2016 foi o ano mais quente desde 1880

ABr

-

A temperatura média na superfície terrestre e oceânica em 2016 foi a mais alta desde 1880, no terceiro ano consecutivo de recordes do aquecimento global, anunciou hoje a agência dos Estados Unidos para a atmosfera e os oceanos.

“Durante 2016, a temperatura média na terra e nos oceanos esteve 0,94 graus Celsius acima da média do século XX” que foi de 13,9 ºC, refere a Administração Nacional para os Oceanos e a Atmosfera (NOAA, na sigla em inglês) no seu relatório anual sobre o clima global.

O ano passado foi o mais quente desde 1880, quando começaram os registos, ultrapassando o último recorde, atingido em 2015, e cada um dos primeiros oito meses de 2016, até agosto, registaram as temperaturas mais elevadas.

O relatório da NOAA acrescenta que desde o início do século XXI o recorde de temperatura global anual aumentou cinco vezes – em 2005, 2010, 2014, 2015 e 2016.

A extensão de gelo oceânico nos polos continua em regressão e no Ártico, no inverno, foi registada a mais pequena extensão pelo segundo ano consecutivo, enquanto na época do degelo foi registada a área mais pequena desde que existem registos, com uma regressão do gelo semelhante à ocorrida em 2007.

Na Antártida, no inverno, a extensão do manto de gelo oceânico foi a décima mais baixa e no degelo foi registado o nono mínimo em termos de área coberta de gelo.

Para a Europa, 2016 foi o terceiro ano mais quente, depois do pico de 2014 e do segundo lugar de 2015, ou seja, os últimos três anos tiveram as mais altas temperaturas dos últimos 107 anos.

E no último inverno europeu, entre dezembro de 2015 e fevereiro de 2016, a temperatura média apresentou igualmente um recorde de alta.

Para situações contrárias, de picos de frio, há somente registo no leste da Ásia, na China e Hong Kong.

Na superfície terrestre, em 2016, a temperatura ficou 1,43 ºC acima da média do século XX, com o nível mais alto desde 1880, ultrapassando, assim, o anterior recorde registado em 2015.

Quanto aos oceanos, a temperatura ficou 0,75 ºC acima da média do século passado, ligeiramente superior ao anterior pico, atingido em 2015.

O último mês do ano foi o terceiro dezembro mais quente desde 1880.

O Acordo de Paris sobre redução de emissões de gases com efeito de estufa, alcançado em dezembro de 2015 e que entrou em vigor em 4 de novembro de 2016, estabelece compromissos da comunidade internacional para limitar o aquecimento global a um máximo de 2ºC acima dos valores médios da era pré-industrial.

A generalidade dos estudos científicos considera que se a temperatura global aumentar para valores mais de 2ºC acima dos existentes antes da revolução industrial provocará alterações climáticas severas e irreversíveis.

Lusa // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Ai ZAP… ai ZAP… vocês ainda não aprovaram o meu último comentário na notícia «Cientistas avisam que “O dia depois de amanhã” pode tornar-se real»… e já lançaram outra “bomba”… 🙂

RESPONDER

Cavaco Silva volta a estar ausente das cerimónias do 25 de Abril

O ex-Presidente da República já informou que não vai marcar presença na cerimónia comemorativa dos 47 anos do 25 de Abril, este domingo, no Parlamento, por continuar "a respeitar as regras sanitárias". Fonte oficial do gabinete …

No dia da Terra, os líderes mundiais juntaram-se para "passar à ação"

A Casa Branca organizou uma Cimeira de Líderes sobre o Clima, que decorre de forma virtual e durante dois dias. Começou esta quinta-feira, dia em que se comemora o Dia da Terra, e junta cerca …

Detido em Itália homem que terá fornecido arma ao autor do atentado de Nice em 2016

Um homem que teria fornecido uma arma ao autor do atentado com um caminhão na cidade francesa de Nice, em 14 de julho de 2016, foi detido na Itália, anunciaram na quarta-feira vários veículos de …

"Invisibilidade" do LGBTI nos Censos é alvo de críticas

A Associação ILGA Portugal - Intervenção Lésbica, Gay, Bissexual, Trans e Intersexo e o Bloco de Esquerda estão a criticar os Censos 2021 devido à ausência de perguntas relacionadas com identidade de género, o que …

Rússia vai dar início à retirada de tropas perto da fronteira com a Ucrânia

A Rússia anunciou que vai iniciar, esta sexta-feira, a retirada das suas tropas concentradas perto da fronteira com a Ucrânia e na Crimeia anexada, referindo que os exercícios foram concluídos. "As tropas demonstraram a sua capacidade …

KPMG desconhecia problemas no BESA que justificassem reserva às contas

A KPMG Portugal afirmou, numa carta enviada à comissão de inquérito do Novo Banco, que desconhecia factos no BES Angola que pudessem levar a uma opinião com reservas às contas do BES. A KPMG Portugal desconhecia …

Ferro Rodrigues está "perfeitamente de acordo" com Marcelo sobre enriquecimento ilícito

O presidente da Assembleia da República (AR) concorda com o Presidente quanto à urgência de melhorar a lei contra o enriquecimento ilícito e diz que isso pode ser feito sem pôr em causa princípios constitucionais. Numa …

Índia regista subida drástica de infeções e mortes. EUA com 200 milhões de vacinas tomadas

O número de novas infeções pelo coronavírus dispararam na Índia, com a falta de preparação do Governo e a forma como a pandemia tem sido gerida apontadas como causas para a subida dos casos e …

Técnicos de diagnóstico. Depois de mais uma coligação da oposição, Executivo avalia o que fazer

Depois de mais uma coligação da oposição, o Governo "está a avaliar" o que irá fazer em relação à aprovação das mudanças na carreira de Técnico Superior de Diagnóstico e Terapêutica.  De acordo com o semanário …

Diretor de Finanças de Lisboa está em substituição desde 2015. Já ultrapassa tempo de comissão de serviço

Fernando Lopes, a maior estrutura regional da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT), é diretor da Direção de Finanças de Lisboa em regime de substituição desde março de 2015. Quando a então diretora regional, Helena Borges, foi …