Líderes da UE juntam-se na Roménia num esforço de unidade antes das eleições europeias

EPP / Flickr

Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia

Em plena campanha para as eleições europeias de 23 a 26 de maio, chefes de Estado e Governo da UE querem fazer mostra de unidade, no Conselho Europeu desta quinta-feira, Dia da Europa, em Sibiu, na Roménia.

A reunião foi originalmente pensada como um marco da legislatura que está prestes a terminar: desde o discurso sobre o Estado da União de 2017, e da aprovação da Declaração de Roma, que a Comissão anda a promover a #EURoad2Sibiu no âmbito da Agenda de Líderes, a lista dos desafios que exigem uma resposta unida, noticiou o Público.

Segundo o plano, a cimeira informal, agendada simbolicamente para o Dia da Europa, seria uma ocasião especial para o balanço do caminho percorrido por Jean-Claude Juncker e a sua equipa nos últimos cinco anos, e uma oportunidade de ouro para relançar o projeto europeu e projetar o futuro da União após o “Brexit”.

Mas, afinal, a saída do Reino Unido não aconteceu a 29 de Março, e corre o risco de voltar a ser adiada se até outubro não se desfizer o impasse político em Londres. A Comissão pode igualmente acabar por se manter em funções para além do prazo previsto, se o resultado das eleições europeias for tão fragmentado como as sondagens sugerem.

“Vamos reunir em Sibiu no Dia da Europa para discutir planos que serão estratégicos para a União nos próximos anos. Nesse contexto, proponho que adotemos uma Declaração de Sibiu, enviando uma mensagem de unidade e confiança nas nossas ações conjuntas”, escreveu o presidente do Conselho, Donald Tusk, na carta de convite para o encontro.

Como traduzia uma fonte diplomática, na véspera da cimeira, já não se trata de “tomar decisões épicas” sobre o futuro da União, mas antes de reforçar a mensagem de unidade entre os membros da UE e de determinação em responder aos anseios das populações e encontrar soluções para os desafios.

“O mundo ao nosso redor parece mais instável a cada dia que passa. Tudo está a mudar: a economia, o clima, a geopolítica, criando novos desafios mas também novas oportunidades”, assinalou o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, antes da partida de Bruxelas para Sibiu.

Recorrendo à sua experiência, deixou uma sugestão aos líderes: “Nenhuma estratégia resulta se não houver um foco. O que temos é de identificar as coisas que são realmente importantes e que podem ser resolvidas a nível europeu. Se quisermos fazer tudo, acabaremos por não fazer nada”, avisou.

Na declaração final da cimeira, que já não deverá sofrer grandes alterações face ao rascunho negociado entre a Comissão, o Conselho e as capitais, os líderes deverão enumerar as prioridades para a ação política nos próximos cinco anos (o documento de trabalho circulou por Bruxelas designava-as como “os dez mandamentos”).

A abordagem de Donald Tusk foi identificar quatro grandes pilares: a proteção dos cidadãos e das liberdades; o desenvolvimento de uma nova nova base económica, com um modelo económico; a construção de um futuro mais verde, mais justo e mais inclusivo, e a promoção dos valores e interesses europeus no mundo.

Para Jean-Claude Juncker, ultrapassado o tumulto da crise do euro, a tónica dos próximos anos deve ser posta no “aprofundamento da dimensão social da União”, e também no “fortalecimento do papel da Europa como líder global responsável” – sobretudo no atual cenário de instabilidade, competição e confronto entre Estados Unidos, a Rússia e a China.

O objetivo é assegurar a segurança,a  independência, a competitividade e a sustentabilidade da UE, tanto do ponto de vista diplomático e militar, como também económico e financeiro, industrial, digital, ambiental e científico.

De acordo com o Público, os líderes também deverão reassumir o compromisso em trabalhar para colmatar as desigualdades regionais e as disparidades sociais e económicas, proteger os direitos das minorias e combater as intolerâncias, e promover a economia circular e o consumo responsável.

Outro tema digno de nota é a demografia: o envelhecimento da população é apontado como um grande desafio, que leva a uma discussão mais difícil sobre políticas migratórias. Mas o detalhe deverá ficar para reuniões futuras. Sem o “Brexit” a atrapalhar a cimeira, os líderes não vão querer estragar a mensagem de unidade, por exemplo com a discussão de quotas de redistribuição de refugiados, concluiu o Público.

