Governo do Egipto demite-se em bloco após escândalo de corrupção na Agricultura

Eslam Gomaa / EPA

Jovens em manifestação de protesto em Gizé contra o governo do Egipto

Jovens em manifestação de protesto em Gizé contra o governo do Egipto

O primeiro-ministro e todo o Governo do Egipto demitiu-se hoje, anunciou a presidência, dias depois de o ministro da Agricultura ter sido detido por corrupção. O governo vai manter-se em funções durante um período de transição até que novo governo tome posse.

“O primeiro-ministro Ibrahim Mahlab entregou a demissão do Governo ao Presidente, que a aceitou”, lê-se numa declaração presidencial que não especifica os motivos da demissão.

O Presidente Abdel Fattah al-Sisi pediu ao primeiro-ministro, para se manter no cargo até haver novo Governo, acrescenta a declaração.

O anúncio surge numa altura em que o Egito se prepara ter umas eleições que têm vindo a ser adiadas, primeiro para 17 de outubro, e depois para 2 de dezembro.

Na segunda-feira, o gabinete do primeiro-ministro anunciou que o ministro da Agricultura, Salah Helal, tinha sido detido depois de ter sido demitido por ordem de Sisi no âmbito de uma investigação sobre corrupção.

O Governo de Mahlab, composto por 31 governantes, tomou posse em março de 2014 com o principal objetivo de organizar as eleições presidenciais que Sisi, o antigo chefe das forças armadas, venceu em maio desse ano.

A vitória de Sisi ocorreu quase um ano depois de o antecessor Mohamed Morsi ter sido deposto, em julho de 2013.

As próximas eleições vão ocorrer mais de dois anos depois de Sisi ter deposto Morsi, cujo partido Irmandade Muçulmana, agora proibido, ganhou por larga maioria as eleições de 2011.

/Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

Apoio à retoma. Empresas com perdas de 25% podem reduzir horário até 33% já esta terça-feira

Empregadores com quebra de faturação igual ou superior a 25% vão poder reduzir até 33% o horário dos trabalhadores, entre outubro e dezembro, segundo a alteração ao regime de retoma progressiva de empresas em crise. O …

Chega quer tornar voto obrigatório e sanções para quem não cumprir

O deputado único do Chega entregou uma nova proposta no âmbito do projeto de revisão constitucional do partido para tornar o voto obrigatório para todos os cidadãos que o possam exercer e sanções para quem …

A Alemanha quer tornar o teletrabalho um direito legal

O Governo alemão prepara-se para publicar um projeto de lei que dará aos trabalhadores do país o direito legar de trabalhar a partir de casa. A medida aplicar-se-á a todos as atividades laborais que possam …

Novo surto em lar de Beja e 90 alunos em isolamento em Famalicão

Um surto de covid-19 identificado no Lar de Idosos do Centro Paroquial e Social do Salvador, em Beja, já infetou 31 pessoas, sendo 24 utentes e sete funcionários, divulgou a Unidade Local de Saúde do …

Mais de 600 anos depois, encontram-se (várias) semelhanças entre a covid-19 e a peste negra

Numa altura em que o vírus da covid-19 se tem espalhado por todo o mundo, as comparações com outras doenças pandémicas são inevitáveis. Um exemplo disso foi a peste negra que em 1348 fez com …

Nacionalista apoiado pela Turquia eleito Presidente de Chipre do Norte

O nacionalista Ersin Tatar, apoiado pela Turquia, foi no domingo eleito "Presidente" da autoproclamada República Turca de Chipre do Norte (RTCN), numa vitória surpreendente face ao dirigente cessante, Mustafa Akinci, anunciou o conselho eleitoral. Com 51,74% …

China alerta que detectou coronavírus vivo numa embalagem de comida congelada

O Centro para o Controlo e Prevenção de Doenças da China alerta que detectou amostras vivas do novo coronavírus em embalagens de comida congelada, pelo que estas podem ser um veículo de contágio. Já tinham sido …

Marcelo está a fazer o que a ministra da Saúde “devia ter feito”, critica Ordem dos Médicos

O bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, criticou esta segunda-feira a ministra da Saúde, Marta Temido, e elogiou o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, por ter decidido reunir com representantes de várias …

Declaração médica substitui teste negativo em regresso à escola ou emprego

A diretora-geral da Saúde esclareceu esta segunda-feira que o regresso à escola ou ao emprego dos doentes assintomáticos ou com sintomas ligeiros de covid-19, após 10 dias de isolamento, depende apenas de uma declaração de …

Contratação coletiva pode ficar "congelada" por três anos. Medida protege 2,9 milhões de trabalhadores

O Governo quer suspender por dois anos a contagem dos prazos da caducidade e sobrevigência da contratação coletiva, medida que que pode proteger os direitos laborais e sociais de quase 2,9 milhões de trabalhadores. De acordo …