700 médicos sem vaga de acesso à especialidade pelo segundo ano consecutivo

Este ano, 700 jovens médicos não vão ter vagas para fazer a formação especializada, repetindo assim o cenário do ano passado.

O cenário do ano passado repete-se. Este ano foram abertas 1665 vagas para 2341 médicos candidatos no concurso do internato médico o que, segundo a Associação Nacional de Estudantes de Medicina (ANEM) “deixa quase 700 médicos sem acesso à especialidade”.

Segundo o mapa de vagas, publicado esta quinta-feira pela Administração Central dos Serviços de Saúde (ACSS), voltam a ficar de fora da especialidade algumas centenas de médicos, impedidos assim de começar a formação especializada em 2019.

Esta falta de vagas não é um problema novo. No ano passado, estava previsto ficarem sem acesso à especialidade mais de 700 médicos, já que existiam 2466 médicos para 1758 vagas.

Psiquiatria foi a especialidade que perdeu mais vagas, comparando os dois mapas, tendo passado de 73 em 2017 para 53 este ano. Anestesiologia ou Radiologia ganharam vagas, cada uma com mais dois lugares no próximo ano. Analisado o mapa deste ano, há 1189 vagas em hospitais, 462 em unidades de medicina geral e familiar e 44 em saúde pública.

A ANEM lamenta, em comunicado, “que se continue a promover em Portugal a formação de médicos indiferenciados e consequentemente o comprometimento da capacidade de proteção dos doentes e a degradação da qualidade e sustentabilidade do Serviço Nacional de Saúde”.

Para a Associação Nacional dos Estudantes de Medicina é necessário planeamento e investimento além de não continuar a formar médicos acima da capacidade de integração.

“Um médico sem especialidade é um médico que não completou a sua formação clínica. É um médico que viu as suas legítimas expectativas defraudadas por um sistema que, ao não mudar estas políticas, está a servir mal os doentes”, diz Edgar Simões, presidente da associação.

A ANEM já entregou ao Governo uma proposta para a resolução do desfasamento que passa pela redução do ‘numerus clausus’ de uma forma gradual, destacando o excesso de alunos nas faculdades e a falta de vagas para formação especializada.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Tudo tem de ser proporcionalmente equilibrado. Quando houve o boom de professores é evidente que não podiam existir colocações para todos. Na Bélgica, por exemplo, se houver um boom de prostitutas, nem todas vão ter clientes para os serviços. Ao criar as 700 vagas extra na especialidade médica, outro setor teria de ser reduzido.

RESPONDER

Scarlett Johansson é a atriz mais bem paga do mundo

Scarlett Johansson é a atriz mais bem paga do mundo, de acordo com uma lista divulgada pela Forbes esta sexta-feira. É o segundo ano consecutivo que a norte-americana figura no primeiro lugar. Pelo segundo ano consecutivo, …

Divórcio chega ao Espaço. Astronauta acedeu à conta da ex-mulher a partir da EEI

A NASA está a investigar aquele que pode ser o primeiro crime cometido no espaço. Uma astronauta acedeu à conta bancária da ex-mulher a partir da Estação Espacial Internacional. A astronauta Anne McClain é acusada de …

Portimonense 1-3 Sporting CP | Raphinha dá vida a visão de Bruno

O Sporting assumiu a liderança da Liga NOS, ao arrancar uma vitória por 3-1 no terreno do Portimonense. Raphinha foi o herói da partida ao apontar dois golos. Num jogo que teve um arranque louco, com …

Psicólogos revelam o que pensam as outras pessoas das suas selfies

Uma experiência com centenas de utilizadores do Instagram descobriu que aqueles que publicam muitas selfies são vistos como menos amigáveis, bem-sucedidos, extrovertidos e também mais inseguros. "Mesmo quando dois feeds têm conteúdo semelhante, como conquistas ou …

Descoberta em Alenquer uma das maiores muralhas do país do Calcolítico

Arqueólogos portugueses e espanhóis descobriram em Alenquer uma muralha monumental, uma das maiores do país do período Calcolítico, com quatro a cinco mil anos, após terem realizado este mês as primeiras escavações. A uma altitude de …

Minas americanas continuam inseguras apesar de multas de mil milhões de dólares

O veredito é dado pela sistema federal que multa as empresas mineiras: nem os mais de mil milhões de dólares em multas se revelaram suficientes para desencorajar as práticas inseguras do setor. Esta foi a conclusão …

Ainda há esperança. Corais do Atlântico reproduziram-se pela primeira vez em laboratório

Este é um avanço histórico que poderia ajudar a salvar corais em todo o mundo, incluindo o ameaçado recife da Flórida, nos Estados Unidos. O Aquário da Flórida, nos Estados Unidos, conseguiu que o coral Dendrogyra …

Cientistas descobrem a melhor maneira de ensinar uma nova língua a crianças

As pessoas muitas vezes assumem que as crianças aprendem novas línguas facilmente e sem esforço, independentemente da situação em que se encontram. Mas será verdade que as crianças absorvem linguagem como esponjas? Estudos mostraram que as …

Cientistas descobrem que as mantas gostam de socializar e de fazer amigos

Embora já tenham sido consideradas criaturas solitárias, um novo estudo descobriu que as mantas formam relações sociais e escolhem parceiros sociais. De acordo com o IFLScience, uma equipa de cientistas estudou mais de 500 grupos sociais …

Planta que não se reproduzia há 60 milhões de anos no Reino Unido revivida pelas alterações climáticas

Há 60 milhões de anos que as cicas não se reproduziam no Reino Unido. Agora, com a subida das temperaturas devido às alterações climáticas, fizeram-no pela primeira vez. As cicas são plantas lenhosas muito parecidas com …