A mais recente equipa de anúncios da Amazon é o pior pesadelo da Meta

A gigante do comércio eletrónico está a iniciar uma nova divisão de anúncios locais que poderá ser uma ajuda para as pequenas empresas e um golpe para as concorrentes.

O crescente negócio publicitário da Amazon já está a aumentar em dezenas de biliões de dólares anualmente, e parece que esse número está prestes a aumentar.

A gigante do comércio eletrónico começou a contratar uma equipa de Anúncios Locais, uma jogada que provavelmente irá marcar alguns dos seus maiores concorrentes (Facebook e Google), segundo a Insider.

A Amazon está a encarregar esta equipa de trabalhar ao lado de pequenas empresas de anúncios na cidade — do tipo que fazem anúncios para lojas locais de mãe e pai ou cadeias locais mais pequenas, o tipo de anúncios que se veria num jornal local.

A Insider relata uma grande quantidade de vagas de emprego em cidades como Nova Iorque e Chicago para uma nova equipa de “Anúncios Locais”, bem como entrevistas com funcionários da Amazon. Em anúncios como este, a Amazon chama ao esforço “uma oportunidade rara de se juntar a um negócio start-up” dentro da equipa de Anúncios da Amazon, e ajudará a “criar um novo negócio e um fluxo de receitas para a Amazon Advertising”.

O negócio publicitário da Amazon constitui uma pequena fatia das receitas gigantescas da empresa, mas essa fatia está a tornar-se cada vez maior.

Há pouco mais de um ano, a empresa disse aos investidores que a sua “Outra” unidade — da qual os anúncios são uma parte importante — estava a lucrar cerca de 7 mil milhões de dólares por trimestre.

Depois, em 2022, a Amazon anunciou no seu primeiro relatório sobre os anúncios que, só em 2021, conseguiu mais de 31 mil milhões de dólares.

Para colocar estes valores em perspetiva, os lucros dos anúncios da Amazon em 2021 valeram mais de seis vezes o que a plataforma do Twitter conseguiu nesse ano.

O negócio publicitário da Amazon é suficientemente grande para que a maior parte dos analistas tenham parado de falar sobre o “duopólio” publicitário Google-Meta e a substituí-lo pelo o “triopólio” Google-Meta-Amazon, uma vez que os números da Amazon estão a atingir rapidamente o calibre destas outras gigantes.

A equipa de Anúncios Locais está a fazer concorrência a estas duas empresas. Neste momento, a comercialização primária na plataforma — para desgosto do comprador médio da Amazon — são resultados de pesquisa patrocinados.

Os espaços publicitários estão a tornar-se cada vez mais caros de comprar, o que significa que quando se está a procurar algo como “pasta de dentes”, está provavelmente a obter resultados patrocinados da Crest e da Colgate, em vez de uma marca mais pequena.

As marcas mais pequenas optam por outras plataformas — muitas vezes da Meta, como o Facebook ou o Instagram — para fazer essa publicidade.

A Meta está consciente de que estas pequenas empresas dependem fortemente das suas plataformas, e gosta de utilizar esse facto como uma “arma” contra as concorrentes, ou apela à regulamentação por parte dos legisladores.

No início do ano passado, a empresa até lançou uma campanha publicitária própria, para lembrar às pessoas que as pequenas empresas dependem dos anúncios do Facebook para chegar aos clientes.

Assim, quando a Amazon diz que vai visar anunciantes locais mais pequenos com este novo departamento, não se trata apenas de uma proposta para iniciar uma nova ala de negócios para a empresa, e não é apenas um sinal de que a Amazon procura cortejar os milhões de pequenas empresas que ainda estão em terreno movediço na paisagem pós-pandémica. É também um tiro para as suas concorrentes.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.