Um homem limpou o ouvido com um cotonete. Contraiu uma infeção no crânio

Um homem no Reino Unido deixou de limpar os ouvidos com cotonetes após desenvolver uma infeção potencialmente fatal que afetou a sua audição, espalhou-se para o revestimento do cérebro e causou sintomas neurológicos.

Os problemas do homem de 31 anos começaram quando a ponta de um cotonete ficou presa dentro do canal auditivo, embora ele tenha dito aos médicos que não sabia exatamente como ou quando aconteceu. Um pouco de algodão no ouvido pode parecer inofensivo, mas neste caso, causou estragos.

O homem desenvolveu uma grave infeção bacteriana que começou no canal auditivo, progrediu até ao osso na base do crânio e subiu para o interior do cérebro – as meninges, explicou Alexander Charlton, membro da equipa de especialistas em ouvido, nariz e garganta envolvidos no tratamento do paciente no University Hospital Coventry.

Mesmo que a infeção não tenha entrado no cérebro do homem – não progrediu além do revestimento – começou a causa sintomas neurológicos. O homem foi levado para a sala de emergência depois de sofrer uma convulsão e entrar em colapso.

Charlton disse ao Live Science que suspeita que tanto as toxinas da infeção bacteriana como a pressão no cérebro causaram a convulsão.

Os sintomas do homem, no entanto, começaram muito antes da crise, de acordo com o relatório. Ele começou a sentir dor e descargas da sua orelha esquerda durante cerca de dez dias antes da convulsão e tinha dores de cabeça no lado esquerdo da cabeça que eram tão graves que o fizeram vomitar. Além disso, começou a ter dificuldade em lembrar-se do nome das pessoas.

Os problemas no ouvido do homem não eram novidade. Ele disse aos médicos que tinha sofrido com dores na orelha esquerda e perda de audição nos últimos cinco anos e que tinha sido tratado duas vezes devido a infeções graves de ouvido do mesmo lado.

Quando chegou ao hospital, os médicos examinaram-lhe o cérebro: as imagens revelaram dois abcessos – ou áreas inflamadas preenchidas com pus nos ossos da base do crânio, adjacentes ao canal do ouvido esquerdo. Isto mostrou aos médicos que, embora a infeção possa ter começado dentro do canal auditivo do homem, espalhou-se além dessa área.

O homem foi diagnosticado com “otite externa necrosante” ou uma infeção no tecido mole do canal auditivo externo.

Os médicos do homem realizaram uma pequena cirurgia para explorar o canal auditivo. Durante a operação, localizaram e removeram a ponta do cotonete. A ponta estava cercada por cera e detritos, sugerindo que esteve lá durante algum tempo.

O homem passou quase uma semana no hospital e precisou de dois meses de antibióticos intravenosos e orais para tratar a infeção, mas não teve problemas auditivos ou de raciocínio a longo prazo.

Os médicos aconselharam-no a não voltar a usar cotonetes de algodão para limpar os ouvidos. “Só podem causar problemas”, disse Charlton, observando que os cotonetes têm sido associados a infeções de ouvido e tímpanos perfurados.

O caso clínico foi publicado em 6 de março na revista BMJ Case Reports.

PARTILHAR

RESPONDER

Um quarto dos italianos acredita em teorias da conspiração sobre a covid-19

Um quarto dos italianos acredita em teorias da conspiração sobre a covid-19, incluindo que o vírus foi criado em laboratório para alterar equilíbrios mundiais ou que não existe, segundo uma nova sondagem. Um em cada cinco …

Carros importados poderão reaver ISV pago em excesso desde 2017

A Autoridade Tributária foi condenada a devolver parte do Imposto Sobre Veículos (ISV) cobrado sobre dois carros usados importados em 2017. Segundo o jornal Público, esta é a primeira vez que a sentença envolve um imposto …

Juventude Popular suspende congresso do próximo fim de semana

O XXIV Congresso da Juventude Popular, agendado para sábado e domingo, em Braga, foi suspenso e será reagendado 15 dias depois do levantamento do estado de emergência, decidiram esta terça-feira os órgãos da estrutura que …

Novo líder do Aliança reúne-se com Rui Rio (com autárquicas em cima da mesa)

Paulo Bento, recém-eleito presidente do Aliança, e Rui Rio, líder do PSD, vão encontrar-se esta quarta-feira. Em cima da mesa vão estar as eleições autárquicas do próximo ano. De acordo com o Público, o encontro destina-se …

Mais de 60% dos portugueses deixaram de ir a restaurantes. Só 33% considera que o Estado prioriza a saúde

A nível nacional, 63% dos portugueses que continuaram a ir a espaços de restauração indicaram o convívio familiar com principal motivo da deslocação. A nível dos cuidados de saúde apenas 33% dos portugueses consideram que …

Santa Casa contratou Paulo Pedroso como consultor por 3700 euros

O ex-ministro socialista Paulo Pedroso, actual director da campanha presidencial de Ana Gomes, foi contratado pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) em Setembro passado, com um ordenado de 3700 euros e efeitos retroactivos …

Covid-19. Médicos devem dar prioridade a quem pode recuperar vida normal e não à idade

Os doentes que podem recuperar para uma vida normal devem ter prioridade face aos que têm baixa probabilidade de recuperação e a idade não pode por si só ser critério, recomenda um parecer do Colégio …

"Há doentes a ficar para trás". Ex-ministro da Saúde diz que mortes por falta de cuidados são inaceitáveis

O ex-ministro da Saúde Adalberto Campos Fernandes afirmou esta terça-feira que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) está a ser exposto a um teste de stresse devido à pandemia e que não é aceitável que …

Ordem dos Médicos abre processo disciplinar a médica que divulgou receita para enganar testes à covid-19

Depois de médica divulgar receita para os possíveis infetados testarem negativo à covid-19, a Ordem dos Médicos abriu o terceiro processo contra membros do movimento que contesta o uso de máscaras - os "Médicos pela …

Aprovado alargamento das taxas agravadas do IMI e IMT para empresas em offshores

As empresas localizadas em offshore que criem um veículo para deter imóveis em Portugal vão passar a estar sujeitas a taxas agravadas de IMI e de IMT, segundo uma proposta aprovada pelo Parlamento nesta terça-feira. A …