Rússia quer tornar Rota do Mar do Norte “navegável todo o ano” para competir com canal de Suez

1

M.Hoppmann / Alfred Wegener Institute

A Rússia investirá 274 mil milhões de rublos (3,1 mil milhões de euros) para tornar a Rota do Mar do Norte, que liga o Oceano Pacífico ao Atlântico através das águas russas do Ártico, navegável durante todo o ano.

Segundo um relatório da agência France-Presse, citado pelo Digital Journal, Moscovo pretende que o projeto fique finalizado em 2030, destacando o facto de que esta passagem é muito mais curta do que a rota pelo Canal de Suez.

A France-Presse avançou que a Rússia quer aumentar o tráfego atual de 33 milhões de toneladas de carga para 80 milhões, em 2024, e para 160 milhões, até 2035. O Canal de Suez permite a passagem de mil milhões de toneladas de carga por ano.

A rota será desenvolvida pela empresa estatal de energia atómica Rosatom.

Além de desenvolver a Rota do Mar do Norte, a Rússia quer explorar a região do Ártico, à medida que a cobertura de gelo diminui.

“A região do Ártico tem um potencial enorme”, explicou o vice-primeiro-ministro russo, Alexander Novak, no início de setembro. “Em termos de recursos, estamos a falar de 15 mil milhões de toneladas de petróleo e 100 triliões de metros cúbicos de gás. O suficiente para dezenas, senão centenas de anos”, sublinhou.

Para realizar as suas ambições, a Rússia utilizará quebra-gelos. A Rosatom pretende construir quatro embarcações movidas a energia nuclear nos próximos cinco anos, custando cada uma mais de 338 milhões de euros.

  Taísa Pagno //

1 Comment

  1. O clima vai a estar com eles para tal ambição, o pior é estar contra noutras situações e com um grau bem mais abrangente!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE