Marte morreu e a NASA descobriu o culpado

GSFC / NASA

 Impressão de artista de uma tempestade solar que atinge Marte e retira iões da atmosfera superior do planeta.

Impressão de artista de uma tempestade solar que atinge Marte e retira iões da atmosfera superior do planeta.

A sonda MAVEN – Mars Atmosphere and Volatile Evolution, da NASA, identificou o processo que parece ter desempenhado um papel fundamental na alteração do clima marciano: de um ambiente ameno e molhado, que pode ter suportado vida, para o Planeta Vermelho frio e árido que é hoje.

Os dados da MAVEN permitiram com que os investigadores determinassem a taxa a que atmosfera marciana perde atualmente gás para o espaço devido à influência do vento solar.

Os resultados revelam que a erosão da atmosfera de Marte aumenta significativamente durante as tempestades solares.

Os resultados científicos da missão foram publicados na edição de 5 de novembro das revistas Science e Geophysical Research Letters.

“Marte parece ter tido uma atmosfera espessa e quente o suficiente para suportar água líquida, um ingrediente fundamental e um meio para a vida como a conhecemos,” afirma John Grunsfeld, astronauta e administrador do Diretorado de Missões Científicas da NASA em Washington, EUA.

“Compreender o que aconteceu à atmosfera de Marte vai informar o nosso conhecimento acerca da dinâmica e evolução de qualquer atmosfera planetária. É importante aprender o que pode provocar alterações no ambiente de um planeta, desde um que pode hospedar micróbios à superfície, para um que não suporta, e é uma questão-chave que está a ser abordada na jornada da NASA a Marte.”

As medições da MAVEN indicam que o vento solar retira gás a uma velocidade correspondente a cerca de 100 gramas por segundo.

Tal como o roubo de algumas moedas numa caixa registadora todos os dias, a perda torna-se significativa ao longo do tempo,” afirma Bruce Jakosky, investigador principal da MAVEN da Universidade do Colorado, em Boulder.

“Vimos que a erosão atmosférica aumenta drasticamente durante as tempestades solares, assim que pensamos que a taxa de perda foi muito maior há milhares de milhões de anos atrás quando o Sol era jovem e mais ativo.”

Além disso, uma série de tempestades solares dramáticas atingiu a atmosfera de Marte em março de 2015 e a MAVEN descobriu que a perda foi acelerada.

A combinação de uma taxa de perda mais elevada com tempestades solares mais poderosas no passado sugere que a perda da atmosfera para o espaço foi provavelmente um importante processo na mudança do clima marciano.

NASA Goddard Space Flight Center

Conceito artístico da Mars Atmosphere and Volatile Evolution (MAVEN) na órbita de Marte

Conceito artístico da Mars Atmosphere and Volatile Evolution (MAVEN) na órbita de Marte

O vento solar é uma corrente de partículas, principalmente protões e eletrões, que flui da atmosfera do Sol a uma velocidade de mais ou menos 400 km/s.

O campo magnético transportado pelo vento solar, ao passar por Marte, pode gerar um campo elétrico, tal como uma turbina na Terra pode ser usada para gerar eletricidade.

Este campo elétrico acelera átomos de gás eletricamente carregados, chamados iões, na atmosfera superior de Marte e atira-os para o espaço.

As regiões antigas de Marte contêm sinais de água abundante – como por exemplo características semelhantes a vales esculpidos por rios e depósitos minerais que só se formam na presença de água líquida.

Estas características levaram os cientistas a pensar que há milhares de milhões de anos, a atmosfera de Marte era muito mais densa e quente o suficiente para formar rios, lagos e talvez até mesmo oceanos de água líquida.

Recentemente, investigadores que usavam a sonda MRO (Mars Reconnaissance Orbiter) da NASA observaram o aparecimento sazonal de sais hidratados, indicando água líquida salgada em Marte.

No entanto, a atmosfera atual de Marte é demasiado fria e fina para suportar água líquida a longo prazo à superfície do planeta.

