/

Médico infectado com MERS esteve em contacto com mais de 1500 pessoas

1

O caso de um médico infetado com a Síndrome Respiratória do Médio Oriente (MERS-CoV), que manteve contacto com mais de mil pessoas pouco antes de ser colocado sob quarentena, fez disparar ainda mais o alarme à volta da doença na Coreia do Sul.

O médico, que tratou um dos 41 portadores do vírus sinalizados, começou a apresentar sintomas na passada sexta-feira, mas apenas foi colocado sob quarentena na tarde de domingo, disse, na noite de quinta-feira, o presidente da câmara de Seul, Park Won-soon, em conferência de imprensa.

No sábado, o médico participou numa reunião sindical que juntou cerca de 1.500 pessoas e durante o fim de semana assistiu a duas conferências profissionais. Também visitou um centro comercial e outros lugares públicos, referem os ‘media’ sul-coreanos.

Foi na segunda-feira que se confirmou que o médico é portador do MERS, o novo coronavírus que, de acordo com dados facultados hoje pelas autoridades, fez já quatro vítimas mortais na Coreia do Sul.

Como primeira medida hoje as autoridades municipais da capital sul-coreana vão contactar cada uma das 1.565 pessoas que participaram na reunião sindical de sábado, disse à Efe um porta-voz do município.

As autoridades sul-coreanas deram esta quinta-feira conhecimento da ocorrência de cinco novos casos de MERS, aumentando o total para 41.

Mais de 1.100 creches, escolas e institutos suspenderam as aulas em todo o país, numa altura em que 1.600 pessoas foram colocadas sob diferentes graus de quarentena — em casa ou em instalações médicas próprias — a fim de evitar a propagação do vírus.

O primeiro caso sinalizado na Coreia do Sul foi reportado a 20 de maio.

O MERS é considerado um ‘primo’, mais mortal, mas menos contagioso, do vírus responsável pela Síndrome Respiratória Aguda Severa, SARS, que, em 2008, fez cerca de 800 mortos em todo o mundo.

Tal como aquele vírus, provoca uma infeção pulmonar e os afetados sofrem de febre, tosse e dificuldades respiratórias, não havendo, por enquanto, tratamento preventivo para a doença.

Até ao momento, e desde que, em 2012, se sinalizou o primeiro caso na Arábia Saudita, foram registados 1.160 casos de MERS em mais de 20 países, dos quais 436 se revelaram mortais.

/Lusa

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE