General preso em casa por alegadamente esconder segredos de José Eduardo dos Santos

Manuel de Almeida / Lusa

O presidente de Angola, João Lourenço. Ao fundo, a figura de José Eduardo dos Santos

O antigo chefe do Serviço de Inteligência e Segurança Militar de Angola, general Zé Maria, está em prisão domiciliária, acusado de ter extraviado documentos com informações secretas sobre José Eduardo dos Santos. Para alguns angolanos é “um acto de força de João Lourenço”, enquanto outros acreditam que é uma mera “manobra de manipulação”.

O Supremo Tribunal Militar (STM) de Angola aplicou, nesta segunda-feira, a medida de prisão domiciliária ao ex-chefe do Serviço de Inteligência e Segurança Militar (SISM) do país, o general António José Maria.

A detenção domiciliária terá sido escolhida em detrimento da prisão preventiva devido a problemas de saúde do militar reformado que era um dos homens fortes da presidência de José Eduardo dos Santos, o antigo chefe de Estado de Angola.

O general Zé Maria, como é mais conhecido, está “indiciado pelo crime de extravio de documentos, aparelhos ou objectos que contenham informações de carácter militar e insubordinação”, como reporta o Jornal de Angola.

São “ilícitos previstos e puníveis” nos termos da “Lei dos Crimes Militares”, aponta a publicação, frisando que o general na reserva é suspeito de ter escondido “documentos do SISM com a finalidade de salvaguardar segredos do ex-Presidente da República“.

Está em causa uma pena de prisão que pode ir dos 2 aos 8 anos.

O general era chefe do SISM desde 2009, tendo sido exonerado do cargo pelo actual Presidente angolano, João Lourenço, em Novembro de 2017.

“A beber do próprio veneno”

O processo contra o general Zé Maria é encarado com algumas suspeitas na sociedade angolana. Há quem acredite que é apenas “mais um acto de demonstração de força de João Lourenço” perante os que “ainda o tentam desafiar”, como salienta a emissora internacional alemã DW.

Para o advogado e activista Arão Bula Tempo, a detenção do general é apenas “mais uma manobra de manipulação da opinião pública, tendo em conta os problemas sociais que o país atravessa”, conforme declarações à DW África.

Bula Tempo refere que João Lourenço “fez muitas promessas” numa altura em que Angola vive “situações drásticas ao nível económico, provocados pelo próprio partido no poder”. Assim, “para limpar a imagem do MPLA“, o Presidente angolano “está a tentar encontrar algumas personalidades para responderem em tribunal”, considera o advogado.

Também para o activista Adão Ramos a prisão do general “não é para se levar a sério“. “Essas pessoas detidas são classificadas arguidas, e depois são-lhes retiradas as medidas de coacção e não acontece mais nada”, sustenta em declarações à DW África.

Adão Ramos acredita ainda que a prisão do general “visa consolidar o poder do Presidente da República” para demonstrar a “quem ainda faz alguma resistência à sua liderança” que ele “tem poder suficiente para fazer o que também fez o ex-Presidente da República, que é punir, prender, enfim, fazer outras coisas para quem representa algum incómodo”.

Já o activista Benedito Jeremias (também conhecido por Dito Dali), um dos que integrou o “grupo dos 17” que foi detido em 2015, defende que o general está “a beber do próprio veneno”.

A DW África salienta que o general é visto como o “mentor” da prisão dos 17 activistas angolanos e Dito Dali considera, à conversa com a publicação, que o militar na reserva “é um especialista em forjar crimes, em manipular e fazer chantagens ao ex-Presidente, José Eduardo dos Santos, com a finalidade de garantir o seu posto”.

“Inventou que o general Miala estava a preparar um golpe de Estado contra José Eduardo dos Santos. O general Miala foi condenado, e até hoje não se provou o tal golpe de Estado que ele havia montado”, atira Dito Dali.

Para o activista, o general “não terá como sair ileso deste processo, caso não haja uma manipulação para distrair a opinião pública”.

SV, ZAP //

 

PARTILHAR

RESPONDER

Marte pode ter tido dois reservatórios de água (e nenhum oceano de magma)

Meteoritos marcianos analisados por cientistas sugerem que o Planeta Vermelho pode não ter tido um oceano de magma global, ao contrário da Terra. O mesmo estudo indica que Marte recebeu água de, pelo menos, duas …

Além de sermos bons ouvintes, também deveríamos tentar comunicar com extraterrestres

Desde há muito tempo que os seres humanos são fascinados pela ideia de não estarmos sozinhos no Universo. Um cientista sugere que para além de tentar escutar sinais extraterrestres, deveríamos também investir em enviar mensagens …

"Parasitas": O Melhor Filme dos Óscares chega à televisão

Parasitas vai passar na televisão esta sexta-feira (3), às 21h30, no canal TVCine Top. A produção de Bong Joon-ho angariou, nesta última award season, inúmeras nomeações, tendo sido Palma de Ouro no Festival de Cinema …

Países entram numa "guerra secreta" por ventiladores, admite agente da Mossad

Muitos países estão a utilizar os seus serviços de informações para a compra de material de saúde encomendado por outros, sobretudo ventiladores, para enfrentar a crise do novo coronavírus, disse um agente da Mossad, encarregado …

Pessoas que espalham ódio na Internet tendem a ser psicopatas

Os utilizadores da Internet que publicam comentários de ódio sobre outras pessoas tendem a ter traços psicopáticos. Por outro lado, os cientistas não encontraram uma correlação entre essa prática e narcisismo ou maquiavelismo. Estes utilizadores são …

Polícia britânica tingiu de negro uma lagoa azul para afastar visitantes

A Polícia britânica decidiu tingir de negro uma lagoa azul muito procurada na região de Derbyshire, visando assim afastar os visitantes e fazer com que estes cumpram o isolamento social exigido pelas autoridades para travar …

A maior cascata do Equador desapareceu repentinamente

A maior cascata do Equador, com cerca de 150 metros, desapareceu repentinamente por causa de uma dolina. Investigadores ainda não sabem se esta apareceu por causas naturais ou humanas. Em fevereiro, a cascata de San Rafael, …

Aprovada descida de 3% na eletricidade no mercado regulado

A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) aprovou uma descida do preço da tarifa aplicada no mercado regulado de cinco euros por megawatt/hora (MWh). Contas feitas, trata-se de uma redução de aproximadamente 3% no total …

Turquemenistão proibiu o uso da palavra "coronavírus"

Enquanto o mundo luta para conter a propagação da pandemia de covid-19, no Turquemenistão os cidadãos podem ser presos só por dizerem a palavra "coronavírus". De acordo com a rádio NPR, que cita a organização não …

EDP oferece desconto de 20% a profissionais e organizações de saúde

Face à pandemia de covid-19, a EDP vai oferecer um desconto de 20% na fatura da eletricidade a profissionais e organizações de saúde, anunciou esta quarta-feira a empresa liderada por António Mexia em comunicado. “A …