Esqueleto sem cabeça pode pertencer a um dos primeiros políticos americanos (e dono de escravos)

(dr) Jamestown Rediscovery

Esqueleto sem cabeça encontrado numa igreja antiga em Jamestown

Arqueólogos encontraram um corpo sem cabeça numa igreja com de 400 anos em Jamestown, na Virgínia, nos EUA. Os restos mortais podem pertencer a Sir George Yeardley, um dos primeiros políticos – e dono de escravos – nas colónias britânicas na América.

Talvez poucas pessoas tenham ouvido falar de Yeardley, mas, na verdade, o político de origem britânica desempenhou um papel fundamental na história da América. O governador de Jamestown supervisionou a Câmara dos Burgueses, o primeiro órgão eleito do governo nas colónias dos ingleses.

Os cientistas ainda não têm certeza se o corpo encontrado pertence a Yeardley, mas logo depois de terem descoberto esqueleto, os investigadores encontraram um punhado de dentes – 10, no total -, que encaixam num crânio encontrado antes na mesma igreja.

Se o ADN dos dentes e do crânio coincidir com o dos descendentes vivos de Yeardley, os cientistas poderão então identificar o corpo do antigo governador. Ao analisar os contornos do crânio e a placa dentária, os pesquisadores podem também recriar o seu rosto e até determinar que tipo de alimentos comia, aponta o The Washington Post.

“Temos muitos especialistas de renome mundial a trabalhar connosco nesta descoberta”, disse Mary Anna Hartley, arqueóloga da Jamestown Rediscovery Foundation, ao jornal norte-americano. “E eu queria ter a certeza de que havia realmente algo para examinar”.

Por exemplo, Turi King, geneticista e arqueóloga da Universidade de Leicester, na Inglaterra, que participou identificação dos restos do rei Richard III, está a trabalhar com a equipa de Jamestown.

(dr) Jamestown Rediscovery

Arqueólogos analisam os vestígios encontrados na igreja

“Estamos a trabalhar sob o que é conhecido como ‘condições limpas’ na igreja”, revelou King, acrescentando que “uma das maiores preocupações é não contaminar o local com ADN de um de nós, investigadores. Queremos ter a certeza que o ADN recolhido pertence a indivíduo encontrado e não a mim ou a outro arqueólogo“.

Redescobrir Jamestown

As escavações levadas a cabo na igreja são parte de um projeto dirigido pela Jamestown Rediscovery Foundation, em colaboração com a Smithsonian Institution, para descobrir mais sobre Jamestown, o primeiro assentamento inglês de caráter permanente realizado com sucesso nas colónias americanas.

Yeardley deixou a cidade de Londres em junho de 1609, mas só chegou a Jamestown em 1610. Tornou-se governador da cidade pouco depois, em 1616, com 29 anos.

Mais tarde foi condecorado na Grã-Bretanha pelo pelo rei James I e depois regressou a Jamestown com instruções da Companhia da Virgínia, que controlava a colónia, para criar “uma forma louvável de governo para as pessoas que ali habitam”, de acordo com documentos históricos, citados pelo The Washington Post.

E o plano funcionou: em 1619, um grupo de 30 homens reuniu-se na igreja que os arqueólogos escavam agora.

Nesse mesmo ano, a América recebia o seu primeiro grupo de africanos escravizados. Os africanos, oriundos de Angola, estavam num navio espanhol em direção a Vera Cruz, no México, mas a embarcação acabou por ser atacada por navios ingleses que levaram 60 escravos para Point Comfort, região que hoje conhecemos como Hampton.

Givens, diretor do projeto de redescoberta de Jamestown, disse que o político Yeardley terá comprado oito pessoas.

Embora as análises genéticas ainda não tenham sido concluídas, o corpo já oferece algumas pistas. O esqueleto pertence a um homem robusto, com idade compreendida entre 30 e 40 anos – coincidindo com a idade do governador, que acabou por morrer aos 40 anos em 1627.

(dr) Jamestown Rediscovery

As ossadas encontradas podem pertencer ao antigo governador e dono de escravos Sir George Yeardley

Além disso, as mãos do esqueleto estão colocadas ao lado do seu corpo – e não cruzadas sobre a pélvis – indicando que este sepultamento terá sido importante. De acordo com os arqueólogos, o corpo poderá ter sido colocado assim para que pudesse ser visto antes da cerimónia fúnebre.

