/

Naves alienígenas podem andar pela Via Láctea à boleia de planetas “errantes”

Um novo estudo sugere que naves alienígenas podem andar pela Via Láctea à boleia de planetas “errantes”, em vez de usarem naves espaciais.

Os planetas interestelares, mais conhecidos por planetas errantes, são caracterizados por não orbitarem diretamente uma estrela. Só na Via Láctea calcula-se que haja biliões de planetas deste tipo e espera-se que o futuro Telescópio Espacial Nancy Grace Roman possa calcular melhor quantos vagueiam pela nossa galáxia.

E se as civilizações alienígenas aprenderam a usar planetas errantes flutuantes para atravessar longas distâncias? E como podemos tentar identificar esses extraterrestres, se eles existirem?

Foram estas as perguntas que Irina Romanovskaya, professora de Física e Astronomia da Houston Community College, fez a si mesma.

Num estudo recentemente publicado na revista científica International Journal of Astrobiology, a investigadora descreve como “civilizações extraterrestres podem viajar dos seus mundos de origem para planetas errantes e como eles podem transferir-se dos seus planetas para outros sistemas planetários”.

Os cientistas estimam que dezenas de mil milhões de planetas foram catapultados dos seus sistemas estelares nativos por encontros gravitacionais com outros objetos, resultando numa grande população oculta de planetas errantes à deriva pela Via Láctea.

“Isto aumenta a probabilidade de que algumas civilizações extraterrestres avançadas, se existirem, possam apanhar boleia de planetas errantes”, realça Romanovskaya, citada pela VICE.

A professora universitária aponta ainda que estes mundos podem ser habitáveis, especialmente se contiverem o tipo de oceanos subterrâneos que se suspeita.

O facto de estes planetas poderem conter água e minerais valiosos, poderá permitir aos extraterrestres fazerem longas viagens entre estrelas. Além disso, podem proteger da radiação e o seu peso gravitacional poderia negar a necessidade de sistemas de gravitação artificial das aeronaves.

Estrelas e planetas a passarem perto não é algo incomum, o que poderia dar a oportunidade à civilização alienígena de saltar borda fora.

Num cenário ainda mais rebuscado, Romanovskaya sugere que os alienígenas podem querer esperar propositadamente pela morte da sua estrela hospedeira para que os ventos da sua morte a impulsionem pela galáxia fora.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.