/

Menina de 13 anos convertida ao islamismo foi resgatada de “casamento forçado” no Paquistão

Uma criança de 13 anos de origem cristã, alegadamente sequestrada e forçada a converter-se ao islamismo, foi resgatada no Paquistão pelas autoridades após um alvoroço público e pressão de grupos de direitos humanos.

Uma menina paquistanesa de 13 anos terá sido sequestrada no dia 13 de outubro em Karachi, no Paquistão. De acordo com os pais, o sequestrador é um homem de 44 anos chamado Ali Azhar, que a terá convertido ao Islamismo e forçado a casar.

Duas semanas depois, e após queixas da família, o tribunal de Sindh decidiu que a custódia da menina seria entregue ao marido, com base em depoimentos da própria – nos quais alegava ter 18 anos e dizia ter-se casado por vontade própria.

No entanto, vários grupos cristãos e de direitos humanos fizeram um protesto na capital e exigiram que o tribunal reconsiderasse a decisão, argumentando que a criança poderia ter sido forçada a prestar aquele depoimento.

Esta segunda-feira, o tribunal de Sindh reverteu a sua decisão e, quase um mês depois do alegado rapto, ordenou às autoridades que resgatassem a menina – que ficou sob a proteção do tribunal. Ali Azhar foi detido no mesmo dia.

É responsabilidade do Estado proteger os seus cidadãos, especialmente as meninas menores”, disse Joseph Arshad, um arcebispo local, ao meio de comunicação cristão Crux news, citado pela BBC.

Um relatório de 2014 do Movimento pela Solidariedade e Paz (MSP) mostra que cerca de mil mulheres no Paquistão são convertidas à força ao islamismo todos os anos, o que inclui cerca de 700 mulheres cristãs e 300 hindus.

De acordo com outro relatório realizado recentemente pelas Nações Unidas, os casamentos infantis continuam a ser comuns no sul da Ásia – no Paquistão, quase um quarto das mulheres na casa dos 20 anos já se casou aos 18 -, descobriu a pesquisa.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.