Nuvens marcianas geladas podem formar-se a partir do fumo de meteoros mortos

Há muito que os astrónomos observam as nuvens na atmosfera intermediária de Marte, que começa a cerca de 30 quilómetros acima da superfície. Mas não têm conseguido explicar o fenómeno.

Agora, um novo estudo, publicado na revista Nature Geoscience, examina essas acumulações e sugere que devem a sua existência a um fenómeno chamado “fumo meteórico” . Essencialmente, a poeira gelada criada por detritos espaciais a bater na atmosfera do planeta.

“Estamos acostumados a pensar na Terra, Marte e outros corpos como planetas independentes que determinam os seus próprios climas”, disse Victoria Hartwick, estudante de pós-graduação do Departamento de Ciências Atmosféricas e Oceânicas (ATOC) e principal autora do estudo, em comunicado. “Mas o clima não é independente do sistema solar circundante”.

A investigação, que incluiu os co-autores Brian Toon na CU Boulder e Nicholas Heavens na Hampton University na Virginia, baseia-se em um facto básico sobre as nuvens: não surgem do nada. “As nuvens não se formam sozinhas“, disse Hartwick, também do Laboratório de Física Atmosférica e Espacial da CU Boulder. “Precisam de algo em que se possam condensar.”

Na Terra, por exemplo, nuvens baixas começam a vida como minúsculos grãos de sal marinho ou poeira lançados ao ar. Moléculas de água aglomeram-se em torno das partículas, tornando-se maiores. Mas, até onde os cientistas podem dizer, esse tipo de nuvem não existe na atmosfera intermediária de Marte.

Hartwick explicou que cerca de duas a três toneladas de detritos espaciais caem em Marte todos os dias, em média. Quando esses meteoros se dilaceram na atmosfera do planeta, injetam um enorme volume de poeira no ar. Para descobrir se tal fumaça seria suficiente para originar misteriosas nuvens de Marte, a equipa de Hartwick usou simulações maciças de computador que tentam imitar os fluxos e a turbulência da atmosfera do planeta.

“O nosso modelo não poderia formar nuvens nessas altitudes antes”, disse Hartwick. “Mas agora, estão todos lá e parecem estar nos lugares certos.”

Mas não se deve esperar ver nuvens gigantescas a formar-se acima da superfície de Marte tão cedo. As nuvens que a equipa estudou eram muito mais parecidas com pedaços de algodão doce do que as nuvens da Terra.

As simulações dos investigadores mostraram que as nuvens da atmosfera média podem ter um grande impacto no clima marciano. As nuvens poderiam fazer com que as temperaturas em altas altitudes oscilassem em até 10ºC.

Brian Toon, um professor da ATOC, disse que as descobertas da equipa podem ajudar a revelar a evolução passada do planeta. “Mais modelos climáticos estão a descobrir que o clima antigo de Marte, quando os rios fluíam através da superfície e a vida pode ter originado, foi aquecido por nuvens de alta altitude”, disse.

ZAP //

 

 

PARTILHAR

RESPONDER

Descoberta criatura que pode ser o antepassado de quase todos os animais

Cientistas podem ter descoberto um dos primeiros ancestrais da árvore genealógica: uma criatura semelhante a um verme chamado Ikaria wariootia. Segundo a revista Newsweek, a minúscula criatura, parecida com um verme, é o exemplar mais antigo …

Bombardeamento israelita em Gaza em plena crise do novo coronavírus

O exército israelita bombardeou hoje postos do movimento radical Hamas em Gaza, em represália contra o disparo de um míssil, no primeiro confronto registado no enclave palestiniano em pleno surto do novo coronavírus, noticiou a …

Avião com material médico vindo da China chegou sem ventiladores e reagentes

O avião da Hi Fly que aterrou esta sexta-feira em Lisboa com material médico para ajudar Portugal a mitigar a pandemia de covid-19 chegou apenas com 24 das 35 toneladas previstas, faltando os reagentes para …

Cientistas "reiniciam" idade de células estaminais de uma mulher de 114 anos

As pessoas vivem mais de 110 anos, as supercentenárias, são notáveis não só pela sua idade, mas também por causa da sua incrível saúde. Agora, pela primeira vez, os cientistas reprogramaram células de uma mulher …

Nova Iorque alerta que só terá material médico até 5 de abril

O presidente da câmara de Nova Iorque, Bill de Blasio, alertou esta sexta-feira que a cidade apenas tem material médico até 5 de abril, lembrando que a 'Big Apple' é atualmente o epicentro do novo …

Cientistas determinaram como é que o cérebro controla a voz dos morcegos

Segundo um recente estudo levado a cabo por biólogos da Universidade de Frankfurt, é um circuito neuronal específico no cérebro dos morcegos que controla as suas vozes. Os morcegos são conhecidos pelo seu exímio sentido de …

Detetadas outras nove misteriosas rajadas rápidas de rádio que se repetem

Foram detetadas nove outras Rajadas Rápidas de Rádio (FRB) que se repetem entre as 700 já identificadas desde outubro de 2018 pelo projeto científico CHIME (Canadian Hydrogen Intensity Mapping Experiment), que se baseia num telescópio localizado …

"Não é completamente de loucos" pensar que há vida em Mercúrio

Há a possibilidade, ainda que pequena, de que Mercúrio, o planeta mais próximo do Sol, possa abrigar vida, concluiu uma nova investigação. "É possível que, enquanto houver água, as temperaturas [no planeta] sejam apropriadas para …

O porta-aviões mais avançado do mundo tem um problema inesperado nas suas casas de banho

O porta-aviões de propulsão nuclear USS Gerald R. Ford, o mais avançado da Marinha dos Estados Unidos, tem um problemas nas suas casas de banho, que precisam de ser lavadas com ácido regularmente. De acordo com …

Retirada dos ricos, colapso dos transportes e medo do contacto. As cidades no pós-pandemia

Mesmo depois de a pandemia do novo coronavírus diminuir e voltar a ser seguro estar com outras pessoas, a sociedade pode nunca mais ser a mesma. A atual pandemia de Covid-19 está a mudar rapidamente a …