Pegadas pré-históricas pintam um raro retrato do comportamento de humanos em grupo

Engare Sero, na Tanzânia.

Centenas de pegadas pré-históricas encontradas na Tanzânia pintam um raro retrato do comportamento de humanos antigos em grupo. As pegadas ficaram gravadas no solo pelas cinzas vulcânicas.

Quando se trata de reconstruir como é que as criaturas antigas viveram, os paleontólogos são tanto detetives quanto cientistas, já que é especialmente difícil reconstruir comportamentos antigos.

As pegadas pré-históricas são uma fonte notável e preciosa de evidências para o comportamento e a biologia de organismos antigos, capturando um retrato das suas vidas. Num novo artigo publicado na semana passada na revista Nature Scientific Reports, uma equipa de cientistas documentou e interpretou um local no norte da Tanzânia chamado Engare Sero, onde centenas de pegadas humanas foram preservadas em cinzas vulcânicas há milhares de anos.

É a coleção mais abundante de pegadas humanas antigas atualmente conhecidas em África e sugere que essa comunidade antiga tinha uma divisão de trabalho entre mulheres e homens.

William Harcourt-Smith

Pegada de humano antigo encontrada na Tanzânia.

 

Para a linhagem humana, os locais com pegadas têm sido especialmente importantes para promover a compreensão da nossa própria jornada evolutiva. O icónico sítio paleontológico de Laetoli, na Tanzânia, com 3,66 milhões de anos, por exemplo, forneceu algumas das primeiras evidências definitivas da caminhada vertical dos nossos ancestrais.

Embora Engare Sero seja muito mais recente do que Laetoli, fornece um fascinante retrato de um período em que a nossa própria espécie, Homo sapiens, estava em ascensão.

Trilhos antigos na sombra de Oldoinyo L’engai

Quando caminhamos pela areia molhada na praia, as pegadas podem durar alguns minutos ou algumas horas antes de serem levadas pelo oceano. Mas se andarmos em cinzas vulcânicas molhadas e deixarmos pegadas para trás, e as cinzas secarem, as pegadas poderão durar milhares – ou até milhões – de anos.

Foi exatamente isto o que aconteceu há milhares de anos, quando um grupo de pelo menos 20 humanos modernos pré-históricos percorreu um fluxo de lama vulcânica produzido pelo vulcão Oldoinyo L’engai, ainda ativo no que é hoje a Tanzânia.

Os Massai tanzanianos locais conhecem este conjunto de pegadas humanas em Engare Sero há algum tempo. Quando a líder da equipa de investigação, a geóloga Cynthia Liutkus-Pierce, visitou o local pela primeira vez em 2009, apenas 56 pegadas foram expostas pela erosão natural da superfície.

Desde então, a equipa de investigadores descobriu, documentou e analisou um total impressionante de 408 pegadas humanas, datadas entre 6.000 e 19.000 anos atrás. Neste período, os humanos modernos eram provavelmente as únicas espécies de hominídeos que restavam em África e já se tinham espalhado para muitas outras partes do globo.

O que as pegadas descrevem

Os investigadores determinaram que 17 das pegadas foram criadas por um único grupo de indivíduos a caminhar ao mesmo tempo na direção sudoeste. Com base numa sofisticada análise estatística, este grupo provavelmente consistia em 14 mulheres adultas, com dois homens adultos e um homem mais jovem.

Grupos de mulheres adultas que coletam alimentos de forma cooperativa, com visitas ocasionais ou acompanhamento de machos adultos são o cenário que parece plausível para a estrutura do grupo e os seus padrões de movimento.

Embora não saibamos como era especificamente a comunidade de pessoas que produziu essas pegadas, sabemos que os homininos de África estavam envolvidos em comportamentos complexos na época e que eram membros da nossa espécie, Homo sapiens.

