Suecos fazem “festas do implante” para se transformar em ciborgues

Já era noite em Estocolmo quando um grupo de oito pessoas chegou ao Swahili Bobs, um estúdio de tatuagens nos becos escuros do bairro de Sodermalm.

Durante o dia são empresários de tecnologia, estudantes, web designers e consultores de TI, mas naquela noite seriam transformados em ciborgues.

Pode parecer o início de um romance de ficção científica, mas é um relato de acontecimentos reais, protagonizados pelo biohacker Hannes Sjoblad, aquilo que ele chama de “festa do implante“.

Durante o encontro acompanhado pela BBC, que aconteceu no final de novembro , oito voluntários receberam implantes com um pequeno chip de identificação por rádiofrequência (RFID) sob a pele da mão. Sjoblad também tem um.

O plano é conseguir até 100 voluntários nos próximos meses, com 50 implantes já realizados, mas a sua visão para o futuro é muito maior.

“Vamos chegar a mil, depois a 10 mil. Estou convencido de que essa tecnologia veio para ficar e, em breve, não vamos achar estranho ter implantes nas nossas mãos.”

Portas abertas

Sjoblad encontra voluntários nas redes sociais e em comunidades de hackers na Suécia – pessoas que estão habituadas a “brincar” com a tecnologia.

Por agora, o chip implantado na mão atua somente como interface de segurança, permitindo que os utilizadores abram as portas de casa sem a chave. Para fazer isso, no entanto, é preciso comprar fechaduras novas, que atualmente são caras.

Com um uma pequena adaptação para smartphones Android, o implante também consegue desbloqueá-los. Mas há potencial para muito mais funções.

“Acho que estamos apenas a começar a descobrir o que podemos fazer com isso. O chip tem um potencial muito grande para registar toda a vida de uma pessoa”, diz Sjoblad.

“Com as aplicações para registar exercícios e hábitos alimentares que as pessoas estão a usar, é preciso escrever tudo o que come ou para onde vai. Em vez de inserir os dados no meu telemóvel, posso ler o meu implante e o aparelho saberá que estou, por exemplo, a ir dormir.”

Sjoblad vai mais além: “Imagine que os sensores no ginásio conseguem reconhecer, por exemplo, quem está a segurar um haltere através do chip na sua mão”.

“Vivemos a explosão da Internet das coisas – logo haverá sensores à minha volta que me permitam registar as minhas atividades”, acredita.

Homem e máquina

Cada vez mais, as fronteiras entre humanos e máquinas vão-se esbatendo. Pessoas que perdem membros já recebem novos membros biónicos, cada vez mais sofisticados. Ninguém acha estranho ter um quadril artificial ou fazer uma cirurgia a laser para corrigir problemas na visão.

No ano passado, o Google lançou lentes de contato que podem monitorizar os níveis de glicose de utilizador, numa tentativa de fornecer diagnósticos mais rápidos e melhores para diabéticos.

Os acessórios – desde relógios inteligentes a dispositivos como a pulseira Up, que recolhe dados sobre a atividade física do utilizador – tornam-se cada vez mais sofisticados ao monitorizar uma série de funções corporais, desde os batimentos cardíacos e o consumo de calorias até os padrões de sono.

Mas algumas empresas já pensam além disso, como é o caso da BioStamp, uma tatuagem digital desenvolvida pela empresa americana MC10, que pode ser estampada diretamente no corpo e recolhe dados sobre a temperatura corporal, os níveis de hidratação, a exposição a raios UV e outros. Assim como acontece com outros acessórios, os dados podem ser enviados para smartphones.

MC10

Biostamp da MC10

Biostamp da MC10

Outra empresa americana, a Proteus, criou uma pílula com um sensor embutido, que funciona em conjunto com uma espécie de autocolante usado na pele e, quando engolida, pode medir uma série de funções corporais.

“Estas coisas já existem, a verdadeira questão é se podem funcionar melhor na nossa pele ou dentro de nós – e uma das grandes vantagens é que não podemos esquecê-las em casa, como um telemóvel ou uma pulseira”, diz David Wood, diretor do grupo London Futurists, que debate cenários radicais para os próximos 40 anos.

Wood considera que os implantes ainda não estão prontos para o grande público, mas acredita que este é o momento perfeito para um debate sobre o tema.

