A tecnologia deixa os humanos com menos atenção que um peixinho

Uma investigação realizada pela Microsoft sugere que o tempo de atenção dos seres humanos já é mais curto que o dos peixinhos dourados – e isso pode ser culpa da tecnologia.

O estudo foi feito no Canadá e envolveu 2 mil pessoas, que responderam a perguntas e participaram em jogos online para avaliar a sua capacidade de concentração.

Os investigadores realizaram também eletro-encefalogramas em outros 112 voluntários canadianos, para monitorizar a sua actividade cerebral.

Segundo a conclusão da pesquisa, a capacidade de concentração dos humanos está a ser reduzida, por culpa dos dispositivos electrónicos portáteis.

No ano 2000, a capacidade de atenção humana era, em média, de 12 segundos.

Em 2013, esta capacidade caiu para 8 segundos – menos 1 segundo do que a capacidade de atenção média estimada pelos cientistas de um peixinho dourado.

Três categorias

Os investigadores fizeram perguntas aos voluntários e pediram que eles participassem em jogos criados para medir a sua capacidade de atenção.

A partir das respostas, os participantes no estudo foram divididos em três categorias: alta, média e baixa capacidade de concentração.

Já os exames de eletro-encefalograma foram realizados enquanto os voluntários usavam vários tipos de media e participavam em actividades diversas.

Os investigadores analisaram quando é que a atenção destes voluntários passava de um assunto para outro.

Na pesquisa, os voluntários que usavam dispositivos digitais mais do que a média tendiam a apresentar mais dificuldades em se concentrar em situações onde a atenção era mais exigida.

“Os canadianos com um estilo de vida mais digital – os que consomem mais media, consultam vários écrans ao mesmo tempo, os entusiastas de redes sociais e os que adotaram a tecnologia mais cedo – têm mais dificuldade em se concentrar em ambientes onde a atenção prolongada é necessária”, dizem os cientistas.

Por quê? “Devido à adrenalina do que é novo“, acrescentam.

Andalib / Flickr

A capacidade de concentração dos humanos está a ser reduzida, por culpa dos dispositivos electrónicos portáteis

A capacidade de concentração dos humanos está a ser reduzida, por culpa dos dispositivos electrónicos portáteis

Os que adoptaram estas tecnologias mais cedo na vida, ou que as usam de forma mais constante, aprenderam com o tempo a permitir que grandes quantidades de informação fossem processadas antes de mudar o foco de atenção para outra coisa.

O resultado é que, nestes casos, o nível alto de concentração aumenta em picos.

“Eles são melhores a identificar os temas com que querem ou não querem envolver-se, e precisam de menos tempo para processar e guardar coisas na memória“, acrescentaram os pesquisadores.

Por outro lado, as pessoas que tendem a usar vários écrans ao mesmo tempo – como os que usam o telemóvel enquanto vêem televisão – tendem a ter dificuldade em filtrar a informação que chega por estes dispositivos digitais.

A notícia tranquilizadora dada pelos autores do estudo é que os nossos cérebros podem estar apenas a adaptar-se às novas tecnologias – e uma capacidade de atenção mais curta pode ser simplesmente um efeito colateral normal.

ZAP / BBC

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Turista danifica escultura do século XIX enquanto posa para fotografia (e é apanhado pelas câmaras de vigilância)

A polícia italiana identificou um austríaco de 50 anos que danificou uma estátua do século XIX num museu em Itália, enquanto posava para uma fotografia. O incidente ocorreu no passado dia 31 de junho, segundo …

Covid-19: Brasil supera as 100.000 mortes

O Brasil ultrapassou hoje a barreira das 100.000 mortes associadas à covid-19, quase cinco meses depois da confirmação do primeiro óbito no país, indicam dados oficiais divulgados pelas secretarias regionais de Saúde. Segundo os mais recentes …

As vacas leiteiras têm relações complexas (que se alteram quando mudam de grupo)

Uma nova investigação levada a cabo por cientistas do Chile e dos Estados Unidos concluiu que as vacas leiteiras vivem em redes sociais complexas que se alteram quando estes animais são movidos para outros grupos.  Para …

Virgin Galactic quer desenvolver avião comercial supersónico (que promete superar a velocidade do som)

A Virgin Galactic vai aliar-se à Rolls-Royce para criar um avião comercial supersónico, ainda mais rápido do que o mítico Concorde. A empresa de turismo espacial Virgin Galactic anunciou uma parceria com a Rolls-Royce para desenvolver …

PayPal resiste à pandemia. Volume de pagamentos cresce 30% no segundo trimestre

O volume de pagamentos através do PayPal cresceu 30% no segundo trimestre. A empresa parece resistir à pandemia de covid-19, que abalou o setor das viagens, cujos pagamentos estão muitas vezes associados a meios eletrónicos. …

Quatro pessoas morreram nos Estados Unidos depois de beberem desinfetante para as mãos

Quatro pessoas morreram nos Estados Unidos depois de ingerirem desinfetante para as mãos à base de álcool, revelou um relatório do Centros de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) do país esta quarta-feira publicado. De …

Jim Hackett deixa a Ford após três anos de liderança

Ao fim de três anos como CEO da Ford, Jim Hackett será substituído por Jim Farley. Um mandato que fica marcado por problemas financeiros, de produção e pela morte dos três volumes e utilitários. O mandato …

Covid-19: Portugal tem mais 186 casos e quatro pessoas morreram desde sexta-feira

Portugal regista hoje mais quatro mortos e 186 novos casos de infeção por covid-19 em relação a sexta-feira, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde. De acordo com o relatório da DGS sobre a situação …

Versão americana da Eurovisão chega em 2021

O Festival Eurovisão da Canção — o maior espetáculo de entretenimento televisivo do mundo — vai chegar aos Estados Unidos no final do próximo ano. A novidade foi divulgada, esta sexta-feira (7), em comunicado oficial. A …

Contratações na TVI após apoios financeiros "suscitam preocupação"

O professor universitário e ex-ministro Miguel Poiares Maduro manifestou "preocupação" relativamente às contratações na TVI, da Media Capital, grupo que beneficia do apoio do Estado, através da compra antecipada de publicidade institucional. Em entrevista à Lusa, …