Numa visita a Paris em 2018, Trump levou obras de arte da residência do embaixador dos EUA

Stefani Reynolds / EPA

Fortemente criticado por se recusar a ir a um cemitério militar durante uma viagem a França em 2018, Donald Trump reservou um tempo para selecionar objetos de arte da casa do embaixador norte-americano em Paris, causando uma mistura de “divertimento e espanto” na comitiva, revelou a agência Bloomberg.

“O Presidente trouxe essas belas obras históricas, que pertencem aos americanos, de volta aos Estados Unidos para serem expostas na casa do povo”, a Casa Branca, confirmou no domingo à AFP Judd Deere, um dos porta-vozes do executivo.

Durante esta visita a França para celebrar os 100 anos do fim da Primeira Guerra Mundial, o líder republicano cancelou a visita a um cemitério perto de Paris para homenagear soldados norte-americanos que morreram em combate, alegando que as más condições meteorológicas impossibilitavam a sua presença.

Um artigo de quinta-feira na revista Atlantic disse que o milionário simplesmente não estava interessado e chamou os militares mortos “tolos” e “perdedores”. A Casa Branca, no entanto, nega firmemente.

A omissão em França deu a Trump “seis horas de tempo livre na residência do embaixador”, uma mansão francesa conhecida como Hôtel de Pontalba, no 8.º arrondissement de Paris, onde muitas obras de arte estão em exibição, explica a Bloomberg.

No dia seguinte, “Trump queria várias obras (…) e, na hora, pediu que fossem retiradas e levadas a bordo do Air Force One”, o avião presidencial, segundo jornalistas que citam várias fontes anónimas. Entre as obras estão um busto e um retrato de Benjamin Franklin, assim como um conjunto de estatuetas.

O Presidente norte-americano mais tarde brincou que seu embaixador poderia recuperar as peças “em seis anos”, depois de um segundo mandato que ele busca nas eleições de 03 de novembro, de acordo com a Bloomberg.

“O incidente foi visto com uma mistura de divertimento e espanto na época, mas causou dor de cabeça aos funcionários da Casa Branca e do Departamento de Estado”, continuou o artigo. Depois de uma “furiosa troca de e-mails”, a transferência foi considerada legal, “já que as obras pertencem ao governo dos Estados Unidos”.

O valor das peças foi inicialmente estimado em 750 mil dólares. Mas, segundo a Bloomberg, um especialista posteriormente declarou que as estatuetas eram “falsas” e que o busto e o retrato de Franklin eram réplicas.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Vulcão, La Palma

O Cumbre Vieja também tem negacionistas. "É tudo orquestrado"

Nos últimos dias, as redes sociais têm-se tornado o palco dos "negacionistas dos vulcões" que defendem que, por trás da erupção do Cumbre Vieja, há mão humana. Nas redes sociais já há negacionistas do vulcão Cumbre …

Selecção da Lituânia falhou os Mundiais porque...chegou atrasada

Per Strand venceu, António Morgado ficou em sexto, mas os ciclistas da Lituânia acabaram por marcar a prova de estrada de juniores, nos Mundiais em Flandres. Per Strand Hagenes é o novo campeão mundial júnior de …

Gil Vicente 1-2 Porto | Dragão canta de galo com dois golaços

Foi sofrer até ao fim. Sérgio Conceição tinha alertado que não seria fácil bater o Gil Vicente e foi isso que ocorreu na noite desta sexta-feira em Barcelos. O FC Porto apenas a um minuto dos …

Na II Guerra Mundial, um erro "humilhante" destruiu dois imponentes navios de guerra da Marinha Real

No dia 10 de dezembro de 1941, os japoneses afundaram os imponentes Prince of Wales e Repulse. A culpa foi do almirante Thomas Phillips que, na sequência de um "erro humilhante", acabou também por falecer. Winston …

O robô Atlas, da Boston Dynamics, faz parkour (e até dá um mortal para trás)

O Atlas é, sobretudo, um projeto de investigação: um robô que ajuda os engenheiros da Boston Dynamics a trabalhar em melhores sistemas de controlo e perceção. O parkour é um verdadeiro desafio para os seres humanos, …

Na Tailândia, um "cemitério" de táxis foi transformado numa horta sobre rodas

Desde pimentos a pepinos, beringelas e até mangericão. Num parque de estacionamento ao ar livre em Banguecoque, os táxis abandonados transformam-se em hortas para alimentar os trabalhadores. A pandemia de covid-19 obrigou os táxis de Banguecoque …

Morreu o "último nazi" canadiano, aos 97 anos

Um ucraniano que serviu como tradutor no regime nazi morreu na quinta-feira na sua casa, em Ontário, no Canadá, encerrando uma luta de décadas para deportá-lo e acusá-lo de cúmplice no assassinato de dezenas de …

No Sri Lanka, elefantes traficados foram resgatados. Mas voltaram às pessoas que os compraram ilegalmente

Um tribunal do Sri Lanka devolveu elefantes resgatados a pessoas influentes que foram acusadas de os terem comprado ilegalmente. Durante alguns anos, elefantes selvagens permaneceram na corda bamba de uma intensa batalha de custódia judicial entre …

Sporting 1-0 Marítimo | Porro volta a decidir de penálti

Que sofrimento! É normal ver os “grandes” dominarem por completo os seus adversários, mas nesta partida entre Sporting e Marítimo, em Alvalade, praticamente só houve uma equipa a atacar e a procurar o golo. Ainda assim, …

A falhar pagamentos e com 260 mil milhões de dívida - como é que a Evergrande chegou até aqui?

A situação da imobiliária chinesa Evergrande, que tem uma dívida maior do que a economia portuguesa, está a deixar o mundo ansioso sobre uma eventual repetição da história da crise de 2008, que começou com …