Governo dá tolerância de ponto nos dias 9 e 13 de abril

António Pedro Santos / Lusa

O primeiro-ministro, António Costa

O primeiro-ministro assinou um despacho a conceder tolerância de ponto nos próximos dias 9 e 13, no período da Páscoa, a todos os trabalhadores que exercem funções públicas nos serviços da administração direta do Estado.

“É concedida tolerância de ponto aos trabalhadores que exercem funções públicas nos serviços da administração direta do Estado, sejam eles centrais ou desconcentrados, e nos institutos públicos, nos dias 9 e 13 de abril”, lê-se no despacho que foi assinado por António Costa na sexta-feira e ao qual a agência Lusa teve acesso.

Segundo fonte do Governo, ao contrário do que tinha sido a prática comum em anos anteriores relativamente ao período da Páscoa, a tolerância de ponto é agora dada para todo o dia da próxima quinta-feira, 9 de abril, e não apenas para o período da tarde desse dia.

Além disso, a tolerância de ponto vai abranger também o dia inteiro da segunda-feira seguinte ao domingo da Páscoa, dia 13, o que antes também não acontecia.

No diploma, para justificar estas mudanças face a anos anteriores, refere-se que “foi renovada a declaração do estado de emergência pelo decreto do Presidente da República” de 2 de abril “e que, no quadro da sua execução, o Governo decidiu limitar especialmente a circulação no período da Páscoa”.

Acrescenta-se em seguida “a importância de serem adotadas medidas que permitam o reforço do recolhimento domiciliário e contribuam para a menor circulação de cidadãos no referido período, nomeadamente os funcionários públicos”.

Da tolerância de ponto, segundo o mesmo diploma, excetuam-se “os trabalhadores dos serviços essenciais” referidos no artigo 10.º do decreto de 13 de março que estabelece medidas excecionais e temporárias relativas à situação epidemiológica do novo coronavírus.

“Excetuam-se do disposto no número anterior os trabalhadores dos serviços essenciais, referidos no artigo 10.º do Decreto-Lei n.º 10-A/2020, de 13 de março, na sua atual redação, que, por razões de interesse público, devam manter-se em funcionamento naquele período, em termos a definir pelo membro do Governo competente, considerando-se trabalho suplementar o serviço prestado nestes dias”, refere-se no despacho.

Fonte do executivo adiantou à agência Lusa que o trabalho suplementar prestado nesses dias será pago com um valor acrescido em 50%. Por outro lado, ultrapassado o período de estado de emergência ou de calamidade, esses trabalhadores terão igualmente, em período a definir mais tarde, direito à equivalente dispensa.

“Sem prejuízo da continuidade e da qualidade do serviço a prestar, os dirigentes máximos dos serviços referidos devem promover a equivalente dispensa do dever de assiduidade dos respetivos trabalhadores, em dia a fixar oportunamente e após a cessação de estado de emergência ou de calamidade”, salienta-se ainda no despacho assinado pelo primeiro-ministro.

// Lusa

 

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Caríssimos
    Gostava de observar sobre esta notícia algumas considerações:”serviços da administração direta do Estado”!!!! Quem são estes serviços???? O que fazem?
    Imediatamente vieram as autarquias á baila. Por isto, muitos presidentes de municípios não consederam a tolerância de ponto no dia 13 aos funcionários. Raros foram os que explicaram porque não concediam!
    Vamos continuar a ter dualidades de critério para com os cidadãos. Sabemos que já não é de agora. São guerras para confundir e desastabelizar. Quando, é que os nossos governantes vão emitir leis para todos e com uma só interpretação? Fica a dúvida!

RESPONDER

Teletrabalho e questões ambientais são prioridade para o PS no início da sessão legislativa

A líder parlamentar do PS afirma que duas das principais prioridades da sua bancada no início da presente sessão legislativa vão passar pela regulamentação do teletrabalho e pela aprovação de uma lei de bases do …

Justiça alemã abre novo inquérito contra suspeito do desaparecimento de Maddie

A justiça alemã abriu um novo inquérito contra o principal suspeito do desaparecimento de Maddie McCann, relativo à violação de uma jovem irlandesa, em 2004, anunciou, esta terça-feira, o procurador de Brunswick. "Posso confirmar que investigamos …

Mais de metade dos portugueses acredita que os fundos europeus vão ser mal geridos

Mais de metade dos portugueses (60,6%) acredita que os fundos europeus que Portugal vai receber para fazer face à pandemia vão ser mal geridos, revela uma sondagem da Intercampus para o Jornal de Negócios e …

CMVM avança com suspensão de ex-secretário de Estado da Energia da OMIP

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) notificou, esta segunda-feira, o ex-secretário de Estado da abertura de um processo para a sua suspensão da administração da OMIP, alegando "dúvida fundada" quanto à adequação aos …

Satélite mostra preparativos de desfile na Coreia do Norte (e há quem desconfie da presença de novos TEL)

Novas fotografias tiradas por satélite e analisadas hoje pelo portal especializado 38North mostram os preparativos para um grande desfile militar na capital da Coreia do Norte, que a 10 de outubro comemora a fundação do …

Cartéis mexicanos ganharam cerca de 40 mil milhões de euros em apenas 2 anos

Os grupos criminosos do México ganharam cerca de mil milhões de pesos (perto de 40 mil milhões de euros), entre 2016 e 2018, revelou na segunda-feira a Unidade de Inteligência Financeira (UIF) do Governo mexicano. Durante …

O outono acaba de chegar ao hemisfério norte. E há uma razão para ter sido hoje

Setembro é o mês do regresso às aulas e ao trabalho. Após os dias quentes de verão, chega o outono. Este ano, a estação começa hoje, dia 22 de setembro, mais precisamente às 15h31, segundo …

Costa avisa que não há tempo a perder. País enfrenta "gigantesca responsabilidade"

O primeiro-ministro advertiu, esta terça-feira, que Portugal está perante "uma gigantesca responsabilidade" e "não pode perder tempo" com hesitações na execução dos fundos europeus nos próximos seis anos, tendo de conciliar "máxima transparência e mínimo …

Portugal recusa-se a fechar. "Parece que estamos a celebrar o modelo sueco"

António Costa e Marcelo Rebelo de Sousa parecem estar de acordo: Portugal não pode voltar a parar. Um especialista consultado pelo semanário Expresso defende que "parece que estamos a celebrar o modelo sueco". António Costa admitiu, …

Mais cinco mortes e 463 novos casos de covid-19 em Portugal

Portugal regista, esta terça-feira, mais cinco mortes e 463 novos casos de infeção por covid-19 em relação a segunda-feira, mostra o boletim mais recente da Direção-Geral de Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da …