saúde, foi …