/

Em Mercúrio, o calor extremo ajuda a produzir gelo

É já difícil de acreditar que exista gelo em Mercúrio, o planeta mais próximo do Sol que tem temperaturas diárias de 400ºC. Um novo estudo defende que o calor vulcano ajuda na produção desse gelo.

Tal como a Terra, os asteróides abasteceram a maior parte da água de Mercúrio, de acordo com consenso científico. Porém, o calor extremo durante o dia pode combinar-se com o frio de -200ºC em cantos de crateras polares que nunca vêem a luz do sol e atuar como um gigantesco laboratório de química para fabricação de gelo.

O novo estudo, cujos resultados serão publicados na revista científica Astrophysical Journal Letters, modela as condições complexas de Mercúrio, como os ventos solares que lançam partículas carregadas para o planeta, muitos dos quais são protões essenciais para essa química.

O modelo apresenta um caminho viável para a água emergir e acumular-se como gelo num planeta preenchido com todos os componentes necessários.

Os minerais na superfície do solo de Mercúrio contêm os chamados grupos hidroxila (OH), que são gerados principalmente por protões. No modelo, o calor extremo ajuda a libertar os grupos hidroxila e energiza-os para colidirem entre si para produzir moléculas de água e hidrogénio que se libertam da superfície e se movem pelo planeta.

Algumas moléculas de água decompõem-se à luz do sol ou sobem acima da superfície do planeta, mas outras moléculas pousam perto dos pólos de Mercúrio em sombras permanentes de crateras que protegem o gelo do sol.

Mercúrio não possui uma atmosfera e, portanto, não possui ar condutor de calor, as moléculas tornam-se parte do gelo permanente do gelo alojado nas sombras.

“Parece um pouco a música Hotel California. As moléculas de água podem entrar nas sombras, mas nunca desaparecer”, disse Thomas Orlando, professor da Faculdade de Química e Bioquímica da Georgia Tech College e principal autor do estudo, em comunicado citado pelo Phys.

“A quantidade total que postulamos que se tornaria gelo é de 10 a 13 kg (10.000.000.000.000 kg ou 11.023.110.000 toneladas) durante um período de aproximadamente 3 milhões de anos”, disse. “O processo pode facilmente representar até 10% do gelo total de Mercúrio”.

  ZAP //

 

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.