Negócios da ministra do Mar com Câmara de ex-aluno levantam dúvidas

Paulo Cunha / Lusa

A ministra do Mar, Ana Paula Vitorino

A empresa da ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, assinou dois contratos por ajuste directo com a Câmara de Vila Real de Santo António que estão a levantar dúvidas. Em causa está a real necessidade dessas contratações, bem como o trabalho feito e as relações próximas entre a ministra e o autarca social-democrata Luís Gomes.

Está em causa a Transnetwork, empresa criado por Ana Paula Vitorino quando era deputada, que assinou dois contratos por ajuste directo, em 2015 e em 2017, com a Câmara de Vila Real de Santo António (VRSA), como relata o Público.

O primeiro contrato só foi “parcialmente cumprido e parcialmente pago”, enquanto que “o segundo deu origem a três documentos, um dos quais se limita a reproduzir o relatório entregue dois anos antes”, frisa o jornal.

A empresa facturou 55.820 euros ao município e à sua sociedade de gestão urbana (VRSA-SGU), sendo que nesses anos, a Transnetwork declarou apenas vendas e prestações de serviços de 35.799 euros.

A estes detalhes acresce ainda o facto de o primeiro contrato ter sido assinado quando o presidente da Câmara de Vila Real de Santo António era Luís Gomes, ex-líder do PSD Algarve que foi aluno de Ana Paula Vitorino no Instituto Superior Técnico. Foi precisamente Luís Gomes “quem convidou a Transnetwork a trabalhar para a autarquia no final de 2014”, sustenta o Público.

O segundo contrato foi assinado em Julho de 2017, quando a autarquia já era presidida por Conceição Cabrita, que foi vice-presidente de Luís Gomes, e visava a elaboração de um “estudo geral de ordenamento da circulação e do estacionamento no centro histórico de VRSA”. O contrato de 2015 tinha o mesmo fim, mas referia-se ao concelho inteiro.

Depois destes dois contratos, a Transnetwork não voltou a assinar qualquer contrato com entidades públicas.

Ana Paula Vitorino renunciou à gerência da Transnetwork em Fevereiro de 2015, “vinte e dois dias depois” da adjudicação do primeiro estudo, como destaca o Público. Ela transformou a empresa numa sociedade por quotas que passou a ser detida, em 90%, por José Eduardo Magalhães, e em 10% pela própria Ana Paula Vitorino e por Lídia Sequeira.

Em 2016, a ministra do Mar nomeou Lídia Sequeira para a presidência da Administração dos Portos de Lisboa, Setúbal e Sesimbra. Nessa altura, Lídia Sequeira passou a gerência da empresa, que detinha, para as mãos do sócio maioritário.

Em declarações ao Público, Ana Paula Vitorino constata que se afastou da Transnetwork em Fevereiro de 2015, e diz que não tomou “qualquer decisão” ou participou em qualquer estudo realizado, nem recebeu honorários. A ministra justifica ainda o convite que foi endereçado à empresa pela autarquia com a sua “competência e experiência na área dos transportes, reconhecida internacionalmente”.

Do lado da autarquia, Luís Gomes refere ao mesmo jornal que tudo decorreu “nos termos da lei” e “sem quaisquer favorecimentos”.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

    • Que péssimo português o desta narrativa!
      Como vai sendo tao habitual!
      Sera que os vossos “escritores” foram à escola elementar?
      Nem revêm os artigos que escrevem?

RESPONDER

Cientista revela por que os mosquitos só picam a algumas pessoas

O cientista Joop van Loon revelou o motivo pelo qual os mosquitos costumam picar mais algumas pessoas do que outras. De acordo com o especialista, são os compostos químicos presentes na pele dos humanos que …

ESA prepara-se para intercetar pela primeira vez um cometa puro

A Agência Espacial Europeia (ESA) desenvolveu um projeto que visa intercetar um cometa puro - um corpo celeste que nunca passou pelo Sistema Solar -, quando este se aproximar da órbita da Terra em meados …

Astrónomos encontraram uma nova (e surpreendente) cratera em Marte

Marte não se "magoa" facilmente mas, quando acontece, o resultado pode ser quase comparado a uma obra de arte. Uma cratera, descoberta em abril pela sonda Mars Reconnaissance Orbiter (MRO), é a prova disso. Notável não só …

Elon Musk alerta: Civilização pode colapsar daqui a 30 anos

De acordo com Elon Musk, uma "bomba populacional" vai surgir nas próximas décadas, quando uma população mundial cada vez mais idosa chocar com a queda das taxas de natalidade em todo o mundo. Esta não é …

O mundo árabe está menos religioso. Mas continua homofóbico

Há cada vez mais árabes que dizem não ter religião. Esta é a principal conclusão de uma grande sondagem feita a mais de 25 mil cidadãos de países árabes pelo centro de pesquisa Arab Network …

Tina morreu durante 27 minutos e foi ressuscitada 8 vezes. Quando acordou, escreveu "é real"

Uma mulher norte-americana entrou em paragem cardíaca em fevereiro de 2018 quando se preparava para fazer uma caminhada com o seu marido Brian. Depois de desmaiar, Brian ressuscitando-a duas vezes antes de os paramédicos chegarem para …

"Homem-árvore" pede que as suas mãos sejam amputadas

Abul Bajandar, um homem de 28 anos do Bangladesh conhecido como "Homem-árvore" devido às incomuns verrugas que nascem nos seus membros, pediu que as suas mãos fossem amputadas para aliviar as dores insuportáveis.  Bajandar sofre de …

EUA. Senadores republicanos do Oregon fogem para não aprovar lei ambiental

Senadores estaduais do Oregon, nos Estados Unidos (EUA), encontram-se a monte desde quinta-feira para não votarem uma lei ambiental. Procurados pela polícia, voltaram este domingo a faltar a uma sessão legislativa, impedindo que haja quórum …

O planeta enfrenta um "apartheid climático"

O planeta está confrontado com um “'apartheid' climático”. De um lado, os ricos que se podem adaptar melhor às alterações climáticas, e do outro, os pobres que vão sofrer mais, disse esta segunda-feira um especialista …

Governo repõe 40 horas semanais para trabalhadores do CNB. Greve mantém-se

A partir de 1 de julho, os trabalhadores da Companhia Nacional de Bailado (CNB) voltarão às 40 horas semanais, numa uniformização laboral com os trabalhadores do Teatro Nacional de São Carlos. A decisão foi comunicada, esta …