//

Memes podem ser parte da solução para a conservação de animais “feios”

1

Um estudo mostra como é que o poder dos memes e da internet pode ser parte da solução para a conservação daquele que é considerado um dos animais mais feios do mundo.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

A atual ameaça à biodiversidade da Terra não é brincadeira, mas pode ser que sorrir possa ajudar algumas espécies vulneráveis perseguidas por olhares infelizes ou reputações sombrias.

Estudos de estratégias de conservação para dois primatas sob ameaça — o macaco-narigudo e o lémure aie-aie — mostram a influência surpreendentemente poderosa das atitudes públicas em relação a criaturas menos fotogénicas em risco de extinção.

O dia 1 de setembro marca o Dia Internacional dos Primatas, uma oportunidade para ver como os conservacionistas podem elevar o perfil dos primatas menos amados.

O macaco-narigudo, Nasalis larvatus, aparece regularmente em listas dos animais mais feios do mundo. Tanto os machos quanto as fêmeas têm narizes caricatos, mas o dimorfismo sexual (diferenças na forma, tamanho ou cor entre os sexos) também resulta em machos dominantes com barrigas, olhos de porco e um pénis vermelho vivo contrastando com um escroto preto: nenhum dos quais induz impressões de beleza, majestade ou fofura — os critérios usuais para o afeto público.

O poder dos memes

Um estudo recente na Polónia, publicado na revista National Library of Medicine, teve como objetivo mostrar maneiras de inspirar a preocupação das pessoas sobre a proteção de espécies, incluindo o macaco-narigudo, que não são tão esteticamente agradáveis.

Os investigadores exploraram a possibilidade de despertar o interesse do público na conservação deste macaco curiosamente feio através da divulgação de divertidos memes na internet — imagens do macaco com texto a associar a sua aparência a piadas e referências culturais polacas — nas redes sociais e no marketing de conservação.

“Quando o teu colega de turma insulta a professora e sai da sala de aula”.

A equipa monitorizou então o interesse em macacos-narigudos versus superestrelas da conservação, como koalas e gorilas, analisando doações públicas feitas para campanhas de conservação relacionadas.

Como resultado da campanha, o interesse dos media no macaco-narigudo — praticamente insignificante na Polónia antes de 2016 — aumentou significativamente, igualando a cobertura para as espécies tradicionais de celebridades da conservação.

Os memes divertidos, com foco no lado engraçado da aparência do macaco, atraíram uma cobertura mais positiva que inspirou várias campanhas de crowdfunding amador que angariaram dinheiro para a proteção da espécie em Bornéu: recebendo doações de 218 pessoas no total.

Desta forma, uma criatura até então totalmente desconhecida do público polaco tornou-se um foco de atenção importante que, em última análise, contribuiu para a sua proteção, ajudando a pagar pela conservação do seu habitat. Estas descobertas sugerem que os conservacionistas não devem esquivar-se de usar memes para gerar interesse e arrecadar dinheiro para os membros ameaçados de extinção mais negligenciados do reino animal.

  ZAP // The Conversation

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.