“Nem sei como ainda jogo na NBA. Não sei mesmo”

Keith Allison / Wikimedia

DeMarcus Cousins, Pelicans at Wizards 12/18/17

Confissões de DeMarcus Cousins, jogador dos Los Angeles Clippers, após temporadas sucessivas muito condicionadas por causa de problemas físicos.

DeMarcus Cousins já foi escolhido para a equipa de estrelas da NBA em quatro temporadas seguidas, de 2015 até 2018, mas nos últimos três anos as lesões têm afetado a carreira do basquetebolista. Sobretudo o tendão de Aquiles e o joelho, que o deixaram longe dos jogos durante praticamente um ano.

Antiga figura dos Sacramento Kings, tem andado a “saltar” entre quatro equipas nos últimos quatro anos. Já em 2021 foi dispensado pelos Houston Rockets e, em abril, assinou um contrato de 10 dias com os Los Angeles Clippers. Ainda assinou um segundo contrato válido por 10 dias mas depois prolongou o seu vínculo até ao final desta época.

A época já acabou para os Clippers, que na última madrugada foram derrotados pelos Phoenix Suns e assim não vão estar na final do campeonato. Pouco utilizado nos playoffs, Cousins admitiu, depois do jogo da segunda-feira passada: “Nem sei como ainda estou aqui, na NBA. Não sei mesmo”.

“É um dia de cada vez. Trabalho todos os dias. É tudo o que posso fazer. Não sei realmente como estou aqui. Às vezes isto nem parece real porque eu sei que não era suposto eu estar aqui“, acrescentou o jogador, em entrevista ao portal The Undefeated.

No mesmo ano em que se lesionou gravemente, a sua avó faleceu. 2018 foi “o ano mais desafiante” da sua vida, segundo o poste, que foi campeão mundial em 2014 e campeão olímpico em 2016, ao serviço dos Estados Unidos da América.

“O meu corpo tem passado por um inferno mas trabalhei muito para trazê-lo de volta. A reforma passa pela minha cabeça, provavelmente, todos os dias. É difícil saber o que consigo fazer em campo. É difícil acreditares em ti mesmo quando mais ninguém acredita. E isso fica ainda mais intenso quando estás sob os holofotes”, analisou.

O atleta de 30 anos agradece aos Clippers ter voltado a um clube da NBA, quando parecia que não voltaria a jogar nesta época.

Conseguir 15 pontos num jogo já é um feito, nesta altura: “Eu nem sempre fui um astro da NBA, afinal. Mas não vou mentir: até tenho as minhas dúvidas de vez em quando“, lamentou.

  Nuno Teixeira, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.