Viktor Orbán consegue terceira maioria absoluta consecutiva na Hungria

Európa Pont / Flickr

O primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orban

O primeiro-ministro húngaro foi reeleito para o terceiro mandato consecutivo e o seu partido, Fidesz, renovou a sua folgada maioria no Parlamento, segundo resultados parciais divulgados pelo Departamento Nacional Eleitoral.

Quando estão contados 84,7% dos votos, o Fidesz e o seu aliado, o pequeno Partido Democrata-Cristão, conquistaram 133 dos 199 assentos parlamentares, o mínimo necessário para uma maioria de dois terços.

O partido Jobbik, da direita nacionalista, classificou-se em segundo lugar, com 26 mandatos, ao passo que a coligação de esquerda liderada pelo Partido Socialista ficou em terceiro lugar, com 20 lugares.

Espera-se que apenas mais dois partidos, a Coligação Democrática do ex-primeiro-ministro Ferenc Gyurcsany e o partido ecologista Politics Can Be Different, ultrapassem a barreira dos 5% de votos necessários para obter assento parlamentar.

Viktor Orban ganhou o seu quarto mandato, no total, numa plataforma que demoniza abertamente os migrantes que tentam entrar na Europa.

Os partidos da oposição temiam que mais uma grande maioria permitisse ao líder autocrático impor alterações constitucionais com mais facilidade, continuar a reprimir grupos civis que alega trabalharem contra os interesses do país e fortalecer ainda mais o seu controlo sobre a altamente centralizada estrutura do poder do Estado.

Orban insistiu muito na campanha eleitoral nas políticas inflexíveis anti-imigração, alegando que a oposição estava a cooperar com as Nações Unidas, a União Europeia e o filantropo George Soros para transformar a Hungria num “país imigrante”, ameaçando a sua segurança e identidade cristã.

“A democracia húngara é forte. Além de uma elevada participação, o país terá um parlamento forte e legítimo”, declarou o líder do grupo parlamentar do Fidesz, Gergely Gulyas.

A influência do Governo na comunicação social foi flagrante na emissão do canal de notícias M1 da televisão pública, onde peças salientando os efeitos negativos da imigração dominaram a programação.

No Origo.hu, um site que era independente e é agora propriedade de aliados do Governo, foram publicadas reportagens para promover Orban, também centradas nos efeitos nefastos da imigração, com manchetes como “Gangues de migrantes lutam em Inglaterra”, “Na Suécia, já não aguentam mais: Estão fartos de migrantes” e “Migrante em cuecas espanca reformado alemão quase até à morte”.

As incertezas quanto à margem da vitória de Orban deviam-se, em parte, ao complexo sistema eleitoral da Hungria, em que os eleitores votam não só num candidato individual da sua região, como também numa lista partidária.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Bolsonaro usa vídeo de caça a baleias na Dinamarca para criticar Noruega

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, usou um vídeo de caça à baleia para atacar a Noruega, país que suspendeu os apoios à preservação da Amazónia, mas as imagens utilizadas são das Ilhas Faroé, da Dinamarca. "Vejam …

Rússia cria comissão para investigar "ingerência estrangeira" na política interna

Criação de uma comissão para investigar a "ingerência estrangeira" na política interna da Rússia acontece depois de várias manifestações contra Putin, que Moscovo diz mostrarem envolvimento ocidental. A câmara baixa do parlamento russo anunciou esta segunda-feira …

Novo planeta gigante detetado a orbitar estrela que dista 63,4 anos-luz da Terra

O novo planeta tem uma massa cerca de três mil vezes maior do que a da Terra e orbita a sua estrela a uma distância quase três vezes superior à que separa o Sol do …

Inaugurada em Lisboa clínica dentária gratuita para jovens até os 18 anos

A Santa Casa da Misericórdia abriu esta terça-feira, em Lisboa, uma clínica de saúde oral, com consultas grátis para todas as crianças e jovens até os 18 anos, que vivam ou estudem dentro do concelho. O …

Família mais rica do mundo enriquece a quatro milhões de dólares por hora

Desde o último boletim de riqueza que a Bloomberg publicou, em junho do ano passado, no seu ranking das famílias mais ricas do mundo, a fortuna dos Walton cresceu 39 mil milhões de dólares, para …

Espanha. PSOE rejeita proposta "inviável" do Podemos para coligação

O Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) rejeitou nesta terça-feira a proposta do Unidas Podemos para uma coligação fovernamental, que considera "inviável", e convidou a plataforma de esquerda a encontrar "outras fórmulas" que facilitem a governabilidade …

Ex-Presidente do Sudão admite ter recebido mais de 80 milhões da Arábia Saudita

O antigo Presidente do Sudão, que foi deposto em abril após vários meses de protestos, começou a ser julgado esta segunda-feira por corrupção. O julgamento por corrupção do ex-Presidente do Sudão, Omar al-Bashir, começou esta segunda-feira e, …

Hong Kong. Funcionário do consulado britânico desaparece após enviar mensagem à namorada a pedir para rezar por ele

A 08 de agosto, Simon Cheng Man-kit, de 28 anos, estava a regressar a Hong Kong depois de ter estado na cidade chinesa Shenzhen. No momento em que, a bordo de um comboio de alta …

Open Arms. Procurador siciliano ordena apreensão do navio e desembarque imediato dos ocupantes

Luigi Patronaggio, o procurador da cidade de Agrigento, na Sicília, ordenou esta terça-feira a apreensão do navio Open Arms e o desembarque imediato dos quase 100 migrantes africanos que este levava a bordo. O jurista, que …

Jovens suspeitos de três homicídios filmaram um “testamento final” com o telemóvel antes de se suicidarem

Bryer Schmegelsky e Kam McLeod, os dois jovens de 18 e 19 anos suspeitos de três homicídios no Canadá e que foram encontrados mortos após duas semanas em fuga, terão filmado um “testamento final” com …