No início de 1900, foi encontrada na igreja um túmulo que continha símbolos de cavaleiros. Dado que o governador foi também cavaleiro, é provável que a urna lhe pertença, sustentou Hartley.

A arqueóloga notou ainda que o corpo foi sepultado em frente ao altar da igreja, “um lugar bastante privilegiado para enterrar alguém”, reiterou. O solo e os artefactos usados no enterro coincidem com o tempo em causa, acrescentou Givens.

A equipa também tenciona fazer uma datação das ossadas por rádio-carbono e fazer testes isotópicos – um isótopo é a variação de um elemento químico que tem um número variável de neutrões no seu núcleo -, para determinar se o indivíduo em causa bebeu água de Inglaterra durante a sua juventude.

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. ZAP
    Em vez de
    “uma das maiores preocupações é contaminar o local com ADN de um de nós, investigadores. Queremos ter a certeza que o ADN recolhido pertence a indivíduo encontrado e não a mim ou a outro arqueólogo“
    não será
    “uma das maiores preocupações é não contaminar o local com ADN de um de nós, investigadores. Queremos ter a certeza que o ADN recolhido pertence a indivíduo encontrado e não a mim ou a outro arqueólogo“
    ?
    Cumprimentos

RESPONDER

Entrevista: "Demorei 2 anos a aperfeiçoar o meu passe; os miúdos de Timor já jogam lindamente!"

Sara Moreira Silva é a líder da primeira escola de voleibol em Timor-Leste, que vai arrancar em janeiro de 2021. Fica aqui a perspetiva de uma portuguesa que vê muito talento entre os timorenses...que não …

O edifício mais antigo do mundo ainda em funcionamento "mora" em Roma

O Panteão de Roma, o edifício mais antigo desta cidade italiana, continua a ser utilizado nos dias de hoje, cerca de 2.000 anos depois da sua construção. Edificado em meados de 125 a.C sob a …

Da cabeça de javali à perdiz. Historiadores e chefs ensinam a cozinhar pratos medievais

Uma equipa de historiadores e grandes chefs reuniu-se para oferecer um curso online para ensinar os alunos a criar banquetes medievais. Professores da Universidade de Durham e chefs do restaurante Blackfriars criaram o Eat Medieval, que …

The Climate Store. Os preços desta loja sueca variam conforme a pegada ecológica

Os rótulos dos alimentos já indicam o quão bom ou mau um produto é para a nossa saúde, mas e o planeta? Um número crescente de marcas está agora a rotular os seus produtos para …

A cidade-irmã mais famosa de Petra abre finalmente ao público. "Esconde" túmulos amaldiçoados

A cidade de Hegra, localizada nos desertos a norte de Al Ula, no noroeste da Arábia Saudita, vai pela primeira vez abrir ao público, podendo os visitantes explorar agora este local antigo sem quaisquer restrições. …

Falha no Microsoft Excel pode ter levado a mais de 1.500 mortes no Reino Unido

Um erro no Microsoft Excel que eliminou quase 16 mil casos de covid-19 das estatísticas do Reino Unido pode ter levado a mais de 1.500 mortes evitáveis, de acordo com um artigo da Warwick University. Os …

Pessoas com bons hábitos de sono têm menor risco de insuficiência cardíaca

Os padrões de sono saudáveis ​​incluem acordar de manhã cedo, dormir 7 a 8 horas por noite e não ter insónias ou sonolência diurna excessiva. Esta pode ser a receita secreta para evitar insuficiência cardíaca, …

Marcelo quer regras do Natal na próxima semana. E lembra que não há lugar para uma crise política

O Presidente da República defendeu, esta sexta-feira, que as medidas para o fim-de-semana do Natal devem ser conhecidas já na próxima semana. E congratulou-se com o facto de já haver um Orçamento aprovado. Em resposta às questões …

Jogos de guerra ajudaram exércitos a vencer guerras. É uma tradição secular

Alguns jogos de guerra foram utilizados por vários exércitos internacionais para simular conflitos e treinar militares para guerras reais, contou à revista Vice Antoine Bourguilleau, que escreveu recentemente um livro sobre o fenómeno. Estes jogos …

Código da Estrada alterado. Uso do telemóvel ao volante com multas mais pesadas

O uso do telemóvel durante a condução vai passar a ter uma coima entre os 250 e os 1250 euros, segundo as alterações ao Código da Estrada aprovadas, esta sexta-feira, em Conselho de Ministros. "O Conselho …