Uma equipa de cientistas acaba de descobrir que as explosões de raios-X “super-suaves” podem ter origigem quer em processos de acreção, quer em fenómenos de fusão nuclear – uma descoberta que torna mais complicada a medição da expansão do Universo.

Durante décadas, astrónomos e astrofísicos basearam as medições da expansão do Universo num determinado tipo de super-nova: as anãs-brancas. Contudo, a descoberta agora divulgada pela Universidade de Tecnologia do Texas, nos Estados Unidos, pode pôr este pressuposto em causa.

A emissão de raios-X “super suaves”, uma gama de raios-X de energia mais baixa, tem sido, até então, considerada como resultado da fusão nuclear que ocorre na superfície de uma anã branca, uma estrela pequena e muito densa.

Um novo estudo, publicado a semana passada na Nature Astronomy, dá conta de uma nova deteção de emissões super-brandas que claramente não são impulsionadas pela fusão nuclear, mostrando que a fusão não é a única forma de ocorrerem. Ou seja, o novo estudo vem desconstruir o que se acreditava até então, frisando que as emissões de raios X “super-suaves” podem ter outra origem.

De acordo com a publicação, os astrónomos detetaram uma uma explosão de raios-X de uma anã branca na Pequena Nuvem de Magalhães a cerca de 200.000 anos-luz, o que indica que a estrela está a puxar o material de uma gigante vermelha companheira a um ritmo tão alto que pode ser a anã branca de mais rápido crescimento já observada.

O evento, apelidado de ASASSN16-oh, foi observado pela primeira vez na Pequena Nuvem de Nagalhães pelo telescópio All-Sky Automated Survey, localizado na Polónia. Observações adicionais do Swift Observatory da NASA e do Chandra X-ray Observatory vieram depois ajudar a verificar a descoberta.

NASA/CXC/M.WEISS

A fonte das emissões agora detetadas não pode ser fruto da fusão, mas antes de acreção

“No passado, fontes de raios-X super-suaves foram associadas à fusão nuclear na superfície de anãs brancas”, disse Maccarone, professor do Departamento de Física e Astronomia da Universidade do Texas, em comunicado. “Quando uma anã branca captura material de uma estrela companheira, o material acumula-se na sua superfície e aquece e, eventualmente, a fusão nuclear ocorre, como numa bomba de hidrogénio”, explicou.

“Mas esta emissão é oriunda de uma região menor do que a superfície da anã branca e temos fortes argumentos contra qualquer tipo de explosão que tenha ocorrido na anã branca”. Em particular, explicou, “não há linhas de emissão amplas em raios-X ou espectros óticos, portanto não pode haver vento forte a ser gerado”, considerou.

“Em alguns casos, a fusão nuclear pode ser constante na superfície de uma anã branca, mas não pode começar imediatamente como uma fusão constante. Deve haver uma explosão de algum tipo quando a fusão começar”.

“Em alguns casos, a fusão nuclear pode ser constante na superfície de uma anã branca, mas não pode começar imediatamente como uma fusão constante. Deve haver uma explosão de algum tipo quando a fusão começar”.

Por tudo isto, acreditam os cientistas, a fonte das emissões agora detetadas não pode ser fruto da fusão, mas antes de acreção, o processo de acumulação de material na superfície de um astro. Neste caso em particular, na superfície da anã-branca.

Duas formas de emissão

No novo estudo, os cientistas sustentam que o sistema em causa consiste numa estrela gigante vermelha altamente evoluída e uma anã-branca com um disco de emissão extremamente grande à sua volta. A velocidade de entrada de material através do disco é instável e, quando o material começa a fluir mais rapidamente, o brilho do sistema dispara para cima da superfície.

“O que estamos a observar aqui é um episódio transitório de uma emissão super-suave, mas sem nenhum dos sinais que associamos à fusão nuclear”, disse Maccarone. “Se uma nova [emissão] ocorresse, esperávamos ver o material a afastar-se da anã branca – o que não acontece aqui. Em vez disso, o que estamos a ver é uma emissão quente do disco que transporta o material da estrela companheira até à anã branca. A massa está a ocorrer numa taxa maior do que em qualquer sistema que tenhamos detetado no passado”.

Sinteticamente, a nova descoberta frisa que existem duas formas para a emissão deste tipo de raios: a acreção e a fusão nuclear. “Os nossos resultados vão contra o consenso de longa data sobre como a emissão de raios-X nas anãs-brancas é produzida (…) Sabemos que a emissão de raios-X pode ser feita de duas formas diferentes”, acrescentou.

