Japão constrói muralha contra tsunamis

O governo do Japão está a construir uma grande muralha para se proteger de tsunamis.

A construção terá 12,5m de altura e estender-se-á por mais de 400km na costa noroeste do país. A muralha é feita de cimento e formada por uma cadeia de paredes menores e blocos que facilitam a construção.

De acordo com a BBC, a obra custou cerca de 6,8 mil milhões de dólares (mais de 6,2 mil milhões de euros) e visa evitar um desastre semelhante ao que ocorreu em março de 2011, no qual um tsunami provocado por um terramoto no Oceano Pacífico destruiu comunidades costeiras e a central nuclear de Fukushima, deixando um total de 19 mil mortos.

Os que defendem o projeto afirmam que a muralha é uma espécie de mal necessário e alegam que a construção, que deverá demorar dois anos, vai criar novos postos de trabalho.

Os críticos da muralha afirmam que vai arruinar completamente a paisagem e prejudicar os ecossistemas marinhos e a indústria pesqueira local.

Falsa segurança?

Segundo vários especialistas, a muralha pode reduzir a potência do impacto de um eventual tsunami e, desta forma, os danos causados pela onda. No entanto, também pode criar uma certa falsa confiança.

Muitos dos que morreram ou desapareceram no último tsunami não tiveram em atenção os alertas de perigo.

Margarta Wahlstrom, diretora do Escritório da ONU para Redução de Riscos em Desastres, lembra que a falta de uma infraestrutura básica pode ser catastrófica quando os países em desenvolvimento são atingidos por estes fenómenos, mas a dependência extrema deste tipo de proteção pode fazer com que as pessoas se sintam demasiado seguras.

“Há uma fé exagerada na tecnologia como solução, apesar de tudo o que aprendemos que nos mostra que o conhecimento e a intuição das pessoas é o que faz a diferença. A tecnologia, na realidade, torna-nos um pouco mais vulneráveis”, disse Wahlstrom durante uma conferência na semana passada em Sendai, no Japão.

Akie Abe, esposa do primeiro-ministro japonês Shinzo Abe, também fez críticas ao projeto, afirmando que a muralha fará com que os moradores das cidades costeiras não fiquem atentos aos sinais de um tsunami no futuro e prevendo que a manutenção da muralha seja demasiado cara.

Eficácia questionada

Entre as críticas, há mesmo que duvide da eficácia da muralha.

O mais seguro é que as pessoas vivam em locais mais elevados e que suas casas e locais de trabalho estejam em áreas diferentes. Se fizermos isto, não precisaremos de uma grande muralha”, disse à agência AP Tsuneaki Iguchi, autarca de Iwanuma, cidade que foi inundada no último tsunami.

As provas da utilidade da muralha não são, de facto, unânimes.

Em 2011, a localidade de Fudai, no noroeste da ilha, escapou das ondas graças a um sistema de comportas e um muro. Estas construções foram feitas graças a um autarca que, tendo enfrentado um tsunami anteriormente, fez com que a construção do muro fosse uma prioridade do seu governo.

O projeto, iniciado na década de 1970, foi muito criticado e classificado como um gasto desnecessário – mas foi graças a este que Fudai se manteve de pé.

Por outro lado, na região de Kamaishi, na prefeitura japonesa de Iwate, um grande muro que demorou três décadas a ficar pronto a um custo de 1,6 mil milhões de dólares (quase 1,5 mil milhões de euros) desmoronou-se durante o tsunami de 2011 e deixou a cidade totalmente indefesa.

Apesar das obras da grande muralha já estarem em andamento, o certo é que nenhum projeto de construção poderá eliminar totalmente a necessidade de proteção extra dos fenómenos mais violentos da natureza.

“Não importa o que as pessoas tentem criar, não vamos vencer a natureza. Por isso nós, humanos, temos que encontrar uma forma de coexistir com ela. É preciso fugir quando há perigo – o mais importante é salvar a vida”, disse à agência de notícias AP Takeshi Konno, autarca da cidade costeira de Rikusentakata.

ZAP / BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Primeiro não flutuava. Agora o novo submarino espanhol não cabe nas docas

Primeiro não flutuava, por excesso de peso, e agora, não cabe nas docas. O novo submarino da Marinha Espanhola é um embaraço para a Defesa do país vizinho e um caso flagrante de derrapagem, com …

Quase um milhão de refeições escolares desperdiçadas

Quase um milhão de refeições escolares que tinham sido encomendadas foram desperdiçadas porque os alunos faltaram, revela o relatório anual do ministério da Educação sobre cantinas concessionadas a privados. Entre setembro do ano passado e 31 …

Arrojada no céu: Aston Martin apresenta carro voador de luxo

A Aston Martin apresentou recentemente o Volante Vision Concept, uma aeronave arrojada e futurista destinada a transportar passageiros em voos de médias e longas distâncias. A Aston Martin pôs em cima da mesa as suas soluções …

Marta Soares recusa candidatura de Bruno de Carvalho

Bruno de Carvalho tentou formalizar a sua candidatura à presidência do Sporting, esta quarta-feira, tendo sido prontamente recusada por Jaime Marta Soares. O advogado de Bruno de Carvalho, Pedro Proença, deslocou-se esta quarta-feira ao Estádio de …

Hungria retira-se de pacto mundial sobre as migrações aprovado na ONU

A Hungria, com um Governo abertamente hostil à imigração, declarou que se retira do pacto mundial sobre as migrações aprovado, na semana passada, nas Nações Unidas, por considerar que encoraja o fluxo de pessoas "perigosas". O …

Lisboa vai proibir copos de plástico a partir de 2020

Um dos objetivos da Câmara Municipal de Lisboa para o ano em que a cidade será a Capital Verde Europeia é banir os copos de plástico até 2020. Segundo o Diário de Notícias, esta é uma …

Prisão preventiva para 39 dos 58 arguidos dos Hells Angels

O Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa determinou prisão preventiva para 39 dos 58 arguidos como medidas de coação no âmbito do processo do grupo Hells Angels e apresentações periódicas às autoridades para os restantes. Segundo …

Bruxelas aplica multa recorde de 4,3 mil milhões de euros à Google

A Comissão Europeia aplicou, esta quarta-feira, uma multa com valor recorde de 4,3 mil milhões de euros ao gigante norte-americano Google por abuso de posição no mercado devido ao sistema Android. Esta sanção, destinada a punir …

Rapazes salvos na Tailândia saíram do hospital e recordam "milagre"

As 12 crianças e o treinador de futebol que ficaram presos numa gruta inundada na Tailândia e que estavam internados desde a semana passada receberam esta quarta-feira alta hospitalar e falaram pela primeira vez desde …

Hotel processa sobreviventes do massacre de Las Vegas

A empresa que detém o hotel Mandalay Bay, em Las Vegas –  onde Stephen Paddock disparou sobre uma multidão num festival de música country –, processou mil de vítimas do ataque, argumentando não ter "qualquer …