Os trabalhadores que não conseguem pagar rendas: “Tenho um emprego, mas não tenho casa”

Uma em cada 200 pessoas na Grã-Bretanha dorme nas ruas ou em acomodações temporárias – como albergues e pousadas -, de acordo com uma análise da instituição de caridade Shelter. Mas, apesar de não ter um lar, uma percentagem significativa dessas pessoas tem emprego.

Geralmente, conseguir um emprego é a solução apontada para tirar as pessoas das ruas. Mas a realidade não é bem assim. Num discurso sobre o combate aos sem-abrigo, a ex-primeira-ministra britânica Theresa May disse que lidar com esse problema “é mais do que apenas arranjar acomodação. O principal é garantir que as pessoas possam trabalhar e receber e não se encontrar nessa situação”.

Um emprego, contudo, nem sempre oferece um caminho para sair da pobreza e muitas pessoas que estão a trabalhar continuam a enfrentar a insegurança habitacional, noticiou o Phys Org.

A análise da Shelter revelou que 55% das famílias em acomodações temporárias têm trabalho e que o aumento da falta de moradia para os trabalhadores está a ser impulsionado por uma combinação de alugueres caros, o congelamento contínuo dos benefícios habitacionais e uma falta crónica de moradias sociais.

Uma nova pesquisa do Phys Org revelou as experiências de 18 trabalhadores sem-abrigo ou em risco de ficarem sem casa no país de Gales, na qual descobriram que os mesmos perderam as suas casas por vários motivos, incluindo despejo, fim de relacionamentos e o término de contratos de arrendamento de curto prazo.

De acordo com a pesquisa, os entrevistados esforçaram-se para arcar com os custos iniciais de um novo arrendamento – depósitos e taxas das agências. Mas os baixos salários acabaram por não lhes permitir arrendar. E, mesmo os que o podiam fazer, eram muitas vezes discriminados pelos proprietários, que não aceitavam inquilinos que recebiam subsídio de habitação.

Opções limitadas

Segundo os entrevistados, permanecer no trabalho enquanto sem-abrigo “é muito desafiador”. Um dos inquiridos contou sobre a dificuldade em se manter apresentável, visto não ter um local onde possa lavar as roupas.

O local de trabalho também pode limitar as opções de moradia das pessoas, pois encontrar um alojamento acessível a uma curta distância é outros dos desafios. Assim como as condições dos locais de arredamento temporário, que nem sempre são as adequadas.

Muitos participantes, relatou o Phys Org, sentiam que estavam por conta própria. E, sem outras opções, alternavam entre dormir nas ruas, nos sofás de conhecidos e em carros ou caravanas. Outros optam por acomodações inadequadas: “Encontramos uma casa, mas não é adequada. Sem aquecimento central e com humidade, o meu filho tem asma”, relatou um dos entrevistados.

Outro dos participantes endividou-se para ter acesso a uma acomodação permanente. Enquanto livrou-se da ameaça imediata de falta de moradia, vive agora numa casa que não pode pagar.

Como destacou a pesquisa, ter simplesmente um emprego não é uma solução direta para os sem-abrigo. Caso o Reino Unido pretenda, de facto, resolver essa situação, outras questões mais amplas têm que ser solucionadas, como a baixa remuneração, o trabalho temporário e inseguro e falta de moradias mais acessíveis, concluiu o Phys Org.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Estados Unidos vão transformar aeronaves obsoletas em "aviões arsenal"

Os Estados Unidos preparam-se para transformar algumas das suas maiores e mais obsoletas aeronaves em "aviões arsenal", que funcionarão como plataformas repletas de armas, revelaram fontes do Governo norte-americano. Foi em 2016 que esta ideia veio …

Imperador japonês paga 25 milhões de dólares por ritual secreto para dormir com deusa

Este ritual de sucessão do Imperador Naruhito aconteceu na quinta-feira e envolve dormir com uma deusa do Sol. O templo é construído para o efeito e é destruído depois. O ritual japonês altamente secreto conhecido como …

Para entrar nesta praia italiana, vai ser preciso pagar (e nem todos podem entrar)

Aos pés de uma antiga aldeia de pescadores, La Pelosa é uma atração turística muito célebre. Por isso, a autarquia decidiu tomar medidas para a proteger. A famosa praia tem sido uma vítima da erosão natural …

Laurent Simons será o mais novo licenciado do mundo. Tem 9 anos

O belga Laurent Simons tem apenas 9 anos e estás prestes a bater um recorde: em dezembro, deverá tornar-se o mais novo licenciado do mundo. O "menino prodígio", tal como é apontado pelos média internacionais, ingressou …

Preços dos passes Navegante ficam iguais em 2020

Os preços dos passes Navegante vão manter-se iguais em 2020, no âmbito da estratégia de “promoção da utilização dos transportes públicos coletivos”, anunciou esta sexta-feira a Área Metropolitana de Lisboa (AML). “A Área Metropolitana de Lisboa …

Os burros-táxi de Espanha vão ter horários de trabalho, estábulos novos e deixar de carregar turistas de 80 quilos

Os burros táxis são uma atração turística de Mijas, província de Málaga, no sul de Espanha. Agora foram definidas novas regras que têm em conta os direitos e o bem-estar dos animais. O serviço funciona como …

Vai ser preciso "ser-se rico" para visitar a famosa Ilha de Komodo

Em breve, os turistas que queiram visitar a Ilha de Komodo, o famoso lar de mais de 5.000 dragões de Komodo, terão de ser ricos. O aviso é do Governo local indonésio, que chegou mesmo …

Sócrates saúda saída da prisão de Lula. "Sei que estás em festa, pá"

O antigo primeiro-ministro José Sócrates, acusado de corrupção, considerou que a saída da prisão de Lula da Silva representou uma "reentrada no mundo" do ex-chefe de Estado brasileiro, acontecimento em relação ao qual o PS, …

Ministra da Justiça visitou mãe que abandonou bebé no lixo

A mãe que abandonou o bebé no caixote do lixo em Lisboa está bem de saúde e a receber apoio psicológico, constatou a ministra da Justiça, que esta sexta-feira visitou a jovem na cadeia de …

Ex-embaixadora dos EUA na Ucrânia acusa Trump de intimidação

Marie Yovanovitch, antiga embaixadora dos Estados Unidos na Ucrânia, denunciou esta sexta-feira a existência de uma campanha para a descredibilizar levada a cabo por Donald Trump com ajuda de ucranianos, no inquérito para a destituição …