“Anos atrás havia muito medo das vacinas e agora parece perfeitamente normal injetar células em nosso corpo. Trata-se de um exemplo primitivo de biohacking”, afirma.

Hannes Sjoblad também espera que a sua “festa do implante” gere um debate sobre o nosso possível futuro como ciborgues.

“A ideia é tornar-se uma comunidade, é por isso que fazemos os implantes em grupo. As pessoas ficam unidas pela experiência e começam a fazer perguntas sobre o que significa ser homem e máquina“, diz.

Para aqueles que decidem deixar de ser ciborgues, o procedimento que Sjoblad realiza para implantar os chips é reversível e dura apenas cinco minutos.

Mas o biohacker não pretende remover o seu. “O implante é divertido, é algo que faz as pessoas meterem conversa e abre discussões interessantes sobre o que é ser humano. Não serve só para abrir portas“. Mas também.

ZAP / BBC

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns ao revisor do site. Esta reportagem foi vinculada em dezenas de sites e até agora apenas vocês corrigiram o “mais” da frase “Mais algumas empresas já pensam além disso.”

  2. Esta sim, vai ser a “marca da besta”. Mesmo bom, melhor que um RFID debaixo da pele para controlar tudo o que fazemos não há!
    O Orwell é que já a sabia toda!… Até parece que era bruxo.

RESPONDER

Venezuelanos acordam com menos zeros nas suas contas e o país paralisado

Os venezuelanos acordaram hoje com menos zeros nas suas contas bancárias devido à reconversão monetária que se iniciou esta segunda-feira por ordem do Governo, que também decretou o dia como não laboral, razão pela qual …

Pelo menos 13 mortos em sismo nas ilhas indonésias de Lombok e Sumbawa

Pelo menos 13 pessoas morreram na sequência de vários sismos que abalaram as ilhas indonésias de Lombok e Sumbawa, indicou um novo balanço das autoridades locais. O sismo de magnitude 6,9 na escala Richter foi um …

"Vergonha e arrependimento". Papa escreve carta a condenar abusos sexuais

O Papa Francisco publicou, esta segunda-feira, uma carta dirigida a todos os católicos do mundo, condenando o crime de abuso sexual por parte de padres e o seu encobrimento e exigindo responsabilidades. A carta do Papa …

Autópsia confirma que Pedro Queiroz Pereira sofreu um enfarte

A autópsia realizada a Pedro Queiroz Pereira confirma que terá sido um ataque cardíaco que fez o empresário português cair de uma escada com oito degraus. A autópsia realizada esta segunda-feira  que Pedro Queiroz Pereira sofreu …

"Propaganda norte-coreana". Varoufakis, Galamba, PSD e Bloco criticam vídeo de Centeno

O ministro das Finanças e presidente do Eurogrupo está a ser fortemente criticado, da esquerda à direita, pelo vídeo, partilhado esta segunda-feira, no qual aborda a saída da troika da Grécia, depois de oito anos …

Polícias de elite da PSP convocados para trabalhar nas obras

Operacionais da Unidade Especial de Polícia (UEP) da PSP estão a ser chamados para colaborarem como voluntários nas obras de remodelação da messe localizada na Quinta das Águas Livres, em Belas, Sintra. Segundo o Correio da …

Portugueses são dos que menos gastam em viagens turísticas

Os portugueses são dos cidadãos europeus que menos gastam em deslocações de turismo, ao desembolsar em média 136 euros por viagem turística, menos de metade da média da União Europeia, de 336 euros, revelam dados …

Ex-diretor da CIA admite recorrer à Justiça contra Donald Trump

O ex-diretor da CIA John Brennan admitiu neste domingo recorrer à Justiça, depois de o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, lhe ter cancelado o acesso a informação confidencial e à Casa Branca. “Se esse é …

Trabalhadores da CGD em greve contra a perda de privilégios

O novo Acordo de Empresa que a Administração da Caixa Geral de Depósitos (CGD) pretende implementar está a gerar revolta entre os trabalhadores e já levou à convocação de uma greve para sexta-feira, 24 de …

Asia Argento terá pago a jovem ator que a acusou de assédio sexual

A atriz e realizadora italiana terá pago 380 mil dólares para silenciar um jovem ator e músico que a acusa de assédio sexual quando tinha apenas 17 anos. Asia Argento foi uma das primeiras mulheres da …