Pegadas pré-históricas pintam um raro retrato do comportamento de humanos em grupo

Engare Sero, na Tanzânia.

Centenas de pegadas pré-históricas encontradas na Tanzânia pintam um raro retrato do comportamento de humanos antigos em grupo. As pegadas ficaram gravadas no solo pelas cinzas vulcânicas.

Quando se trata de reconstruir como é que as criaturas antigas viveram, os paleontólogos são tanto detetives quanto cientistas, já que é especialmente difícil reconstruir comportamentos antigos.

As pegadas pré-históricas são uma fonte notável e preciosa de evidências para o comportamento e a biologia de organismos antigos, capturando um retrato das suas vidas. Num novo artigo publicado na semana passada na revista Nature Scientific Reports, uma equipa de cientistas documentou e interpretou um local no norte da Tanzânia chamado Engare Sero, onde centenas de pegadas humanas foram preservadas em cinzas vulcânicas há milhares de anos.

É a coleção mais abundante de pegadas humanas antigas atualmente conhecidas em África e sugere que essa comunidade antiga tinha uma divisão de trabalho entre mulheres e homens.

William Harcourt-Smith

Pegada de humano antigo encontrada na Tanzânia.

 

Para a linhagem humana, os locais com pegadas têm sido especialmente importantes para promover a compreensão da nossa própria jornada evolutiva. O icónico sítio paleontológico de Laetoli, na Tanzânia, com 3,66 milhões de anos, por exemplo, forneceu algumas das primeiras evidências definitivas da caminhada vertical dos nossos ancestrais.

Embora Engare Sero seja muito mais recente do que Laetoli, fornece um fascinante retrato de um período em que a nossa própria espécie, Homo sapiens, estava em ascensão.

Trilhos antigos na sombra de Oldoinyo L’engai

Quando caminhamos pela areia molhada na praia, as pegadas podem durar alguns minutos ou algumas horas antes de serem levadas pelo oceano. Mas se andarmos em cinzas vulcânicas molhadas e deixarmos pegadas para trás, e as cinzas secarem, as pegadas poderão durar milhares – ou até milhões – de anos.

Foi exatamente isto o que aconteceu há milhares de anos, quando um grupo de pelo menos 20 humanos modernos pré-históricos percorreu um fluxo de lama vulcânica produzido pelo vulcão Oldoinyo L’engai, ainda ativo no que é hoje a Tanzânia.

Os Massai tanzanianos locais conhecem este conjunto de pegadas humanas em Engare Sero há algum tempo. Quando a líder da equipa de investigação, a geóloga Cynthia Liutkus-Pierce, visitou o local pela primeira vez em 2009, apenas 56 pegadas foram expostas pela erosão natural da superfície.

Desde então, a equipa de investigadores descobriu, documentou e analisou um total impressionante de 408 pegadas humanas, datadas entre 6.000 e 19.000 anos atrás. Neste período, os humanos modernos eram provavelmente as únicas espécies de hominídeos que restavam em África e já se tinham espalhado para muitas outras partes do globo.

O que as pegadas descrevem

Os investigadores determinaram que 17 das pegadas foram criadas por um único grupo de indivíduos a caminhar ao mesmo tempo na direção sudoeste. Com base numa sofisticada análise estatística, este grupo provavelmente consistia em 14 mulheres adultas, com dois homens adultos e um homem mais jovem.

Grupos de mulheres adultas que coletam alimentos de forma cooperativa, com visitas ocasionais ou acompanhamento de machos adultos são o cenário que parece plausível para a estrutura do grupo e os seus padrões de movimento.

Embora não saibamos como era especificamente a comunidade de pessoas que produziu essas pegadas, sabemos que os homininos de África estavam envolvidos em comportamentos complexos na época e que eram membros da nossa espécie, Homo sapiens.

Eles poderiam estar à procura na costa do lago de plantas ou frutos do mar para comer. Eles poderiam estar a carregar arcos e flechas para caçar animais como antílopes, zebras ou búfalos que deixaram outras pegadas nas proximidades. Talvez estas pessoas tenham olhado para cima quando ouviram outro estrondo do vulcão próximo, que entrou em erupção recentemente o suficiente para que as cinzas sob os seus pés descalços ainda fossem suaves.

Há também outras seis trilhas de pegadas que se dirigem numa direção quase perfeitamente oposta, para o nordeste. A maioria das pessoas que fizeram estas pegadas estava a andar em velocidades diferentes e pelo menos uma estava a correr, sugerindo que as pegadas não foram criadas por um único grupo a viajar junto.

William Harcourt-Smith

Outra pegada de um humano antigo encontrada na Tanzânia.

PARTILHAR

RESPONDER

MP investiga juiz acusado de pagar por sexo enquanto ouvia menores abusados (ele alega que o querem tramar)

O Ministério Público (MP) instaurou um inquérito à denúncia feita, no Parlamento, pela dona de uma casa de prostituição que revelou que um juiz pedia para lhe fazerem sexo oral enquanto via vídeos dos menores …

Câmara de Sintra admite 700 casos confirmados que ainda não foram contactados

O presidente da Câmara Municipal de Sintra, Basílio Horta, admitiu que existem cerca de 700 casos positivos de covid-19 no concelho que, apesar de identificados, não foi ainda possível contactar. Em entrevista ao jornal Público …

Jesus quer regressar ao Benfica. Acordo deve ficar fechado nas próximas horas

O futuro de Jorge Jesus continua a fazer correr muita tinta. Em Portugal, diz-se que o treinador tem um acordo quase fechado para regressar ao Benfica, enquanto que no Brasil há garantias de que ficará …

Erdogan anuncia que Santa Sofia volta a ser uma mesquita. UNESCO lamenta profundamente

O Presidente turco anunciou que as primeiras orações coletivas muçulmanas serão realizadas em 24 de julho em Santa Sofia, convertida em mesquita, acrescentando que o edifício permanecerá aberto a visitantes de todos os credos. "Vamos fazer …

PSD tem um substituto para o modelo Infarmed: reuniões no Parlamento transmitidas na televisão

O PSD considera que o "modelo Infarmed" já deu o que tinha a dar e, por isso, propõe substituí-lo por encontros públicos. O Expresso teve acesso a um projeto de resolução do PSD, entregue esta sexta-feira, …

José Mourinho diz que já não celebra golos (e explica porquê)

O treinador português José Mourinho diz que já não celebra os golos marcados pelo Tottenham, atribuindo as culpas deste seu comportamento ao VAR. "Eu já não celebro os golos, porque eu nunca sei se vai ser …

“O que aí vem ainda será pior”, avisa Costa e Silva

O diretor diretor executivo da petrolífera Partex, António Costa Silva, convidado pelo Governo para estudar um plano de retoma económica para o período pós-pandemia, acredita que "o que vem aí será pior". Em declarações ao jornal …

Países Baixos processam Rússia por envolvimento no derrube do voo MH17

O Governo dos Países Baixos anunciou que vai processar a Rússia perante o Tribunal Europeu dos Direitos do Homem (TEDH) “pelo seu envolvimento na destruição do voo MH17”, abatido em 2014 quando sobrevoava a Ucrânia. A …

Barba-Negra encalhou o seu navio pirata de propósito (e já se sabe porquê)

O pirata britânico Barba-Negra deliberadamente encalhou o seu navio pirata, Queen Anne's Revenge, propõe um investigador. A embarcação estaria em péssimas condições. Edward Teach, mais conhecido como Barba-Negra, é talvez o mais famoso pirata de todos …

Peritos alertam DGS sobre alto risco de infeções no outono. Governo já prepara plano de ataque

Os peritos que trabalham diretamente com a Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a evolução da pandemia em Portugal alertam o órgão liderado por Graças Freitas que o deverá começar a subir significativamente no outono. A …