Médicos mantêm greve nacional de 10 e 11 de maio

Felipe Pilotto / Flickr

-

Os sindicatos médicos mantêm a greve nacional de dois dias prevista para a próxima semana, anunciaram esta quinta-feira dirigentes sindicais depois de uma reunião com o Ministério da Saúde.

A greve nacional está convocada para os dias 10 e 11 de maio, com o Sindicato Independente dos Médicos (SIM) e a Federação Nacional dos Médicos a exigirem respostas concretas do Governo a vários problemas que preocupam os profissionais, como a redução do número de horas máxima de urgências, a reposição integral do pagamento das horas extraordinárias e a redução do número de utentes por médico de família.

Depois de mais uma reunião negocial com elementos dos ministérios da Saúde e Finanças, os dois sindicatos que convocaram a greve nacional decidiram manter o protesto por falta de medidas e propostas concretas do Governo.

O Sindicato Independente dos Médicos (SIM) e a Federação Nacional dos Médicos (FNAM) argumentam que o Ministério da Saúde tem andando a “empurrar com a barriga” as negociações com os profissionais, num “processo de arrastamento inexplicável”, sem qualquer concretização.

Mário Jorge Neves, dirigente da FNAM, disse hoje em conferência de imprensa que “há indignação, estupefação e até sentimento de revolta” entre os médicos.

“Estou convencidíssimo de que a greve vai ter uma enorme adesão e muitíssima expressão”, afirmou aos jornalistas, depois de uma hora de reunião no Ministério da Saúde.

Mário Jorge Neves deixou um apelo aos colegas: “ou os médicos demonstram o seu espírito de unidade ou no futuro não mais poderão bater-se, porque qualquer poder político não terá o mínimo de respeito”.

Roque da Cunha, secretário-geral do SIM aproveitou para apelar aos utentes para que não compareçam nas unidades de saúde, a menos em casos de urgência ou situações inadiáveis.

“Não queremos que os utentes sejam usados como arma de arremesso”, disse, acrescentando depois estar convencido de que os doentes compreenderão que a greve é “para bem deles”.

Também Mário Jorge afirmou que as “ações reivindicativas não são contra os cidadãos, mas sim contra o poder político”.

Os dirigentes sindicais lembram aos doentes que qualquer greve médica tem serviços mínimos a funcionar, como todas as urgências e ainda os tratamentos de quimioterapia e radioterapia. Afetadas são as consultas e cirurgias programadas.

Contudo, os sindicatos afirmam que ninguém conseguirá, com fundamento, dar uma estimativa dos utentes ou consultas e cirurgias afetados pelos dois dias de greve, a que se segue uma tolerância de ponto na administração pública a propósito da visita do Papa a Fátima, para participar nas comemorações do centenário das “aparições”.

Sobre a tolerância de ponto que se segue a dois dias de greve, Mário Jorge Neves lembrou que a tolerância só foi decretada depois de ser agendada e convocada a paralisação dos médicos.

Roque da Cunha afirmou que os sindicatos estão disponíveis para voltar às negociações com o Governo logo no dia seguinte após a greve, mesmo em tolerância de ponto, dia 12 de maio.

Os sindicatos pretendem que o trabalho suplementar em serviço de urgência seja limitado a 150 horas anuais, quando atualmente está nas 200 horas.

Reivindicam também um limite de 12 horas de trabalho em serviço de urgência como horário normal de trabalho, considerando inadmissível a persistente realização de trabalho em urgência por períodos de 24 horas.

Em relação às horas extraordinárias exigem a reversão dos cortes, passando a receber a 100%, com efeitos retroativos a 1 de janeiro para todos os médicos.

Os sindicatos insistem que algumas destas medidas, tomadas durante o período de assistência financeira do país, deviam ter sido revertidas pelo atual Governo, com negociações que se têm arrastado há cerca de um ano.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Protestos em Hong Kong. LeBron acusado de apoiar regime chinês

A super estrela do basquetebol LeBron James juntou-se à polémica entre a NBA e a China, após apelidar de “mal-informado” o treinador dos Houston Rockets, Daryl Morey, que expressou apoio aos manifestantes em Hong Kong …

Acordo para o Brexit está "prestes a ficar fechado"

A chanceler alemã, Angela Merkel, e o Presidente francês, Emmanuel Macron, disseram esta quarta-feira que um acordo para o Brexit está em finalização e poderá ser apresentado quinta-feira para aprovação no Conselho Europeu. "Quero acreditar que …

Em Chernobyl, estão a desaparecer "as memórias que as pessoas deixaram para trás"

Chernobyl é, atualmente, a maior atração internacional da Ucrânia e o novo presidente, Volodymyr Zelenski, já apresentou um projeto para trazer ainda mais turistas. No entanto, estão a desaparecer "as memórias que as pessoas deixaram …

Huawei afirma que a tecnologia 6G vai estar disponível daqui a 10 anos

O CEO da Huawei, Ren Zhengfei, assinalou, durante uma entrevista à CNBC, que a sua empresa está a trabalhar em redes móveis 6G, que estarão completamente desenvolvidas daqui a 10 anos.   "Trabalhámos em 5G e 6G …

Nazismo e comunismo classificados em pé de igualdade pelo Parlamento Europeu

No passado dia 19 de setembro, a União Europeia colocou comunismo e nazismo em pé de igualdade, depois de aprovar no Parlamento Europeu uma resolução condenando ambos os regimes por terem cometido "genocídios e deportações …

Conselho da Europa teme que polícia de Malta tenha “recusado provas” no caso da jornalista assassinada

Daphne Galizia era jornalista, acompanhava casos de corrupção no país e foi assassinada há dois anos. Pieter Omtzigt, relator do Conselho da Europa responsável pelo caso, diz que a abordagem da polícia e dos …

Itália quer mudar sede da final da Liga dos Campeões

A Itália quer que a final da Liga dos Campeões deste ano, marcada para o Estádio Olímpico Atatürk Olympic, mude de sede. Os últimos dias não têm sido fáceis para a UEFA. Depois dos incidentes racistas …

CNN coloca broa portuguesa entre os 50 melhores pães do mundo

A propósito das celebrações do Dia Mundial do Pão, que se celebra esta quarta-feira, a CNN fez uma lista com os 50 melhores pães do mundo e um deles é a broa portuguesa. A broa conhecida …

CP lança nova campanha: Lisboa-Porto por cinco euros e mais descontos até 80%

Há 10.300 bilhetes a custos muito reduzidos, anunciou a CP – Comboios de Portugal esta terça-feira. A nova campanha garante viagens nos comboios de longo curso Alfa Pendular e Intercidades “com 80% de desconto”, abrangendo …

"Níveis recorde". Glaciares suíços perderam 10% do seu volume nos últimos cinco anos

Os glaciares suíços perderam 10% do volume nos últimos cinco anos, a maior redução em cem anos, alertou esta terça-feira a Academia Suíça das Ciências. A Academia baseia-se nas medições feitas pelos peritos do painel intergovernamental …