“A erosão pelo vento solar é um mecanismo importante para a perda atmosférica, e é importante o suficiente para explicar a mudança dramática no clima marciano,” afirma Joe Greboswsky, cientista do projeto MAVEN do Centro de Voo Espacial Goddard da NASA em Greenbelt, no estado americano de Maryland.

A MAVEN opera em Marte há pouco mais de um ano e terminará a sua principal missão científica no dia 16 de novembro.

CCVAlg

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Há muito que se sabe da impossibilidade de fazer “terra forming” em Marte, por ausência de um campo magnético capaz de deflector os ventos solares. No caso da terra, no seu centro existe uma esfera de ferro em rotação que como um dínamo cria um campo magnético. Um dia, quando o núcleo da terra for arrefecendo e o magma solidificar de novo também iremos perder as cinturas de Van Allen e então o vento solar levará a atmosfera e a água…. É seremos uma cópia de Marte

RESPONDER

Mosteiro medieval abriga o mais completo museu do circo da Europa

Nos salões de um mosteiro medieval na pitoresca localidade de Besalú, em Girona, alojou-se o Circusland - Palácio Internacional do Circo, o primeiro museu profissional da Europa que se dedica ao circo. O espaço conta com …

Livro de estreia de José Saramago publicado em castelhano pela primeira vez

O livro “Terra do Pecado”, que marcou a estreia na ficção de José Saramago, em 1947, vai ser lançado em Espanha na quinta-feira, no que é a primeira vez que a obra está disponível em …

A Citroën concebeu um skate inspirado na mobilidade urbana

O Citroën Skate é uma plataforma de veículos elétricos, totalmente autónoma, que pode ser equipada com diferentes tipos de cápsulas. A plataforma Citroën Skate quer revolucionar o transporte em meio urbano sem que seja necessário um …

Bebeu demais na noite anterior? Não é aconselhado tomar um parecetamol

A combinação de álcool e este tipo de medicação pode sobrecarregar o fígado e provocar danos hepáticos, refere uma especialista. Muitas das vezes cometem-se excessos com o álcool e, tendencialmente, os sintomas de desconforto surgem no …

Portugal 5-0 Luxemburgo | Manita com três de Cristiano

Goleada das grandes. Portugal recebeu o Luxemburgo e não permitiu as mesmas dificuldades do jogo da primeira volta. Aos 17 minutos a formação das “quinas” já vencia por 3-0, com duas grandes penalidades a ajudar, e …

Vantablack. A tinta preta mais preta do mundo já é vendida em peças (que se unem como legos)

Desde a substituição dos ecrãs verdes à pintura dos cenários do teatro, o futuro do entretenimento tem tudo a ver com a Ventablack - a cor preta mais preta do mundo. Nenhuma cor - ou, melhor …

Itália vai exigir passaporte sanitário a todos os trabalhadores a partir de sexta-feira

O primeiro-ministro italiano, Mario Draghi, assinou hoje um decreto com as normas sobre a obrigatoriedade de os funcionários públicos exibirem o passe sanitário a partir de 15 de outubro nos locais de trabalho, medida que …

Está criado o primeiro iPhone com entrada USB — pelas mãos de um estudante de robótica

Ken Pillonel é estudante do mestrado em robótica do Swiss Federal Institute e implementou um sistema que daqui a uns meses pode tornar-se regra nos dispositivos da marca da maçã. Numa altura em que a União …

Autópsia revela que Gabby Petito morreu por estrangulamento. Namorado continua desaparecido

A autópsia ao corpo de Gabby Petito revela que a jovem foi estrangulada. O namorado, Brian Laundrie, que a acompanhava na viagem, continua desaparecido. Além de revelarem o motivo da morte da norte-americana, as autoridades também …

F1: piloto do carro médico continua a recusar vacina (e português beneficia)

Alan van der Merwe não esteve no Grande Prémio da Turquia e, provavelmente, não vai estar em mais nenhuma corrida em 2021. Um português foi chamado para o Grande Prémio da Turquia, na Fórmula 1: Bruno …