Pode haver até quatro triliões de naves alienígenas a voar perto da Terra

1

ESA / M. Kornmesser / European Southern Observatory

Impressão de artista do primeiro asteróide interestelar: `Oumuamua.

O professor de Harvard Avi Loeb, conhecido por defender que a primeira rocha espacial interestelar observada no nosso sistema solar podia ser uma nave alienígena, acredita que pode haver até quatro triliões a voar perto da Terra.

Na altura, Loeb defendeu ainda que as outras hipóteses apresentadas não tinham em conta todas as características conhecidas do misterioso objeto e criticou a arrogância da comunidade científica.

Em outubro de 2017, o astrónomo canadiano Robert Weryk descobriu, com o telescópio Pan-STARRS1, do Observatório Haleakala, no Havai, um objeto estranho, alongado e do tamanho de um campo de futebol a viajar pelo Sistema Solar a 315 mil quilómetros por hora, puxado por uma força invisível sem explicação.

O objeto foi mais tarde apelidado Oumuamua – “Mensageiro das Estrelas”, em havaiano – e os cientistas acreditam que pode ter sido o primeiro visitante de fora do Sistema Solar a ser observado diretamente.

Agora, num novo estudo que ainda não foi revisto pelos pares, Loeb e Carson Ezell, também astrónomo de Harvard, previram quantos objetos semelhantes ao Oumuamua poderão viajar pelo Espaço, concluindo que podem ser 4.000.000.000.000.000.000.000 (ou quatro triliões) só no nosso Sistema Solar.

No artigo, citado pelo Interesting Engineering, os autores indicaram que é possível “utilizar taxas recentes de deteção de objetos interestelares e capacidades conhecidas para estimar a densidade de objetos semelhantes na vizinhança solar”.

Basearam os seus cálculos nos quatro objetos interestelares que até agora foram observados: o Oumuamua; dois meteoros interestelares denominados CNEOS 2014-01-08 e CNEOS 2017-03-09; e o cometa interestelar Borisov. Também tiveram em conta a nossa capacidade limitada de observar o Sistema Solar.

Loeb e Ezell chegaram a duas estimativas. A primeira calculou o número de objetos interestelares que provavelmente voam à volta do nosso Sistema Solar, fora do alcance dos nossos instrumentos. Eles estimaram que existem 40 mil sextiliões desses objetos.

A estimativa menor, de quatro triliões, refere-se ao número desses objetos que poderiam voar em direção à “zona habitável” do nosso sistema solar, mais perto do  Sol – o que significa que os astrónomos têm uma maior probabilidade de os observar. Loeb e Ezell notaram que as dimensões destes objetos variam.

Há vários anos que Loeb tem defendido que os avistamentos de OVNIs devem ser investigados com o mesmo rigor científico que qualquer outro fenómeno relacionado com o espaço.

Em 2021, o professor de Harvard fundou o Projeto Galileo, que visa construir uma rede global de telescópios e câmaras com o objetivo de captar imagens de alta definição de um OVNI. Recentemente, Loeb afirmou que poderíamos ver tal imagem “dentro de dois anos”.

  ZAP //

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.