Cerimónia do Brexit

O lado caricato desta cimeira, indicou o Diário de Notícias, é que chegou a ser agendada para 30 de março, acompanhando a ideia lançada por Jean-Claude Juncker de discutir a União pós-“Brexit”.

Só não foi agendada para aquela data, por alguém na equipa de o presidente ter percebido que a uma reunião magna, no dia a seguir à saída do Reino Unido da UE, podia ser lida como uma forma de celebrar o “Brexit”. O encontro acabou por ser empurrado para o dia 09 de maio – Dia da Europa.

Segundo o artigo, era neste encontro que a UE queria despedir-se do Reino Unido. Mas a caminhada cambaleante do país vai continuar, pelo menos por mais cinco meses, que só a 31 de outubro pensa ter condições para terminar os laços com a União.

Olivier Hoslet / EPA

A primeira-ministra britânica, Theresa May, com o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker

Entretanto, Theresa May, que não foi convidada para a cimeira, já convocou eleições europeias para 23 de maio. De acordo com sondagens, os partidos eurocéticos lideram. Com dados agregados apresentados pelo Parlamento Europeu, Nigel Farage volta a liderar.

Agora com o seu novo Partido do Brexit – que reúne 30% das preferências do eleitorado britânico -, o candidato pode até reforçar a votação alcançada em 2014, quando era líder do Partido pela Independência do Reino Unido (UKIP), que agora alcança 4% das intenções de voto.

Juntos, os dois partidos poderão alcançar mais de um terço do número de eurodeputados britânicos (73 ao todo), notou o Diário de Notícias.

TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Erro clínico. Centenas de hóspedes em quarentena em hotel da Austrália vão ter de fazer teste ao VIH

Centenas de pessoas que estiveram em quarentena no hotel Victoria, na Austrália, vão ter de fazer o teste de doenças transmitidas pelo sangue, incluindo VIH, devido a um erro dos profissionais de saúde daquele local …

Forças Armadas dos EUA estão a adquirir coletes à prova de bala adaptados para mulheres

As Forças Armadas dos EUA estão a dar grandes passos no que diz respeito à igualdade de género. A instituição está a começar a mudar os seus coletes à prova de bala, de forma a …

Abstenção do PCP no OE2021? É um excelente indicador, diz Costa

O primeiro-ministro, António Costa, considerou um “excelente indicador” o PCP ter anunciado a abstenção no Orçamento do Estado de 2021 (OE2021) e resultado de um entendimento “para ter um bom orçamento para o próximo ano”. “É …

Egito abre restaurante com vista de luxo para as pirâmides de Gizé

O Egito inaugurou um novo restaurante com vista panorâmica para as pirâmides. O investimento faz parte de uma tentativa de reavivar o turismo no país. O Egito revelou novas instalações para os visitantes no planalto nas …

Novo recorde. Portugal regista mais 3.669 casos de covid-19

Portugal regista este sábado 3.669 novos casos de infeção com o novo coronavírus, responsável pela covid-19, o valor diário mais elevado desde o início da pandemia, e mais 21 mortes relacionadas com a covid-19, segundo …

Câmara do Porto encerra cemitérios nos dias 31 de outubro e 1 e 2 de novembro

O presidente da Câmara do Porto anunciou o encerramento dos cemitérios em 31 de outubro e 1 e 2 de novembro, justificando a decisão com a necessidade de desviar meios para cumprir a proibição de …

Rui Vitória de saída do Al Nassr

O treinador português Rui Vitória está de saída do Al Nassr, avança este sábado o canal árabe 24Sports. A saída de Rui Vitória, que em janeiro de 2019 deixou o comando técnico do Benfica, surge …

Casamento com 200 pessoas autorizado em Arruda dos Vinhos. Câmara contesta

O presidente da Câmara de Arruda dos Vinhos criticou a decisão da autoridade de saúde de autorizar a realização de um casamento “com cerca de 200 pessoas”, considerando que vai colocar a população do concelho …

Novo Banco desmente demissão de gestores após polémicas com Fundo de Resolução e Vieira

O Novo Banco veio a público desmentir a notícia do Público que alega que três gestores de topo da instituição se demitiram, após divergências internas envolvendo várias polémicas relacionadas com o Fundo de Resolução, com …

Milhões da bazuka europeia só chegam em junho

Portugal e os restantes Estados-membros das União Europeia (UE) só deverão receber os respetivos fundos da bazuka europeia de apoio à retoma no pós-pandemia na segunda metade de 2021, em meados de junho. A confirmar-se …