Lewandowski eleito The Best pela FIFA pela segunda vez. Ronaldo premiado por bater recorde de golos pela selecção

FC Bayern / Twitter

Robert Lewandowski, jogador do Bayern Munique

O avançado polaco venceu hoje pelo segundo ano consecutivo o prémio de melhor futebolista da FIFA. Cristiano Ronaldo também foi galardoado por ter batido o recorde de golos marcados com a camisola da selecção nacional.

Na gala virtual, transmitida a partir de Zurique, na Suíça, Robert Lewandowski voltou a ser escolhido como The Best, o prémio de melhor jogador do mundo atribuído pela FIFA, depois de também ter vencido em 2020.

O jogador do Bayern Munique, de 33 anos, ganhou no passado o campeonato alemão, a Supertaça germânica e o Mundial de clubes, sendo que, individualmente, arrebatou a Bota de Ouro, graças aos 41 golos conseguidos na Bundesliga na temporada de 2020/21, tendo batido o recorde de Gerd Müller.

Lewandowski é o quinto jogador a chegar aos dois troféus da FIFA, juntando-se a Lionel Messi (recordista, com seis), ao português Cristiano Ronaldo (cinco), aos brasileiros Ronaldo (três) e Ronaldinho (dois) e ao francês Zinédine Zidane (três).

O internacional polaco tinha sido batido por Messi na Bola de Ouro da France Football, sendo a primeira vez desde 2005 que não é o mesmo jogador a vencer os dois prémios: então, o ucraniano Shevchenko ganhou o prémio do da revista francesa, nascido em 1956, e o brasileiro Ronaldinho o da FIFA, criado em 1991.

Recorde-se que, em 2016, a Bola de Ouro e o The Best voltaram a ser prémios separados, depois de uma parceria de seis anos entre a FIFA e a France Football, que atribuiu o galardão em conjunto.

Na corrida estavam também Mo Salah, do Liverpool, e Lionel Messi, do PSG, mas a discussão já só resumia ao argentino e ao polaco. Além de ter vencido a Taça do Rei pelo Barcelona e o Pichichi da liga espanhola, Messi também conquistou o muito esperado primeiro título com a selecção argentina, com a vitória da Copa América.

Mas no final, Lewandowski levou a melhor, tendo também pesado a sua melhor performance na primeira metade desta temporada, já que Messi tem andado mais apagado desde que se juntou ao Paris Saint-German.

Ronaldo ficou fora do top 3, mas não foi esquecido

Esta foi também a primeira vez em onze anos que Cristiano Ronaldo não entrou no lote dos três finalistas. Apesar de ter sido o melhor marcador do campeonato italiano, CR7 teve uma temporada que deixou muito a desejar com a Juventus, tendo perdido a liga para a Inter Milão e sido afastada da Champions nos oitavos pelo FC Porto.

A prestação fraca selecção das quinas do Euro 2020, com a derrota nos quartos de final frente à Bélgica, também não ajudou o caso de Ronaldo — mas o capitão português alcançou uma marca individual que não foi esquecida pela FIFA, ao ter batido o recorde de 109 golos por uma selecção do iraniano Ali Daei.

https://twitter.com/FIFAWorldCup/status/1483157845482913798

Ronaldo tem agora 115 golos por Portugal. “Sinto-me motivado, continuo a trabalhar no duro desde os meus 18 anos. Por isso, amo o jogo e ainda tenho essa paixão”, disse o internacional português, que esteve presente em Zurique.

Espero jogar mais quatro ou cinco anos. É tudo sobre a mentalidade porque fisicamente, se cuidares do teu corpo, quando precisares dele, ele vai estar lá. E isso é o que eu faço”, concluiu.

Além de CR7, outro português também foi referido na gala. Rúben Dias, central do Manchester City que já tinha vencido o prémio de melhor jogador da Premier League na época passada, foi incluído no 11 do ano, assim como Cristiano Ronaldo. A restante equipa era constituída por Donnarumma, Alaba, Bonucci, Jorginho, Kanté, De Bruyne, Messi, Haaland e Lewandowski.

Já o prémio Puskás, referente ao melhor golo, foi para o golo de “rabona” de Érik Lamela, na altura ao serviço do Tottenham, no dérby londrino frente ao Arsenal. O avançado do Porto Medhi Taremi estava entre os três finalistas, com um pontapé de bicicleta marcado nos quartos da Liga dos Campeões, frente ao Chelsea.

No futebol feminino, a vencedora foi a espanhola Alexia Putellas, jogadora do Barcelona. Ao contrário das categorias masculinas, o The Best e a Bola de Ouro concordaram na escolha de melhor jogadora do ano, depois de Putellas ter conquistado a Champions, o campeonato e a Taça da Rainha.

Lista completa de vencedores

  • Melhor jogador: Robert Lewandowski (Bayern de Munique)
  • Melhor jogadora: Alexia Putellas (Barcelona)
  • Melhor guarda-redes futebol masculino: Edouard Mendy (Chelsea)
  • Melhor guarda-redes futebol feminino: Christiane Endler (Lyon)
  • Melhor treinador futebol masculino: Thomas Tüchel (Chelsea)
  • Melhor treinador futebol feminino: Emma Hayes (Chelsea)
  • Prémio Puskás: Érik Lamela (Tottenham)
  • Prémio de Fair-Play da FIFA: médicos, jogadores e staff da Dinamarca pela resposta no colapso de Christian Eriksen no Euro 2021
  • Melhor “onze” futebol masculino: Donnarumma, Alaba, Rúben Dias, Bonucci, Jorginho, Kanté, De Bruyne, Messi, Ronaldo, Haaland e Lewandowski.
  • Melhor “onze” futebol feminino: Endler, Bronze, Renard, Bright, Eriksson, Banini, Lloyd, Bonansea, Miedema, Marta e Alex Morgan.

  Adriana Peixoto, ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE