O nosso Sistema Solar é uma excentricidade cósmica? Evidências sugerem que sim

Ainda não encontramos nenhum sistema solar como o nosso. As evidências de exoplanetas sugerem que somos uma excentricidade cósmica.

O Sistema Solar compreende o conjunto constituído pelo Sol e todos os corpos celestes que estão sob o seu domínio gravitacional. Além de Mercúrio, Vénus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano e Neptuno, há ainda cinco planetas anões conhecidos: Ceres, Plutão, Haumea, Makemake e Éris.

À medida que encontramos um grande número de sistemas solares noutras partes da Via Láctea, nenhum deles se parece com o nosso.

Em vez de ser o sistema solar arquetípico, será que somos, na realidade, a aberração?

Na década de 90, quando os primeiros exoplanetas a orbitarem estrelas normais foram descobertos, verificou-se algo estranho, conta a New Scientist. Estes eram Júpiteres quentes: gigantes gasosos a orbitarem estrelas tão próximas que um ano dura apenas alguns dias — ou até horas.

Os especialistas sugeriram que estes Júpiteres quentes devem ter-se formado noutro lugar e aproximado gradualmente.

À medida que um planeta acumula massa, a sua gravidade pode criar diferenças de densidade que alteram o ímpeto angular do planeta, fazendo-o entrar em espiral para dentro ou para fora.

Isto sugere que os sistemas solares que vemos hoje não são os mesmos que existiam originalmente.

Acreditava-se também que quanto mais longe do Sol está um planeta, mais material sólido deveria existir para formá-lo e maior ele seria. No entanto, há duas exceções no nosso Sistema Solar que complicam as contas: Urano e Neptuno.

Entretanto surgiu o modelo de Nice, que sugere que os quatro planetas gigantes estavam originalmente numa configuração mais compacta, mas interagiram gravitacionalmente até que se espalharam para as suas órbitas atuais.

“Se nos perguntasse se ainda estaríamos a falar sobre isto [modelo de Nice] em 2021, teríamos rido porque os modelos vão e vêm”, disse o coautor do modelo, Hal Levison. “Realmente resolveu muitos problemas, mas é apenas um modelo. Isto não significa que esteja certo”.

Mas se a migração planetária acontece no nosso Sistema Solar como acontece noutros lugares, onde estão os outros sistemas solares como o nosso?

Nos anos 90, os astrónomos acreditavam que, em apenas 15 anos, iríamos encontrar sistemas solares irmãos. Passados praticamente 25 anos, conhecem-se mais de 5.000 exoplanetas em cerca de 3.600 sistemas planetários — nenhum deles como o nosso Sistema Solar.

Há uma hipótese alternativa, em que sistemas solares como o nosso até podem ser relativamente comuns, mas simplesmente ainda não os encontramos.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.