Pai do Android acusado de abuso sexual. Saiu da Google com 79 milhões

(cv)

O caso remonta a 2014, quando Andy Rubin, fundador do Android, saiu da Google. Contudo, na quinta-feira, foram reveladas as verdadeiras razões para o afastamento de Rubin da gigante tecnológica.

O que não se sabia até agora: Andy Rubin foi afastado depois de a Google ter investigado uma denúncia de assédio sexual feita por uma funcionária da empresa e de ter concluído que as acusações eram credíveis.

A mulher, com quem Rubin tinha um caso, disse que o criador do Android a forçou a realizar sexo oral num quarto de hotel em 2013. Rubin não foi, no entanto, despedido: saiu da empresa com uma compensação de 79 milhões de euros, revelou na quinta-feira o The New York Times.

Andy Rubin foi um dos três executivos que o Google protegeu na última década depois de serem acusados de má conduta sexual. Em dois casos, expulsou executivos seniores, mas suavizou o golpe, pagando-lhes milhões, apesar de não ter obrigação legal de o fazer. Num terceiro caso, o executivo permaneceu num cargo altamente remunerado.

O jornal norte-americano obteve documentos corporativos e judiciais e conversou com executivos e funcionários do Google, atuais e antigos. A maioria pediu para permanecer  anónima, por estarem vinculados a acordos de confidencialidade ou temerem represálias por se manifestarem.

Em resposta ao The New York Times, Andy Rubin negou ter forçado a mulher em causa, acrescentando ainda que as acusações vinham da sua ex-mulher. “Estas falsas acusações fazem parte de uma campanha feita pela minha ex-mulher para me rebaixar durante o divórcio e batalha pela custódia”.

A reação da Google

Esta quinta-feira, após a publicação do artigo pelo jornal norte-americano, a gigante tecnológica enviou um comunicado a todos os funcionários da empresa. No documento, o responsável diz que nos últimos dois anos foram despedidas 48 pessoas, incluindo 13 executivos de topo, devido a denúncias de abuso sexual na empresa.

O presidente executivo da Google diz que “foi difícil” ler a história do New York Times e garante que a Google está empenhada em garantir “um ambiente de trabalho seguro e inclusivo”.

“Queremos assegurar-vos que investigamos todas as denúncias de abuso sexual ou conduta imprópria e estamos a agir para as resolver”, acrescentou o CEO da empresa, Sundar Pichai, citado pela BBC.

Também a vice-presidente de operações da Google, Eileen Naughton, fez a mesma garantia, dizendo que a empresa tem levado cada vez mais a sério o assédio. “Investigamos e tomamos medidas, incluindo o despedimento”, disse. “Nos últimos anos, adotámos uma postura particularmente rígida quanto à conduta inadequada de pessoas em posições de autoridade”.

O homem que vale 300 milhões de euros

Andy Rubin juntou-se à Google em 2005, quando a empresa adquiriu a Android por 44 milhões de euros. Nos anos seguintes, ajudou a desenvolver o Android, o software agora usado em 80% dos smartphones do mundo.

Rubin, que conheceu a mulher na Google, teve casos com outras mulheres da empresa enquanto estava casado, disseram quatro pessoas que trabalharam com o executivo.

Em 2011, Rubin teve um relacionamento consensual com uma mulher da equipa do Android. O departamento de recursos humanos não foi informado, apesar de as regras exigirem a divulgação dessa informação.

Rie Rubin, agora ex-mulher de Andy Rubin, alega que o marido teve vários casos com outras mulheres durante o casamento, pagando-lhes centenas de milhares de euros. O casal divorciou-se em agosto.

Em 2011, Rubin foi nomeado vice-presidente sénior da Google e começou a receber cerca de 18 milhões de euros por ano. Já em 2012, a gigante tecnológica emprestou 12 milhões a Rubin, com juros abaixo de 1%, para que este pudesse comprar uma propriedade de praia no Japão.

Na altura, Rubin iniciou uma relação com uma mulher que conheceu na Android. Em 2013, a amante queria terminar a relação, mas teve medo que isso pudesse afetar a sua carreira. Foi esta a mulher que alegou que Rubin a forçou a sexo oral num hotel.

A mulher esperou até 2014 antes de apresentar queixa ao departamento de recursos humanos da Google, altura em que a empresa começou a investigação. Em setembro de 2014, algumas semanas após o inquérito, o conselho do Google concedeu a Rubin uma doação de ações no valor de 131 milhões de euros.

Em outubro, Andy Rubin começou a negociar a sua saída da empresa. Quando a Google despede funcionários em cargos menor, normalmente estes saem imediatamente e com uma pequena ou nenhuma indemnização.

Mas para executivos seniores é diferente, uma vez que um processo de rescisão sem justa causa poderia significar uma atenção indesejada dos media, resultando em perdas significativas.

A Google pagou 79 milhões de euros ao criador do Android. O pacote foi estruturado de forma a que o executivo recebesse 2 milhões de euros por mês nos dois primeiros anos e 1 milhão por mês nos dois anos seguintes.

