“13 Reasons Why” ligada a aumento de suicídios entre jovens nos EUA

(dr) Netflix

Um novo estudo concluiu que a série 13 Reasons Why está associada ao aumento de 28,9% nos índices de suicídio entre crianças e adolescentes nos Estados Unidos em abril de 2017, o mês seguinte à estreia do programa da Netflix.

A investigação foi realizada em conjunto por diversas universidades e hospitais dos Estados Unidos e o Instituto Nacional de Saúde Mental (INSM) e levou em conta as tendências de variação nas taxas de suicídio no país.

A INSM é uma das instituições que compõem a agência Institutos Nacionais de Saúde, ligada ao Departamento de Saúde e Serviços Humanos do governo americano e a principal responsável na administração federal por pesquisas nas áreas de saúde e biomedicina.

O estudo, publicado na revista Journal of the American Academy of Child and Adolescent Psychiatry, mostrou que o número de mortes por suicídio em abril de 2017 superou o registado em qualquer outro mês durante o período de cinco anos analisado.

Ao individualizar os índices de acordo com o sexo da vítima, foi notado um aumento significativo entre homens jovens no mês seguinte à estreia. Houve um crescimento entre o sexo feminino, mas foi considerado estatisticamente insignificante.

“Os resultados devem servir de alerta de que os jovens são especialmente sensíveis ao que é exibido pelos media“, disse Lisa Horowitz, cientista do INMS e autora do estudo. “Todos os profissionais, inclusive dos media, devem preocupar-se em serem construtivos e cuidadosos ao lidar com temas relacionados a crises de saúde pública.”

À BBC, a Netflix disse estar a analisar os resultados do estudo. “É um tema de extrema importância e temos trabalhado muito para assegurar que estamos a lidar de maneira responsável com esta questão sensível”, informou a empresa em nota.

Segundo a companhia, o estudo contradiz outro realizado pela Universidade da Pensilvânia e divulgado na semana passada. De acordo com a investigação em questão, estudantes que assistiram a toda a segunda temporada da série estavam menos propensos a considerar o suicídio.

3ª maior causa de morte entre jovens americanos

A primeira temporada de 13 Reasons Why foi para o ar em 31 de março de 2017. Ela conta a história de uma adolescente que se suicida e deixa 13 gravações que explicam os motivos pelos quais o decidiu fazer. A segunda temporada foi lançada em maio de 2018, e uma terceira está em produção.

O programa foi bem recebido pela crítica e celebrado por promover a consciencialização sobre questões que afetam os jovens, como violação, bullying e autoflagelação. Mas também gerou um debate em torno da forma como retratou o suicídio e os efeitos disso sobre o público jovem.

O suicídio é a terceira maior causa de morte entre jovens americanos com idades entre 10 e 24 anos. São registados cerca de 4.600 casos por ano, de acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças, principalmente entre vítima dos sexo masculino.

Um outro estudo recente, realizado por investigadores da Áustria, da Bélgica e dos EUA, concluiu que, entre estudantes que assistiram a toda a segunda temporada, relatos de que pensavam em infligir ferimentos em si próprios ou em suicidar-se eram menos frequentes. Os cientistas concluíram que isto aconteceu porque o assunto era tratado abertamente pelos personagens do programa.

Ao mesmo tempo, estudantes que pararam de assistir a temporada a meio eram menos otimistas em relação ao seu futuro e tinham mais probabilidades de cometer suicídio. Os cientistas dizem que isto ilustra como a série pode ter simultaneamente efeitos positivos e negativos sobre os espetadores.

ZAP ZAP // BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Benfica vai apresentar queixa por ameaças de morte a Vieira e vandalismo

O Benfica vai avançar com queixas devido às ameaças de morte ao presidente do clube em tarjas colocadas nas imediações do Estádio da Luz, mas também pela vandalização de várias casas benfiquistas. Segundo o jornal online …

Submarino civil transparente pode levá-lo ao local do naufrágio do Titanic

A Triton, uma empresa com sede na Florida, fabrica submarinos civis de última geração há mais de uma década. Agora, vai fazer nascer o Triton 13000/2 Titanic Explorer, que para além de oferecer aos passageiros …

Catorze detidos nos novos protestos em Barcelona a favor de Pablo Hasél

Pelo menos 14 pessoas foram detidas pela polícia catalã, este sábado, durante os distúrbios que se seguiram a mais uma manifestação em Barcelona a reclamar a libertação do rapper Pablo Hasél. Segundo o jornal Público, pelo …

Procuradores avançam para tribunal contra nomeações de chefias

O Conselho Superior do Ministério Público (CSMP) está envolvido numa nova polémica, depois do concurso que culminou na indigitação de José Guerra para a Procuradoria Europeia. Segundo avança o Jornal de Notícias, este domingo, um concurso para …

A partir de segunda-feira, eletrodomésticos vão ter novas etiquetas energéticas

As organizações não-governamentais ambientalistas saúdam as novas etiquetas energéticas, que entram em vigor esta segunda-feira, mas pedem “mais atenção” ao consumidor e “maior rapidez” na reclassificação de “mais produtos”. Em comunicado, a cooligação Coolproducts, um grupo …

Depois do balde de água fria da pandemia, Israel vai ficar melhor do que nunca. Tudo pelos turistas

Israel está fechado em casa e viajar para este país não faz parte dos planos de muitas pessoas. No entanto, este período de acalmia pode mesmo ser o melhor momento para planear uma viagem - …

Menos 1,3 milhões de consultas nos hospitais e menos 151 mil cirurgias em 2020

No ano em que a pandemia chegou a Portugal, houve menos 151 mil cirurgias e menos 1,3 milhões de consultas nos hospitais públicos. A covid-19, que chegou a Portugal a 2 de março de 2020, obrigou …

Várias escolas de Tóquio pedem "certificados de cabelo real" aos alunos

As escolas japonesas são conhecidas pela sua rigidez relativamente à aparência dos seus alunos, tanto que os estudantes que não seguem o padrão de "cabelo liso e preto" têm de apresentar provas. Dados divulgados, esta semana, …

UE estima normalidade nas vacinas daqui a duas semanas. Orbán recebeu vacina chinesa

A União Europeia (UE) estima que dentro de duas a três semanas "tudo vai funcionar normalmente" na produção e distribuição de vacinas nos Estados-membros. Entretanto, o primeiro-ministro húngaro já foi vacinado (mas com uma vacina …

"Os dados de milhões de pessoas estão em risco", alertam denunciantes da Amazon

Denunciantes da Amazon alertam que os dados de milhões de pessoas estão em risco devido à falta de preocupação da empresa com a cibersegurança. A par da Google, Apple, Microsoft e Facebook, a Amazon é uma …