Finlândia e Suécia cada vez mais perto de uma adesão à NATO

2
Sanna Marin, primeira-ministra da Finlândia

Sanna Marin, primeira-ministra da Finlândia

A Finlândia e a Suécia podem formalizar os pedidos de adesão à NATO já este verão, como consequência da invasão russa da Ucrânia.

A possibilidade foi abordada ao longo da última semana, nomeadamente durante as reuniões dos ministros dos negócios estrangeiros da aliança, em que participaram ambos os países.

A Rússia não é o vizinho que pensávamos ser“, disse Sanna Marin, primeira-ministra da Finlândia, que há dias tinha já dito que era hora de o país repensar a sua posição sobre a NATO, naquela que é uma das consequências da invasão russa da Ucrânia.

Fontes ouvidas pelo The Times adiantaram que deve ser a Finlândia a primeira a avançar, já em junho, e a Suécia deverá segui-la. “Não excluo de modo algum a adesão à NATO”, disse, há duas semanas, a primeira-ministra sueca Magdalena Andersson.

Na semana passada, Alexander Stubb, ex-primeiro-ministro e ex-ministro dos Negócios Estrangeiros finlandês, adiantou, através de uma publicação no Twitter, que as duas nações nórdicas confirmaram essa mesma intenção.

“No início da guerra, eu disse que a agressão de Putin levaria a Finlândia e a Suécia a aderir à NATO. Eu disse que não seria uma matéria de dias e semanas, mas meses. Altura de reformular: a Finlândia vai candidatar-se nas próximas semanas, no máximo em maio. A Suécia segue-se”, afirmou Alexander Stubb.

A Rússia deverá opor-se. Aliás, pouco depois do início da invasão à Ucrânia, o ministério dos Negócios Estrangeiros russo ameaçou a Finlândia e a Suécia com “sérias repercussões políticas e militares” se decidissem aderir à organização militar.

“É evidente que a adesão da Finlândia e da Suécia à NATO, que é um bloqueio militar, teria graves consequências militares e políticas que obrigariam a que o nosso país tomasse medidas recíprocas”, sublinhou a porta-voz do ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Maria Zakharova.

Jens Stoltenberg, secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte, referiu na passada quarta-feira que a “eventual adesão da Finlândia e Suécia à NATO pode ser muito rápida”, uma vez que os dois países mantêm uma proximidade com a Aliança Atlântica já há muito tempo.

Não há outros países que estejam mais próximos da NATO, que tenham trabalhado tão de perto connosco durante tantos anos, em termos de interoperabilidade e exercícios militares, além de que sabemos que cumprem os nossos requisitos ao nível do controlo político democrático civil das instituições de segurança e das forças armadas. Essa é a razão pela qual acredito que um eventual processo de adesão para estes países pode ser bastante rápido”, disse.

  ZAP //

2 Comments

  1. Acho bem. Agora que o louco do putin acordou, mais vale toda a gente começar a proteger-se. Ainda por cima o putin gosta de invadir espaços aéreos para provocar. Ele já sabe que niguém quer ir para a guerra com ele , pois ele tem armas nucleares e é louco.

  2. É bem.
    A Rússia de Putin é uma ameaça para a humanidade e o filho da Putin já ameaça abertamente tudo e todos, portanto isto é um passo natural.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.