Facebook aceita pagar indemnização de 48 milhões a moderadores de conteúdos

tuaulamac / Flickr

Mark Zuckerberg, fundador do Facebook

O Facebook aceitou pagar uma indemnização de 52 milhões de dólares aos moderadores de conteúdos para compensar os problemas de saúde mental provocados pelo seu trabalho.

A indemnização, que representa cerca de 48 milhões de euros, colocou termo a uma ação coletiva em que a rede social era acusada de não proteger de forma adequada os trabalhadores ao seu serviço (incluindo os subcontratados), responsáveis por eliminar as publicações que não respeitam as regras da plataforma digital.

A queixa inicial deu entrada num tribunal da Califórnia em setembro de 2018, em nome de Selena Scola, uma ex-moderadora que se queixava de síndrome pós-traumático, depois de ter passado nove meses a visualizar regularmente imagens violentas.

“Todos os dias os utilizadores do Facebook partilham milhões de imagens ou de vídeos em direto de abuso sexual de crianças, violações, tortura, bestialidade, decapitações, suicídios e homicídios”, denunciava a queixosa no processo, citada pela agência France-Press.

Os queixosos acusavam a plataforma de Mark Zuckerberg de recorrer a moderadores de conteúdos “para ver estes posts e eliminar os que contrariam as suas regras”, de forma a “manter uma plataforma asseptizada, aumentar os seus lucros já elevados e melhorar a sua imagem pública”.

Ao abrigo do acordo assinado com o grupo norte-americano, mais de 11 mil moderadores nos Estados Unidos, ainda ao serviço do Facebook ou que exerceram essas funções no passado, vão receber pelo menos mil dólares por pessoa (cerca de 922 euros).

Os que foram diagnosticados com doenças específicas receberão ainda uma compensação pelas despesas médicas em que incorreram, um valor que pode ir até aos 50 mil dólares (cerca de 46 mil euros).

O acordo prevê ainda que o Facebook e as empresas subcontratadas pela plataforma digital assegurem apoio psicológico aos moderadores com terapeutas qualificados e melhores condições de trabalho.

“Estamos muito satisfeitos pelo facto de o Facebook ter trabalhado connosco para criar um programa sem precedentes para ajudar as pessoas a realizar este trabalho inimaginável há alguns anos. Os danos que se podem vir a sofrer por este trabalho são reais e severos“, disse Steve Williams, o advogado que representava os moderadores, ao portal The Verge.

O Facebook também divulgou um comunicado depois de o acordo ter sido anunciado, expressando o seu compromisso com os moderadores.

“Somos gratos às pessoas que fazem este importante trabalho para tornar o Facebook um ambiente seguro para todos. Estamos comprometidos em dar-lhes apoio adicional através deste acordo e também no futuro”.

Em 2019, o portal norte-americano denunciou as condições de trabalho precárias e nocivas para a saúde dos moderadores empregados pela Cognizant – que cessou desde então essa atividade –, uma empresa subcontratada pelo Facebook para eliminar os posts que infringem as regras da plataforma.

Segundo a revista, os trabalhadores, com salários baixos, a rondar os 28 mil dólares por ano (cerca de 26 mil euros), e um ritmo de trabalho desgastante, sofriam de ataques de pânico e stress pós-traumático provocados pelas imagens divulgadas no Facebook.

Nessa altura, o Facebook exigiu que as empresas subcontratadas aumentassem os salários dos seus empregados e lhes fornecessem acompanhamento psicológico.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

A tecnologia ressuscitou o "plágio" de escritores medievais

Os trabalhos de autores medievais foram "ressuscitados" com a tecnologia do século XXI numa inesperada colaboração na Universidade de St Andrews, na Escócia. Um arquivo das obras de autores ingleses medievais, que revelava uma visão internacional …

Num cenário apocalíptico, a espécie humana poderia sobreviver "com populações na casa das centenas"

Cientistas de todo o mundo debruçam-se sobre a preparação das populações (e de abrigos) para sobreviver a um possível apocalipse. Para o antropólogo Cameron Smith, não seria necessário um número muito elevado de pessoas, desde …

Príncipe Harry diz que viver com a família real é "uma mistura entre o Truman Show e estar num zoo"

Depois de uma entrevista a Oprah Winfrey, o duque de Sussex faz novas revelações numa nova entrevista e descreve como era a sua vida antes de ir viver, primeiro para o Canadá e, depois, para …

Pentear o cabelo pode tornar-se uma tarefa mais fácil com a ajuda de um robô

Uma equipa de cientistas desenvolveu recentemente um braço robótico com uma escova de cabelo macia, equipada com uma câmara que ajuda o braço a "ver" e a avaliar a ondulação, para oferecer ao utilizador uma …

Benfica 4-3 Sporting | Águia vence dérbi espectacular

Mas que grande dérbi! Benfica e o novo campeão Sporting presentearam os adeptos com um jogo espectacular, um dos melhores dos últimos anos em Portugal, com futebol de ataque e golos, muitos golos. Foram nada menos …

Portugal é o 2.º país com mais divórcios e menos casamentos na UE

A taxa de casamentos na União Europeia caiu drasticamente nos últimos 55 anos, ao mesmo tempo que a taxa de divórcios subiu. Portugal é o segundo país onde esta tendência mais prevalece. De acordo com dados …

"É parte da nossa identidade". Pequena cidade na Suécia luta para preservar uma antiga língua moribunda

A organização Ulum Dalska, sediada numa pequena cidade sueca chamada Älvdalen, tem uma missão. Durante décadas, os seus membros têm trabalhado arduamente para ajudar a salvar a língua elfedaliana, um remanescente do nórdico antigo. "Tivemos a …

Papa diz que abuso infantil é uma espécie de “assassinato psicológico”

O Papa Francisco criticou hoje o abuso infantil dizendo que é “uma espécie de ‘assassinato psicológico’ e, em muitos casos, um cancelamento da infância” e pediu para “parar de encobrir” o fenómeno da pedofilia. Francisco falava …

Jerónimo considera “precipitado” discutir Orçamento de 2022 e “deitar borda fora” o atual

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, considerou hoje “no mínimo precipitado” antecipar a posição do partido sobre o próximo Orçamento do Estado e “deitar borda fora” a concretização do atual. À margem de uma visita …

Plano da CIA para capturar Bin Laden originou um problema de saúde pública no Paquistão

Um novo estudo indica que um plano secreto da CIA para capturar Osama Bin Laden, no início de 2011, teve como consequência uma queda significativa das taxas de vacinação no Paquistão. O plano, que usava uma …