Ingleses medievais mutilavam cadáveres com medo que se tornassem zombies

Uma investigação realizada arqueólogos britânicos revelou que, na Idade Média, os habitantes de Yorkshire, em Inglaterra, cortavam, esmagavam e queimavam os esqueletos dos mortos para garantir que não ressuscitavam.

“A hipótese de que os restos dos habitantes de Wharram Percy foram desmembrados e queimados para impedir a sua transformação em zombies, corresponde da melhor forma ao que descobrimos e sabemos sobre este local”, afirmou Simon Mays, do Instituto de Southampton, no Reino Unido, citado pela JAS: Reports.

“Se tivermos razão, teremos a primeira prova arqueológica de que a história medieval britânica teve um lado tenebroso e que a mentalidade das pessoas naquela época era completamente diferente”, acrescentou.

A equipe, chefiada pelo arqueólogo Alistair Pike da Universidade de Southampton, fez esta descoberta admirável ao realizar escavações no território da aldeia abandonada de Wharram Percy, situada no norte da Inglaterra, no condado de Yorkshire.

Em meados da década de 60, os cientistas que estavam a investigar Wharram Percy encontraram um cemitério de ossos humanos que tinham indícios de danificações, cortes e queimaduras.

Ao analisarem as várias descobertas nesse local, Pike e os seus colegas deram uma atenção especial a estes ossos, que lhes fizeram lembrar o “produto final” de um procedimento peculiar frequentemente descrito nas histórias medievais da época em que a aldeia ainda existia.

De acordo com o estudo, trata-se de um ritual específico que impede a transformação dos mortos em “zombies“. Nas histórias antigas, as pessoas defendiam-se dessa “magia negra” cortando e queimando os esqueletos dos mortos para garantir que não voltavam.

A Idade Média, segundo os arqueólogos, foi uma época dura em que as pessoas enfrentavam fome e eram obrigadas a praticar canibalismo por não haver outras fontes de alimentos.

No caso dos esqueletos encontrados em Wharram Percy, essa situação é pouco provável, já que os ossos tinham uma medula óssea que os canibais provavelmente teriam comido. O assassinato dos forasteiros também parece uma teoria pouco convincente porque todos os ossos pertenceram a habitantes da aldeia.

Deste modo, Pike e os seus colegas afirmam que a hipótese extravagante sobre a luta dos residentes da aldeia contra a invasão potencial dos “zombies” é a mais provável.

Os cientistas ainda não sabem porque é que os cidadãos de Wharram Percy mutilavam os restos mortais dos seus conterrâneos, mas supõem que esse procedimento possa estar relacionado com atividades da igreja local.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

FC Porto 2-0 Sporting CP | "Dragão" conquista 29.º título de campeão

O FC Porto é o novo campeão nacional de futebol, época 2019/20. Os “dragões” conquistaram o seu 29º título num jogo em que precisavam apenas do empate, mas fizeram mais do que isso e venceram …

Personalidades brasileiras, como o músico Chico Buarque, pedem destituição de Bolsonaro

Um grupo de artistas e intelectuais brasileiros pediu na terça-feira a destituição do Presidente, Jair Bolsonaro, num documento que vai ser entregue à Câmara dos Deputados do país por parlamentares da oposição. Entre as personalidades que …

Prestigiada universidade britânica envolvida em escândalo sexual

Uma das universidades mais antigas do mundo está envolvida num escândalo sexual, com dezenas de pessoas a alegarem ter sido abusadas no seu campus por membros de uma fraternidade. De acordo com a CNN, as denúncias …

Há uma forma barata e eficiente de encontrar coalas. Envolve tecnologia e a Austrália é pioneira

A Austrália lidera o uso inovador de tecnologias emergentes, como drones, para ajudar a encontrar coalas e outros animais selvagens de difícil deteção. Na Austrália, os incêndios florestais catastróficos do verão passado queimaram cerca de um …

O mais longo cabo de eletricidade do mundo vai "nascer" entre o Reino Unido e a Dinamarca

Já arrancaram as obras para a construção do maior cabo de eletricidade conector do mundo, que permitirá que energia limpa seja transportada entre o Reino Unido e a Dinamarca, avança o jornal britânico The Independent, …

Descobertas ruínas de antigo palácio asteca e de casa do conquistador espanhol Cortés

Foram descobertas ruínas de um antigo palácio asteca e da primeira casa do conquistador espanhol Hernan Cortés debaixo de um emblemático edifício da Cidade do México. Uma equipa de arqueólogos descobriu vestígios de um antigo palácio …

De Bolsonaro a Ventura, Parler é a rede social que está a atrair a direita

Apesar de não ser nova, esta rede social começou a ganhar popularidade nos últimos tempos, nomeadamente entre vários políticos de direita, por apostar na "liberdade de expressão". Chama-se Parler, foi criada em agosto de 2018, mas …

Pandemia leva famílias sírias a casar filhas menores de idade a troco de dinheiro

Face às dificuldades geradas pela pandemia do novo coronavírus, várias famílias sírias estão a casar as suas filhas menores de idade com homens turcos. A denúncia foi feita por ativistas da ECPAT, uma rede de organizações …

Politécnico de Bragança ameaça retirar apoios a estudantes que desrespeitem regras sanitárias

Esta terça-feira, o presidente do Instituto Politécnico de Bragança avisou os estudantes que está a pensar cortar apoios sociais àqueles que desrespeitarem as regras sanitárias. O presidente do Instituto Politécnico de Bragança (IPB), Orlando Rodrigues, avisou …

Banksy faz rara aparição pública no metro de Londres (e alerta para o uso de máscara)

O artista britânico Banksy fez vários desenhos numa carruagem do metro de Londres para cosnciencializar para o uso de máscara, que é obrigatório nos transportes públicos da capital do Reino Unido devido à pandemia de …