O acordo de separação impediu Andy Rubin de trabalhar com concorrentes e de criticar a Google publicamente. A empresa esforçou-se por fazer a saída parecer amigável, através de um comunicado público de Larry Page, CEO da empresa, elogiando o trabalho de Rubin e desejando-lhe sorte no futuro.

Depois disso, o Google investiu na Playground Global, uma empresa que Rubin lançou seis meses depois de sair. Além disso, o programador fundou a Essential, fabricante de smartphones Android.

Em novembro do ano passado, depois de o The Information ter informado que a Google tinha investigado Andy Rubin por ter tido um relacionamento inadequado, o norte-americano tirou uma licença da Essential, tendo entretanto regressado à empresa.

A riqueza de Rubin, impulsionada pela Google, aumentou 35 vezes em menos de uma década. De acordo com a ação da sua ex-mulher, o seu património líquido é agora de 300 milhões de euros, em comparação com os 8 milhões de 2009.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Sinceramente, gente desta natureza, deveria ser castrada. Desculpem o extremismo, mas as lesões que provocam na vítimas, são marcas indeléveis para o resto da vida. Chocante Insano. …

    • Estou completamente de acordo.

      O que acho estranho, são estas denúncias ao fim de anos… sobretudo quando, entretanto, o tipo “vale” 300 milhões…

  2. Gosto imenso de ler os vossos artigos, no entanto acho que deviam ter um pouco mais de atenção aos erros gramaticais e à correcção das palavras, por vezes torna-se difícil entender o significado das frases.
    Obrigado

  3. o que acho encrivel as pessoas acreditar tanto quem faz queixa de violações, pucha como a tanta queixa, como o dinheiro faz movimentar tantas vitimas, quando da geito o sexo é feito e feito sem contar as vezes, é como a quela americana que fez queixa de violação sexual e no mesmo mês foi a casa do acusado mais que uma vez, vitimas de violações pode haver, mas oportunismo são muito mais..

RESPONDER

Porto 5 - 0 Moreirense | Días, Taremi e Fábio, o trio maravilha

O Porto foi o primeiro dos “grandes” a entrar em campo e deu o mote, e que mote. Os “dragões” receberam o Moreirense e golearam sem apelo nem agravo, por 5-0, graças a uma segunda …

Ronaldo volta a marcar pelo United em jogo com final frenético

O português Cristiano Ronaldo voltou hoje a marcar pelo Manchester United, mas foram Lingaard e David de Gea que ‘brilharam’ na vitória sobre o West Ham, por 2-1, em jogo da quinta jornada da Liga …

O Cumbre Vieja, num dos complexos vulcânicos mais ativos nas Canárias, entrou em erupção

O vulcão Cumbre Vieja, na ilha espanhola de La Palma, entrou hoje em erupção na zona de Las Manchas, depois de mais de uma semana em que foram registados milhares de sismos na região. Na zona, …

Portugal regista 677 novos casos de covid-19 e cinco mortes

Portugal registou, este domingo, 677 novos casos e cinco mortes na sequência da infeção por covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde, Portugal …

Estudo mostra como diferentes espécies de polvos coexistem no mesmo ambiente

Existem mais de 300 espécies de polvos a viver em diversos habitats que abrangem recifes de coral, leitos de ervas marinhas, planícies de areia e regiões de gelo polar. Mas de que forma cefalópodes tão …

As máquinas estão "muito longe" de serem mais inteligentes (mas muito perto de agir como pessoas)

A especialista em inteligência artificial Daniela Braga considera que as máquinas estão "muito longe" de substituírem totalmente os humanos ou serem mais inteligentes, mas estão "muito perto" de interagirem como as pessoas. "Acho que estamos muito …

Secreto e lucrativo, o mercado de venda de "fezes de cachalote" pode também ser violento

O âmbar cinza é altamente raro, mas também altamente valioso. Usada na indústria dos perfumes, o mercado deste material pode ser muito perigoso. Deixa na pele uma resina oleosa e tem um cheiro a tabaco, madeira, …

Empresa norueguesa garante que pode "parar" furacões antes que estes se tornam destrutivos

Especialistas ambientais advertem que o sistema de "cortina de bolhas" proposto pela empresa pode provocar efeitos indesejados. A OceanTherm, uma startup norueguesa, assegura que a sua nova tecnologia pode evitar que as tempestades tropicais se tornem …

Afeganistão: Familiares consideram "insuficientes" pedido de desculpas dos EUA

Familiares dos civis afegãos mortos por "engano" durante um ataque de um avião não tripulado 'drone' norte-americano no final de agosto em Cabul consideraram este sábado "insuficiente" o pedido de desculpas de Washington, numa entrevista …

Descoberta de pegadas fossilizadas em Espanha revela a existência de um "berçário" de elefantes

Pegadas fossilizadas foram encontradas numa praia no sul da Espanha e mostram o que pode ter sido o berçário de uma espécie extinta de elefantes. O local costeiro, situado na região de Huelva, estava normalmente coberto …