“Estou animado com este resultado”, disse Maccarone, notando que este é um “fenómenos totalmente novo e, sempre que é encontrado, é muito emocionante”.

Por mais emocionante que seja, a descoberta pode mudar a forma como os astrofísicos medem a expansão do cosmos – essa pode ser a sua grande virtude. Acreditava-se, até então, que este tipo de super-novas eram uma das formas principais da expansão do Universo, onde as anãs-brancas cresciam em massa explodindo, eventualmente como super-novas do Tipo Ia.

“Estes sistemas são também a forma como medimos a expansão do Universo”, disse Maccarone. Neste sentido, medir a expansão do Universo acaba de se complicar. Para perceber este crescimento, é preciso entender a origem das super-novas do Tipo Ia, que acabam agora de ganhar uma nova forma de produzir explosões de raios-X. Os cientistas precisam agora de refinar o método de medição, tendo em conta o fenómeno da acreção.

SA, ZAP // EuropaPress / AstronomyNow

PARTILHAR

RESPONDER

Sporting investiu forte no ataque, mas os golos escasseiam

O Sporting CP marcou apenas 49 golos esta temporada, embora tenha investido 21 milhões de euros na frente de ataque. A saída de Bruno Fernandes foi um duro golpe na capacidade goleadora. Nas últimas duas temporadas, …

Portugal é um dos cinco países da Europa onde a pandemia está a recuar

Portugal é um dos cinco países da Europa onde a pandemia está a recuar, de acordo com o mais recente relatório do Centro Europeu de Controlo e Prevenção de Doenças (ECDC) esta terça-feira divulgado. O …

Ryanair desregulou escalas dos trabalhadores que rejeitaram cortes em Portugal

A Ryanair desregulou o regime de escalas habitual à "pequena minoria" de trabalhadores que recusou os cortes da empresa na sequência da pandemia de covid-19, retirando-lhes qualquer direito a bónus, segundo documentos a que a …

Vieira quer oferecer Bruno Henrique a Jorge Jesus

Embora Jorge Jesus não tenha pedido a contratação de Bruno Henrique, o presidente benfiquista quer comprar o avançado brasileiro como prenda para o novo treinador. Luís Filipe Vieira está a estudar a contratação de Bruno Henrique, …

"Dimensão ética". Presidente do Novo Banco enviou uma carta a Marques Mendes a explicar o seu silêncio

Debaixo de fogo depois de serem reveladas as perdas avultadas relacionadas com a venda da carteira de imóveis do Novo Banco, António Ramalho enviou uma carta a Luís Marques Mendes, comentador da SIC, a explicar …

Ministério Público quer Jorge Jesus a testemunhar contra Rui Pinto

O Ministério Público (MP) quer que o treinador português Jorge Jesus testemunhe em tribunal contra o "pirata informático" Rui Pinto, que esta semana deixou a prisão domiciliária com a obrigação de se apresentar semanalmente à …

Guarda-redes do Atlético de Madrid já não escapa ao Sporting

O Sporting conseguiu, nas últimas horas, ultimar os detalhes do contrato que trará o guarda-redes espanhol António Adán para Alvalade. O jornal desportivo Record avança esta terça-feira que o contrato está a ser ultimado, adiantando que …

Dois agentes da PSP detidos em flagrante por tráfico de cocaína escondida em contentores de bananas

As autoridades portuguesas detiveram em flagrante quatro cidadãos nacionais por tráfico de droga, dois dos quais eram agentes da PSP em Faro. Fonte do gabinete de relações públicas da PSP adiantou à agência Lusa, que …

"Formiga do inferno." Descoberto fóssil preservado em âmbar com 99 milhões de anos

Uma equipa internacional de cientistas encontrou um fóssil preservado em âmbar que ilustra o exato momento em que uma formiga pré-histórica devora a sua presa. De acordo com o artigo científico, publicado recentemente na Current Biology, …

Isabel dos Santos deixa administração da operadora angolana Unitel

A empresária angolana Isabel dos Santos anunciou esta terça-feira que vai deixar o seu lugar na administração da operadora de telecomunicações Unitel. “Após 20 anos dedicados à criação, ao desenvolvimento e ao sucesso da Unitel, optei …