Cientistas mostram por que razão o nosso corpo não evoluiu para facilitar o parto

Cientistas mostram porque é que o corpo feminino criou um equilíbrio quase perfeito entre apoiar o parto e manter os órgãos intactos.

Graças à medicina moderna, existe mais do que uma forma de um ser humano vir ao mundo, desde o parto tradicional à cesariana. Como espécie evoluída que somos, já muitas mulheres se terão perguntado se não haveria uma forma mais fácil de dar à luz. Infelizmente, segundo um estudo publicado a 20 de abril na revista científica PNAS, isto é provavelmente o melhor que vamos conseguir.

De acordo com o site IFLScience, engenheiros da Universidade do Texas e da Universidade de Viena observaram mais de perto os fundamentos anatómicos do parto, o que revelou a série de compensações evolutivas que nos deixou com o sistema atual.



Uma das complicações do nascimento é o facto de o canal vaginal ser estreito comparativamente com o tamanho da cabeça do bebé, mas essa complicação permaneceu devido à proteção que dá aos outros órgãos.

Segundo os cientistas, o confronto direto entre a saída fácil do bebé e a segurança dos órgãos vitais da progenitora é, aparentemente, o que impede o canal vaginal de se tornar um lugar mais “espaçoso”. Ou seja, ao competir por duas agendas opostas de preservação da vida, os dois imperativos biológicos perseveram em face da evolução.

“Embora esta dimensão tenha dificultado o parto, evoluímos a um ponto em que o pavimento pélvico e o canal podem equilibrar os órgãos internos de suporte, ao mesmo tempo que facilitam o parto e o tornam o mais fácil possível”, disse, em comunicado, Krishna Kumar, professora assistente da universidade norte-americana e uma das autoras do estudo.

O pavimento pélvico é um grupo de músculos que estabiliza a coluna e suporta o útero, os intestinos e a bexiga. Para estabelecer o seu papel no parto – e entender melhor como a sua influência mudaria dependendo do tamanho ou da espessura –, os investigadores realizaram múltiplas análises, utilizando modelos computadorizados.

Os resultados mostraram que, embora um aumento de tamanho pudesse facilitar o parto, sem as estruturas ósseas para o suportar, outros órgãos cairiam. Além disso, o aumento da espessura faria também aumentar a pressão necessária para empurrar o bebé para fora. Ou seja, nenhuma das situações seria propriamente boa.

“Descobrimos que o pavimento pélvico mais espesso exigiria pressões intra-abdominais um pouco mais altas do que os humanos são capazes para alongar durante o parto”, disse Nicole Grunstra, da universidade austríaca e outra das autoras do estudo.

“Ser incapaz de empurrar o bebé através de um pavimento pélvico resistente complicaria igualmente o parto, apesar do espaço extra disponível no canal vaginal, logo, a espessura do pavimento pélvico parece ser outro ‘compromisso’ evolutivo, além do tamanho do canal vaginal”, acrescenta.

Assim sendo, parece que, por enquanto, a evolução do nosso corpo fez o melhor que pôde.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Bom, isto não é explicação para este enigma.
    Há coisas que são estranhas e continuam a ser ‘explicados’ por conveniência.
    O hímen por exemplo, que coisa mais estranha.

RESPONDER

Portugal já está a vacinar 100 mil pessoas por dia. 10% da população já tomou duas doses

Na quinta-feira, cerca de 100 mil pessoas receberam a vacina contra a covid-19, o que antecipa em uma semana esta meta definida pela task force do plano de vacinação. Cerca de 100 mil pessoas receberam a …

Açores vão ter testes gratuitos em farmácias e rastreios laborais aleatórios

Os Açores vão passar a disponibilizar testes rápidos gratuitos para o despiste da covid-19 nas farmácias, testes de saliva para a testagem massiva aos alunos e rastreios laborais aleatórios, anunciou esta quinta-feira o secretário regional …

Uma morte e 377 novos casos nas últimas 24 horas. Rt e incidência recuam

O boletim da DGS desta sexta-feira dá conta de mais 377 novos casos em Portugal. Registou-se ainda mais um óbito. Nesta sexta-feira, dia 7 de maio, o país tem 22.421 casos ativos, menos 114 do que …

MP investiga morte de bebé que terá sido esquecido no carro em Lisboa

O Ministério Público instaurou um inquérito para averiguar as circunstâncias da morte de uma criança de dois anos que terá ficado esquecida no interior de um carro, em Lisboa. A mãe ter-se-á esquecido do bebé …

Governo está a preparar contestação de providência cautelar sobre Zmar

O ministro da Administração Interna afirmou hoje que já está a ser preparada a contestação à providência cautelar que suspende a requisição civil das casas do complexo Zmar, adiantando que o Ministério não foi ainda …

Subsídio europeu de 150 euros mensais para tirar 5 milhões de crianças da pobreza severa

Arrancou nesta sexta-feira, no Porto, a Cimeira Social promovida pela presidência portuguesa do Conselho da União Europeia. Um momento que o ex-ministro Pedro Marques aproveita para lançar a ideia de um novo apoio social de …

Banca empresta 475 milhões para Fundo de Resolução pagar ao Novo Banco

O sindicato bancário, composto por sete bancos, vai proceder ao financiamento do Fundo de Resolução para este cumprir a injeção de capital no Novo Banco já na próxima semana. O Jornal Económico avança, esta sexta-feira, que …

China suspende "diálogo económico" com a Austrália e denuncia "mentalidade de Guerra Fria"

Esta quinta-feira, o Governo chinês anunciou a suspensão "por tempo indefinido" de todas as atividades realizadas no âmbito da iniciativa "Diálogo Económico Estratégico China-Austrália". As relações entra a China e o ocidente estão cada vez mais …

Bolsonaro diz ter tido sintomas de reinfeção. China acusa-o de "politizar" novo coronavírus

O Presidente do Brasil admitiu na quinta-feira que teve sintomas de reinfeção pelo novo coronavírus "há poucos dias" e afirmou que tomou ivermectina, fármaco sem comprovação científica contra a covid-19. As declarações de Jair Bolsonaro foram …

"É fácil despedir". PCP quer mudar regime de despedimento coletivo e extinção de postos de trabalho

O PCP vai entregar na Assembleia da República esta sexta-feira um projeto de lei que visa limitar os despedimentos coletivos e a extinção de postos de trabalho, eliminando o despedimento por inadaptação. O objetivo do partido …