Cidadão abdica de indemnização do Estado se o juiz Carlos Alexandre lhe pedir desculpas

José Sena Goulão / Lusa

O juiz Carlos Alexandre

Um cidadão anuncia que abdica da indemnização que vai receber do Estado, depois de este ter sido condenado pelo Tribunal Europeu por demora da justiça, se receber um pedido de desculpas públicas do juiz Carlos Alexandre.

No requerimento que escreveu ao Conselho Superior de Magistratura, a que a agência Lusa teve acesso, o homem informa que “abdica dos 7 mil euros em que o Estado foi condenado com a condição de o juiz Carlos Alexandre lhe pedir desculpa pelo tempo que passou na prisão”.

Basta-me um pedido de desculpas do juiz Carlos Alexandre, reconhecendo que não me devia ter prendido, que ocorreu um lapso da sua parte e que não havia motivo válido para o processo seguir para julgamento”, sublinha o cidadão, recordando que o juiz Ivo Rosa já antes tinha decidido pela nulidade e arquivamento do processo.

Em causa está um processo judicial que começou em 1999 e que terminou em 2010.

Em 1999, na sequência de uma participação criminal contra um outro cidadão, o homem foi constituído arguido por suspeitas de associação criminosa e burla. A Polícia Judiciária efectuou buscas no seu armazém, tendo apreendido um empilhador e 21 paletes.

Em 2001, a investigação transitou para o Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), dada a “gravidade dos delitos em causa e a especial complexidade e dispersão da actividade criminosa”.

O homem requereu que os bens apreendidos lhe fossem restituídos em 2002 e, em 2004, pediu a aceleração do processo, mas os pedidos foram indeferidos.

Em 2005, por decisão do Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC), foi detido em sua casa pela Polícia Judiciária e foi presente ao juiz de instrução, tendo ficado em prisão preventiva durante 3 meses por “perigo de fuga” e, depois, em prisão domiciliária sob vigilância electrónica durante 8 meses.

Em 2006, foi acusado pelo Ministério Público de crimes de associação criminosa e burla qualificada num caso que envolveu 18 arguidos.

Depois de a acusação ter sido declarada nula pelo TCIC, em 2007 foi deduzida nova acusação contra o queixoso por dois crimes de burla qualificada, sendo arquivado o de associação criminosa “por inexistência de indícios suficientes”.

No julgamento, iniciado em Novembro de 2008 pela 3.ª Vara Criminal de Lisboa, os juízes acabaram por absolver o arguido dos crimes de que vinha acusado por falta de provas.

Em Março de 2010, o homem recorreu ao Tribunal Europeu dos Direitos do Homem, alegando que, apesar de ter sido absolvido, esteve detido “ilegal e injustificadamente” e, nessa altura, continuava sem os seus bens.

O Tribunal Europeu dos Direitos do Homem deu-lhe razão quanto à demora da Justiça e condenou o Estado a pagar uma indemnização de 7.600 euros, em vez dos 100 mil euros pedidos pelo homem.

Por esse motivo, em 2013, o cidadão avançou com uma acção no Tribunal Administrativo de Lisboa que, em Junho deste ano, veio a condenar o Estado no âmbito desse processo, fixando em 7.400 euros o valor da indemnização.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas estudam a presença de água líquida em exoluas de planetas "fugitivos"

Astrofísicos calcularam que tais sistemas poderiam abrigar água suficiente para tornar a vida possível - e sustentá-la. A água - no estado líquido - é o elixir da vida. Tornou a vida possível na Terra e …

Portugal tem o segundo melhor ataque do Euro. E a terceira pior defesa

Fechada a segunda jornada da fase de Grupos do Euro 2020, a seleção nacional tem o segundo melhor ataque da prova, com 5 golos marcados, atrás apenas da Itália. Mas tem também a terceira pior …

Espanha 1-1 Itália | Hino ao desperdício trama La Roja

A Polónia, comandada pelo treinador português Paulo Sousa, empatou hoje a um golo com a Espanha, em Sevilha, em encontro da segunda jornada do Grupo E do Euro2020, mantendo-se ambas sem vitórias. A formação espanhola, que …

Já pode ajudar a NASA a batizar o manequim que vai até à Lua

A agência espacial norte-americana está a pedir ajuda para batizar o "Moonikin", o manequim que vai a bordo da nave Orion, durante a missão lunar Artemis I, ainda este ano. Quando a nave espacial Orion, da …

Portugal em Europeus: as últimas três derrotas foram (todas) contra a Alemanha

Em 90 minutos, Portugal não era derrotado numa fase final de um Europeu desde a estreia no Europeu 2012. Recorde as seleções que bateram Portugal, até agora. "Já não posso ver os franceses à frente". Esta …

Spotify lança Greenroom (e abre concorrência ao Clubhouse)

O Spotify lançou na quarta-feira, dia 16 de junho, uma app de conversas por áudio em direto chamada Greenroom, uma resposta do gigante sueco de streaming de música à popular plataforma Clubhouse. O Greenroom permite que …

"Médicos de árvores" em Singapura ajudam a preservar os seus pacientes gigantes

Arboristas como Eric Ong são responsáveis pelo bem-estar das milhares de árvores em Singapura. O seu trabalho é essencial para a preservação da natureza. A Singapura é uma cidade-estado insular situada ao sul da Malásia, com …

Novo primeiro-ministro de Israel dá 14 dias a Netanyahu para deixar residência oficial

O novo primeiro-ministro de Israel, Naftali Benet, deu duas semanas ao antecessor Benjamin Netanyahu para abandonar a residência oficial do chefe de Governo, em Jerusalém, segundo adianta hoje a imprensa local. Benet terá enviado na sexta-feira …

Ponte inca com mais de 500 anos é reconstruída após cair durante a pandemia

Peruanos da comunidade Huinchiri, localizada na região de Cusco, estão a reconstruir uma ponte inca com 500 anos. Esta foi feita a partir de técnicas tradicionais de tecelagem para criar uma passagem sob o Rio …

Portugal 2-4 Alemanha | Reality check ao plano do engenheiro

A seleção portuguesa de futebol, campeã em título, caiu hoje para o terceiro lugar do Grupo F do Euro2020, ao perder por 4-2 com a Alemanha, em encontro da segunda jornada, disputado no Allianz Arena, …