Luanda já não é uma das cidades mais caras do mundo

José Sena Goulão / Lusa

A capital angolana já não é das cidades mais caras do mundo, avança o Jornal de Angola esta segunda-feira. No topo das cidades mais caras do mundo estão três destinos: Paris, Singapura e Hong Kong são líderes conjuntos na Pesquisa de Custo de Vida Mundial da Economist Intelligence Unit (EIU) 2019.

A capital francesa, que é presença assídua no top 10 deste ranking desde 2003, subiu de posição este ano. Por sua vez, a quarta cidade mais cara do ano passado, Hong Kong, subiu três posições, levando a um empate no topo pela primeira vez, numa lista liderada também por Singapura.

Lisboa aparece na segunda metade da tabela na 82ª posição. Face a 2018, a capital portuguesas subiu quatro lugares no ranking da EIU, que teve em conta os custos médios de 150 bens em 133 cidades de todo o mundo.

De acordo com o diário angolano, esta listagem é amplamente dominada por cidade asiáticas e europeias que têm os custos de vida mais caros.

O ranking analisa os preços de serviços e produtos, como habitação, transportes ou do pão, em 133 cidades, tendo como referência o custo de vida em Nova Iorque.

A cidade japonesa de Osaka subiu seis posições e agora divide o quinto lugar com Genebra, na Suíça. Por sua vez, Nova Iorque e Los Angeles são as únicas cidades norte-americanas no top 10, com a Big Apple a subir seis posições para o 7.º lugar, que divide com Copenhaga, na Dinamarca. Los Angeles e Tel Aviv, em Israel, repartem o 10º lugar.

Lisboa aparece a par de Praga, a capital checa, na 82º posição, logo atrás de Atenas. Já Londres não aparece nas vinte primeiras posições. Está em 22º lugar, atrás, por exemplo, de Dublin (19ª), enquanto Manchester aparece na 51ª posição, devido à instabilidade causada pelo Brexit e do enfraquecimento da libra.

No outro extremo da lista, a capital da Venezuela, Caracas, é a cidade mais barata par se viver. Importa frisar que atualmente a cidade sul-americana vive uma grave crise política e económica. Seguem-se depois Damasco, a capital Síria, e Tachkent, no Uzbequistão, completando o top 3 das cidades menos caras.

A cidade de Tashkent também sofreu uma forte queda, caindo 19 lugares, estando em 131º, enquanto Moscovo perdeu 16 posições e está em 102º. A capital da Bulgária, Sofia, que subiu 29 posições, está em 90º lugar da lista, graças a um aumento no preço de alimentos e do sector do lazer.

Na Europa, as cidades suíças de Zurique e Genebra, na quarta e quinta posições, com Osaka, no Japão, têm os maiores custos em despesas domésticas, cuidados pessoais, lazer e entretenimento. A elevada classificação conjunta de Copenhaga e Seul (Coreia do Sul) deve-se à custos de transporte, recreação e cuidados pessoais.

A capital turca, Istambul, tornou-se bastante mais barata ao cair 48 lugares para a 120.º da lista. A queda deve-se, em parte, à desvalorização da lira turca.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Na Etiópia, os apagões da Internet afetam a vida de milhares de pessoas

A Internet desempenha um papel decisivo na transformação da vida de milhares de etíopes e é por isso que as paralisações têm um enorme impacto económico.  Entre janeiro e o final de março, os habitantes da …

É urgente moldar as áreas urbanas de África para suportar futuras pandemias

Quando o tema é a Covid-19, o poder das cidades provém do número de interações entre pessoas, empresas e mercados que estes centros populacionais permitem. Apesar de todas as suas virtudes, a verdade é que …

Incêndio em Chernobyl pode ter provocado valores de radiação acima do normal

Um fogo florestal atingiu este domingo a zona interditada da central nuclear de Chernobyl, mas as informações sobre o aumento dos níveis de radiação são contraditórias. O fogo já consumiu 100 hectares de floresta, disse Yehor …

Em pânico, os norte-americanos estão a comprar pintainhos para lidar com a pandemia

Todo o mundo está a ser afetado pela pandemia de covid-19, tendo os norte-americanos, inicialmente, corrido aos supermercados para comprar o máximo de papel higiénico possível. Porém, agora, o produto é outro. De acordo com o …

20 anos depois, aldeias no Peru ainda sofrem com derrame de mercúrio

Em junho de 2000, um camião derramou mercúrio, da mina de ouro Yanacocha, a maior da América Latina, em três aldeias do Peru. 20 anos depois, os moradores ainda sofrem as consequências deste acidente. Quando Francisca …

Caso BPP. Ex-banqueiro João Rendeiro acusado de nova burla

O Ministério Público (MP) acusou o ex-presidente e fundador do BPP, João Rendeiro, de mais um crime de burla qualificada no caso BPP, segundo avança o Correio da Manhã. A acusação relaciona-se, de acordo com o …

EUA "confiscam" na Tailândia 200 mil máscaras que iam para a Alemanha

A polícia de Berlim, na Alemanha, encomendou 200 mil máscaras cirúrgicas a uma empresa americana. Porém, foram "confiscadas" em Banguecoque, na Tailândia, e desviadas para os Estados Unidos. O ministro do Interior de Berlim considerou o …

Valência chega a acordo com Diogo Leite. Saída do FC Porto estará quase consumada

O Valência tem 20 milhões de euros para oferecer ao FC Porto em troca do defesa-central Diogo Leite, com quem já terá chegado a acordo. De acordo com o jornal desportivo A Bola, Diogo Leite já …

Jornais espanhóis fazem boicote às "conferências-farsas" do Governo

Os jornais espanhóis, como o Libertad Digital, o El Mundo, o ABC e o Vozpópuli, estão a boicotar as conferências de imprensa do governo de Espanha, acusando-o de filtrar as perguntas dos meios de comunicação. Tudo começou …

Número diário de óbitos desce em Espanha. Mais um campo de refugiados grego em quarentena

Em Espanha, o número diário de óbitos por infeção de covid-19 tem mantido uma tendência de subida. Já na Alemanha, há menos casos, mas mais mortes. Espanha continua a manter a tendência de descida do número …