“Não somos uma moeda de troca”, diz Presidente do Irão. EUA terão de levantar sanções

president.ir

O presidente iraniano, Hassan Rohani

O Presidente irianiano, Hassan Rohani, fez na terça-feira um discurso em tom desafiador e inflamado na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), afirmando que os Estados Unidos (EUA) não terão outra alternativa que não seja ceder às exigências do Irão e levantar as sanções.

“Não somos uma moeda de troca ligada às eleições americanas e à política interna dos EUA”, disse Rohani no seu discurso pré-gravado difundido na Assembleia Geral da ONU, citado pela agência AFP.

Dirigindo-se a quem saia vencedor das próximas eleições presidenciais americanas, agendadas para 03 de novembro, Rohani disse que “qualquer governo saído das eleições não terá alternativa senão ceder perante a resiliência iraniana”.

O presidente norte-americano, Donald Trump, que se recandidata a um segundo mandato, retirou os EUA do acordo nuclear assinado com o Irão durante a administração de Barack Obama para evitar uma corrida ao armamento nuclear pelo Estado iraniano, restabelecendo depois as sanções ao Irão.

Trump acredita que sairá vencedor das eleições, e que o Irão acabará por ceder à “pressão máxima” dos EUA, negociando um novo acordo em termos impostos pelos americanos.

Joe Biden, adversário democrata de Trump nas presidenciais e ex-vice-presidente de Obama em funções quando o acordo com o Irão foi assinado, continua a defender o texto original, cada vez mais ameaçado pelas sanções de Washington ao Irão e a resposta de Teerão a essas sanções.

“Os EUA não nos podem impor nem negociações, nem a guerra”, disse Rohani. “A vida é dura debaixo de sanções. Mas a vida sem independência será ainda mais dura”, frisou. E perante a rejeição quase unânime do Conselho de Segurança da ONU à exigência dos EUA para que as Nações Unidas retomem as sanções ao Irão, Rohani reclamou vitória.

“A era da dominação e da hegemonia terminou”, disse, acrescentando que “o mundo deve agora dizer não às intimidações e à arrogância”.

Chris Kleponis / EPA POOL

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

No seu discurso, Trump fez uma alusão ao Irão, congratulando-se por ter retirado o seu país do acordo nuclear e imposto duras sanções “ao país que mais apoia o terrorismo no mundo”, tendo depois o Presidente francês, Emmanuel Macron, respondido que a França e os seus aliados europeus, Alemanha e Reino Unido, não vão transigir na recusa em restabelecer sanções a Teerão.

Mesmo denunciando as violações do acordo nuclear assinado em 2015 por parte do Irão, Macron considerou a manobra unilateral de Washington uma ameaça à unidade do Conselho de Segurança que arrisca agravar ainda mais as tensões na região.

Rohani atacou ainda os EUA ao comparar a sua política interna e os casos de violência policial, como o que vitimou o afro-americano George Floyd, com a política externa, considerando que o caso Floyd era uma “reminiscência” da sua própria experiência.

“Imediatamente reconhecemos o joelho em cima do pescoço como o pé da arrogância sobre o pescoço das nações independentes”, indicou o presidente iraniano, sublinhando que o seu país “pagou um elevado preço semelhante” na sua busca por liberdade e libertação da dominação.

Insistiu que o seu país “não merece sanções” e descreveu os EUA como um “elemento externo terrorista e intervencionistas”, antes de referir o apoio americano ao golpe de 1953 que cimentou o poder do Xá no Irão, que em última análise levaria o país à Revolução Islâmica e à hostilidade para com o ocidente.

Rohani fez ainda menção ao general Soleimani, da Guarda Revolucionária Iraniana, referindo-o como o “herói assassinado”, morto no início do ano por um ataque norte-americano em Bagdade – ao qual os iranianos retaliaram um ataque a uma base iraquiana onde estavam alojados soldados norte-americanos.

A semana de alto nível na Assembleia Geral da ONU começou esta terça-feira, com a abertura do debate geral, num formato sem precedentes nos 75 anos da organização, em que os discursos de chefes de Estado e de Governo será feita por vídeos previamente gravados, devido à pandemia.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Teresa Leal Coelho admite processar ex-vereador Fernando Nunes da Silva

A vereadora da Câmara Municipal de Lisboa Teresa Leal Coelho admitiu que poderá vir a processar o antigo vereador Fernando Nunes da Silva, devido às declarações sobre a reposição dos sentidos de circulação na Avenida …

Linha de Fundo: Benfica reforça liderança, mais recados de Conceição, um jardim de infância especial e João “rosa” Almeida

Era uma vez um Clássico... Deu empate o primeiro clássico da época 2020/21. Em Alvalade, Sporting e FC Porto igualaram-se a duas bolas, num jogo que valeu pelas mudanças de resultado, mas que nem sempre foi …

CDS critica PS por obrigar portugueses a pagar "buraco" da TAP para servir apenas Lisboa

O CDS está "chocado" por a TAP ir abandonar as quatro rotas que opera no Aeroporto Francisco Sá Carneiro e critica o PS por obrigar portugueses a pagar "buraco" da TAP para servir apenas Lisboa. O …

Contratos de associação dos colégios privados. Ministério da Educação vence todos os 55 processos judiciais

Em todos os 55 processos judiciais que os colégios privados moveram contra o Ministério da Educação em 2016, na sequência da polémica dos contratos de associação, todas as 55 decisões foram favoráveis ao Governo. O jornal …

Famílias numerosas podem pedir desconto no IVA da luz a partir de março

As famílias com cinco ou mais elementos só poderão usufruir da redução do IVA da eletricidade a partir de 1 de março e terão de o requerer junto do seu fornecedor, segundo uma portaria esta …

Vacina da gripe disponível para mais grupos. Farmácias temem não ter stock suficiente

A vacina da gripe está, a partir desta segunda-feira, disponível para mais grupos populacionais com o início da segunda fase da campanha, que estende a vacinação a pessoas com 65 ou mais anos e pessoas …

Franceses em protesto para homenagear professor decapitado. Autoridades procuram radicais islâmicos

Milhares de pessoas reuniram-se no domingo no centro de Paris numa demonstração de repúdio pela decapitação do professor que mostrou aos seus alunos desenhos do Profeta Maomé. Os manifestantes da Praça da República ergueram cartazes onde …

Proud Boys acreditam na vitória de Trump: "Vamos Ganhar". Voto antecipado começa hoje na Florida

O líder do grupo Proud Boys disse à Lusa, durante uma manifestação em Miami, que Donald Trump vai vencer as eleições presidenciais norte-americanas, e rejeitou a acusação de que é dirigente de uma organização extremista. …

Projeto desenvolve testes rápidos de baixo custo para detetar imunidade

Um consórcio de universidades e uma empresa querem desenvolver "testes rápidos e de baixo custo" para detetar a resposta imunitária ao vírus SARS-CoV-2. O projecto TecniCov, que "obteve um financiamento de 450 mil euros da Agência …

"Medo constante". Human Rights Watch denuncia tortura na Coreia do Norte

Uma organização não-governamental denunciou esta segunda-feira que o sistema norte-coreano de detenção pré-julgamento e de investigação é cruel e arbitrário, com ex-detidos a descreverem tortura sistemática, corrupção e trabalhos forçados não-remunerado. No relatório de 88 páginas, …