O planeta Terra já foi uma “bola de neve” gigante

NASA

Durante vastas eras de gelo há milhões de anos, a Terra esteve coberta em gelo. As condições na “Terra Bola de Neve”, como os cientistas referem, tornaram o planeta num lugar completamente diferente.

Naquela época as condições climáticas eram “tão severas que toda a superfície da Terra, de polo a polo, inclusive os oceanos, congelou completamente“, de acordo com Melissa Hage, cientista e ambientalista do Colégio Oxford da Universidade de Emory.

Os cientistas acreditam que há entre 750 milhões e 580 milhões anos, a Terra passou por três ou quatro períodos de glaciação, quando quase toda ou toda a superfície do planeta esteve coberta de gelo, e que cada um deles durou aproximadamente 10 milhões de anos. Os analistas estimam que, durante estes períodos, a temperatura global tenha diminuído em média até -50ºC.

Segundo eles, isto ocorreu, provavelmente, porque todas as massas terrestres do planeta se encontravam no equador ou numa zona próxima, o que desencadeou um processo de meteorização, ou seja, a decomposição de minerais e rochas na superfície da Terra.

Por sua vez, este processo levou à diminuição dos níveis de dióxido de carbono na atmosfera, de tal forma que, sem gases de efeito estufa, o ciclo da água se deteve. Tudo junto acabou causando um arrefecimento global.

“Uma vez que os oceanos polares começaram a congelar, uma maior quantidade de luz solar refletiu-se nas superfícies brancas e o arrefecimento intensificou-se”, comentou.

Os especialistas consideram que os vulcões continuaram a emitir dióxido de carbono para a atmosfera durante os períodos de glaciação, aquecendo o planeta durante o tempo suficiente para que se renovasse o ciclo da água. A temperatura global aumentou e o processo de meteorização seguinte ajudou a controlar os níveis de dióxido de carbono na atmosfera.

Quando a Terra aqueceu e saiu da sua fase de congelação intensa, durante um período de tempo bastante “curto” – aproximadamente 40 milhões de anos – ocorreu a explosão de vida, o surgimento súbito e a rápida diversificação de organismos no início do período Cambriano.

De acordo com Hage, é improvável que, no futuro, a Terra volte ao seu estado de “bola de neve”. “Inclusive com invernos extremos, formar-se-iam placas de gelo continentais, o que deteria a meteorização continental e permitiria que o dióxido de carbono se acumulasse na atmosfera, dando lugar ao aquecimento em vez de uma congelação descontrolada”, rematou a cientista.

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Uma decomposição de minerais por os continentes se encontrarem no Equador? A decomposição de minerais leva a menos CO2 na atmosfera?
    O Startrek tem ciência mais credível que este artigo

  2. A cada dia aparece uma nova versão do que teria sido o passado do nosso planeta e todas elas diferentes de maneira que desta forma poucas ou nenhumas serão credíveis e isto mais parece pareceres de bruxaria.

RESPONDER

Há uma nova pista no misterioso caso do desaparecimento de Emanuela Orlandi

Foram encontradas ossadas de dezenas de pessoas numa cripta junto aos túmulos abertos no Vaticano em busca de Emanuela, mas estes ossários deviam estar vazios. Foram encontrados milhares de ossos numa cripta que se pensava estar …

Raros crocodilos prosperam perto de uma central nuclear nos Estados Unidos

Os canais junto da central nuclear de Turkey Point, localizada a 40 quilómetros da cidade de Miami, no estado norte-americano da Flórida, tornaram-se o lar perfeito para centenas de crocodilos americanos (Crocodylus acutus). De acordo com …

Francisco Ramos defende seguro público complementar de saúde

Francisco Ramos defende a criação de um seguro público complementar que assegure a cobertura das áreas em que os portugueses mais gastam dinheiro. O secretário de Estado adjunto e da Saúde, Francisco Ramos, defende que é …

Cada vez mais pessoas trocam telemóveis iPhone para Android

A Apple sempre foi reconhecida pela lealdade dos consumidores à marca. No entanto, recentemente, essa tendência tem-se invertido e, cada vez mais, as pessoas procuram marcas concorrentes. O conceito de lealdade à marca traduz o compromisso …

Jovem chinês desaparecido há 18 anos foi encontrado graças a uma aplicação de reconhecimento facial

Foi encontrado na China um jovem que estava desaparecido há 18 anos, graças a uma aplicação semelhante à FaceApp, com tecnologia de envelhecimento facial. Segundo noticiou o Jornal de Notícias na segunda-feira, Yu WeiFang foi separado …

Agricultores entre as novas profissões de residente não habitual a pagar menos IRS

Arquitetos, designers ou geólogos são excluídos e dão lugar a agricultores e trabalhadores qualificados da agricultura na nova lista de atividades do residente não habitual. Agricultores e profissões das ciências e engenharia, de nível intermédio, passam …

Espião francês, cúmplice de Latifa, ajuda a esclarecer a fuga da princesa Haya

Hervé Jaubert afirma que Haya terá descoberto que o Emir do Dubai aprisionou a sua filha Latifa, depois desta ter tentado fugir, e teve medo que o mesmo lhe acontecesse. A fuga da princesa Haya, sexta …

"Muitos americanos vão saber pela primeira vez o que diz o relatório Mueller"

O ex-procurador especial, que se encarregou de investigar as alegadas ligações da equipa do Presidente norte-americano com a Rússia vai, esta quarta-feira, ao Congresso explicar mais uma vez o que diz o seu relatório. A visita …

Tinder, drogas e álcool. Há uma revolução silenciosa em marcha no Irão

Sem esperança no amanhã e desiludida com os líderes do país e com a República Islâmica, a juventude iraniana transgride as apertadas regras religiosas do país, numa postura desafiante que se faz na "sombra" e …

Costa esteve em 15 debates quinzenais, membros do Governo em 233 audições

O balanço provisório da quarta e última sessão legislativa da legislatura revela que o primeiro-ministro esteve presente em 15 debates quinzenais na Assembleia da República, órgão onde foram realizadas 233 audições a membros do Governo. António …