Eles poderiam estar à procura na costa do lago de plantas ou frutos do mar para comer. Eles poderiam estar a carregar arcos e flechas para caçar animais como antílopes, zebras ou búfalos que deixaram outras pegadas nas proximidades. Talvez estas pessoas tenham olhado para cima quando ouviram outro estrondo do vulcão próximo, que entrou em erupção recentemente o suficiente para que as cinzas sob os seus pés descalços ainda fossem suaves.

Há também outras seis trilhas de pegadas que se dirigem numa direção quase perfeitamente oposta, para o nordeste. A maioria das pessoas que fizeram estas pegadas estava a andar em velocidades diferentes e pelo menos uma estava a correr, sugerindo que as pegadas não foram criadas por um único grupo a viajar junto.

William Harcourt-Smith

Outra pegada de um humano antigo encontrada na Tanzânia.

PARTILHAR

RESPONDER

Rio Ave 0 - 2 Sporting | Leão invicto com uma garra no “caneco”

O Sporting registou o 31º jogo consecutivo sem perder na Liga NOS. Na visita ao Rio Ave, os “leões” venceram o Rio Ave por 2-0 e estão muito perto de conquistar o ceptro de campeões …

Taylor's lança vinho do Porto produzido na vindima de 1896 (e custa uma pequena fortuna)

A Taylor's vai lançar um "raro" vinho do Porto produzido na vindima de 1896, na Região Demarcada do Douro, e que tem uma edição limitada de 1.700 decantadores de cristal, embalados numa luxuosa caixa de …

"Este calendário pode ser muito mais perigoso do que finalizar o campeonato"

Dois treinadores de equipas femininas de andebol analisaram a sucessão de jornadas duplas em fins-de-semana consecutivos. Diogo Guerra avisa: "Este calendário é uma irresponsabilidade enorme. Só espero que ninguém se aleije". A primeira divisão nacional feminina …

Mulher dá à luz nove bebés, mais dois do que mostraram as ecografias

Uma mulher de 25 anos deu à luz nove bebés, mais dois do que mostraram as várias ecografias realizadas ao longo da gravidez. O caso aconteceu no Mali. Este está a ser considerado um recorde mundial …

Andrea Bocelli dá dois concertos em Coimbra em 25 e 26 de junho

O tenor italiano Andrea Bocelli vai atuar no Estádio Cidade de Coimbra em 25 e 26 de junho, em dois concertos que contam com a participação da fadista Mariza. "Em cumprimento das normas de segurança e …

Califórnia vai ter o maior sistema de armazenamento de energia não hidrelétrica do mundo

A empresa canadiana Hydrostor, que fornece soluções de armazenamento de energia de longa duração, revelou esta semana que irá desenvolver 1.000 MW de CAES na Califórnia, de acordo com um comunicado. O CAES é um tipo …

Seis anos e mil milhões de links depois, cientistas concluem que a Internet está a crescer (e a encolher)

Uma equipa de investigadores analisou mil milhões de links ao longo de seis anos e concluiu que a Internet está tanto a crescer como a encolher. O mundo online está em constante expansão — sempre agregando …

Há estranhas rádios-fantasma na Rússia (e exploradores entraram numa delas)

Aos 14 anos, um jovem comprou um rádio de ondas curtas e estava a testá-lo quando encontrou a transmissão errada - uma rádio fantasma. Imagine que é um entusiasta da rádio, sozinho à noite, a trabalhar …

Dinheiro e refeições grátis. A Sérvia vai recompensar os cidadãos que forem vacinados

O Presidente da Sérvia, Aleksandar Vucic, anunciou esta quarta-feira que serão pagos 25 euros aos cidadãos já vacinados contra a covid-19 e aos que se vão vacinar até final de maio, uma iniciativa original no …

Ivã, o (não tão) Terrível. Aliado de Putin reescreve história para reabilitar reputação do primeiro czar da Rússia

Segundo um alto funcionário russo, Ivã, o Terrível, não era terrível e a sua reputação de tirano cruel é o resultado de uma campanha de difamação realizada pelo Ocidente no século XVI. Nikolai Patrushev, o poderoso …